Posts

Vídeo – PRF prende traficante com 24 quilos de maconha no tanque de combustível de um Del Rey

Fato ocorreu na manhã desta sexta

Divulgação

A Polícia Rodoviária Federal prendeu um homem por tráfico de aproximadamente 24 quilos de maconha na manhã desta sexta-feira (31), na BR 480 em Erechim. A droga estava escondida no tanque de combustível de um Del Rey.

Após receberem informações do serviço de inteligência da PRF, os agentes federais localizaram e abordaram um Del Rey, com placas do Paraná, suspeito de estar sendo utilizado para o transporte de algum ilícito. O condutor era um homem de 52 anos, natural de Lagoa Vermelha/RS.

Os policiais realizaram buscas no veículo e constataram indícios de adulteração no assoalho do porta-malas. Foi realizada a desmontagem do reservatório de combustível e, no seu interior, foram encontrados diversos tabletes de maconha, que totalizaram cerca de 24 quilos.

O preso, a droga e o veículo foram encaminhados para registro do flagrante na área judiciária.

 

Fonte: PRF

PRF prende mulher com cocaína e crack dentro de ônibus em Ijuí

A  Polícia Rodoviária Federal prendeu na noite desta quarta, 29, por volta das 19h uma traficante com meio quilo de cocaína e meio quilo de crack em um ônibus de linha. A prisão ocorreu no km 459 da BR 285, em Ijuí.

Durante ação de combate à criminalidade, os policiais abordaram um ônibus que fazia a linha Porto Alegre – Santa Rosa. Durante a fiscalização, foram localizados 509 gramas de cocaína e 500 gramas de crack na mochila de uma passageira.

A traficante, de 22 anos, disse que trazia as drogas de Porto Alegre para Santo Ângelo. Ela foi presa em flagrante e conduzido para a polícia judiciária local.

Fonte: PRF

Polícia Civil prende em flagrante traficante de drogas em Três Passos

Foto: PC

Na segunda-feira, 07 de outubro, a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia de Três Passos, prendeu um indivíduo em flagrante pelo crime de tráfico de drogas.

A ação foi decorrente do cumprimento de mandado de busca e apreensão na residência do investigado.

Na residência os policiais localizaram aproximadamente dois quilos e meio de maconha e sessenta e oito gramas de cocaína. Pela nota da Polícia Civil enviada à imprensa, o indivíduo nasceu em 1994.

Polícia Civil

Traficante faz churrasco com 121 quilos de carne na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas

Assado de fim de ano teve picanha, vazio, maminha e outras carnes ao custo de R$ 2,6 mil

Nota mostra os itens comprados para a comemoração dentro da prisão – Reprodução / Reprodução

 

Um evento tradicional nesta época do ano, a confraternização de presos e familiares, causou indignação em servidores que atuam na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc).
Uma nota listando a compra de 121 quilos de carne, dois espetos e duas facas, ao custo total de R$ 2,6 mil, e em nome do traficante Juraci Oliveira da Silva, conhecido como Jura, circulou em grupos de WhatsApp de policiais e de servidores da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe). Junto ao documento, um agente desabafou que a prisão, que já foi modelo de segurança e de disciplina no Estado, está sob o domínio dos presos.
Ao ter conhecimento do fato por GaúchaZH, a Promotoria de Execução Criminal de Porto Alegre informou que vai abrir investigação. O Ministério Público quer saber quem comprou os alimentos, quem pagou, quem entregou, como foram usados os objetos cortantes, onde foi feito o churrasco, quem participou, se houve consumo de drogas ou bebidas, se o número de visitas ultrapassou os limites, entre outras coisas. O MP pretende verificar ainda se houve privilégios por parte de algum servidor.
O funcionário que divulgou a nota fiscal da compra também fez desabafos.
— A cadeia tá virando uma piada. Os presos não sentem o peso da pena, e o cara se indigna porque ninguém faz nada para mudar. A administração entregou a cadeia nas mãos dos presos. Nós não temos mais autonomia dentro da cadeia, nunca tivemos, mas hoje está pior. Só a BM assumindo mesmo — disse o servidor.
O agente ainda descreveu a situação dentro da Pasc no domingo (9), quando a prisão teria recebido número de visitantes acima do normal, o que dificulta o controle e segurança. Os próprios detentos estariam fazendo a organização do público visitante:
— Entrou número maior de visitas por preso, entrou sorvete, bolos (alguns itens não estão previstos no Regulamento Geral para Ingresso de Visitas e Materiais em Estabelecimentos Prisionais). Festa de final de ano, churrasco na galeria dele (Jura). Esta aí é a nota das carnes que entraram na Pasc em nome do preso (veja acima). Os familiares deles vieram todos e liberaram uma maior quantidade de visita hoje por cada preso. O complexo está cheio de criminosos escoltando e esperando as visitas.
No ano passado, imagens de um churrasco de confraternização entre detentos no Presídio Regional de Santa Cruz do Sul, no Vale do Rio Pardo, tiveram repercussão negativa e o Ministério Público abriu procedimento para investigar o caso. A direção havia autorizado o evento, mas não tinha comunicado autoridades. O MP chegou a emitir recomendações sobre como esse tipo de evento deveria transcorrer. Foi proibida “churrascada” feita diretamente pelos presos e sem conhecimento de como os custos foram arcados.
Quem é Juraci Oliveira da Silva, o Jura:
Desde 2010, quando foi preso em Pedro Juan Caballero, no Paraguai, ele cumpre pena por tráfico e por homicídio na Pasc. Apontado como o patrão do tráfico no Campo da Tuca, na zona leste de Porto Alegre, também é acusado de envolvimento na morte do médico Marco Antônio Becker, vice-presidente do Conselho Regional de Medicina (Cremers), em 2008. Durante um julgamento em que foi absolvido por duas mortes, em 2015, chegou a admitir que seguia comandando a venda de drogas de dentro da prisão que deveria ser a mais controlada e de maior segurança do Estado.
A Operação Palco, da Polícia Civil, mostrou exatamente isso. Ao investigar assaltos a blindados, tomada de reféns em roubo a residência e tráfico de drogas, a polícia descobriu que Jura havia feito, dentro da Pasc, aliança com o assaltante de carros-fortes José Carlos dos Santos, o Seco.
Contrapontos
O que diz o diretor da Pasc, Eduardo Saliba
Informou que a Susepe daria as respostas sobre o episódio.
O que diz a Susepe
“Comemorações dentro de presídios com presos de bom comportamento são autorizadas pela Lei de Execução Penal, a LEP. O churrasco foi organizado para 36 presos e seus familiares. São permitidos dois visitantes para cada preso, além de crianças, que não entram nessa conta. Não houve liberação de visitas acima do limite permitido. O churrasco não foi assado no pátio. Foi feito por três apenados sob supervisão de agentes penitenciários. Os demais detentos não tiveram acesso a facas e espetos. A nota fiscal está em nome de um apenado porque alguém tem de ser responsável pela compra, não pode entrar sem origem, até para que, se houver algum problema, a Susepe tenha a quem responsabilizar. A informação que a Susepe tem é de que o custo foi dividido entre os participantes. “
O que diz Alexandre Bobadra, secretário-geral da Amapergs-Sindicato
“Conversamos com agentes da Pasc e não identificamos nenhum problema. Tem nota fiscal porque para entrar mercadoria tem de estar no nome de alguém. Se foi o preso que pagou ou se outros ajudaram, não sabemos. Não procede a informação de que entraram mais visitantes do que o permitido.”
O que diz o Regulamento Geral para Ingresso de Visitas e Materiais em Estabelecimentos Prisionais da Superintendência dos Serviços Penitenciários:
— O ingresso de visitantes deve ser limitado ao número máximo de dois visitantes maiores de 18 anos para cada preso, em cada dia de visita e de acordo com o calendário de visitas de cada estabelecimento. Ficam liberados desse limite os filhos do(a) preso(a), desde que de 0 a 17 anos.
— Em situações excepcionais, o ingresso além do limite estabelecido poderá ser autorizado pelo diretor do estabelecimento, somente para maiores de 18 anos, que deve levar em consideração fatores como frequência no recebimento de visitas, distância, bom comportamento, condições de segurança e capacidade do estabelecimento.

Fonte: Gaúcha ZH

Polícia Civil de Crissiumal prende traficante

Nesta terça-feira (07/08), a POLÍCIA CIVIL DE CRISSIUMAL, coordenada pelo Delegado de Polícia William Garcez, desencadeou a OPERAÇÃO CAIXA DE PANDORA – FASE II. A ação policial deu cumprimento a um mandado de busca e apreensão e um mandado de prisão preventiva. O objetivo desta fase da operação era efetuar a captura de, V. L. C., de 42 anos de idade, que foi identificado como um distribuidor de drogas na cidade. Esta fase da operação contou com apoio da Delegacia de Polícia de Coronel Bicaco.

O delegado lembrou que a Operação Caixa de Pandora é um Braço da Operação Android, que investiga o tráfico produzido por organização criminosa que vem tentando se instalar na região. Esta fase da operação (fase II) efetua a captura de um dos indivíduos responsáveis pela distribuição de drogas em Crissiumal. No ato da prisão foi apreendida pequena quantidade de maconha.

Garcez agradece a todos os policiais civis que participaram da investigação, bem como da captura do traficante, salientando a importância da colaboração da comunidade na investigação e solução de crimes. “É de suma importância para a Polícia Civil que a comunidade esteja engajada no combate ao tráfico, a polícia precisa de informações para então desempenhar o seu trabalho investigativo e viabilizar a responsabilização criminal dos criminosos”, comentou o delegado.

O autor do fato foi indiciado por tráfico de drogas, de modo que a Polícia Civil representou pela sua prisão preventiva. A representação foi prontamente deferida pelo Poder Judiciário, após parecer do Ministério Público. Garcez agradeceu a seriedade e o comprometimento do Ministério Público e do Poder Judiciário local, salientando que “o comprometimento, união e sintonia de todas as instituições que desempenham suas atividades no âmbito da justiça criminal se traduzem em um antídoto contra o crime e em um presente para a sociedade”.

Fonte: Polícia Civil

 

Polícia Civil de Três Passos prende homem por tráfico de drogas

Acusado foi preso em flagrante pela Polícia Civil

fc8cbe10cdeb0940de73d6c5962b1c3c_L

Foto: PC/Divulgação

Buscas em uma residência resultaram na prisão de um homem por tráfico de drogas nesta quarta-feira, 24, em Três Passos. Policiais civis prenderam em flagrante A.L., de 33 anos, no bairro Frei Olímpio.

No quarto do acusado foi encontrado um pote contendo mais de 60 pedras de “crack”, a droga estava embalada em papel alumínio, pronta para a venda. Além da droga, foram localizados mais de R$ 700,00 e diversos aparelhos eletrônicos. A droga, o dinheiro e os objetos foram apreendidos.

As buscas foram realizadas com o apoio da Brigada Militar de Três Passos e coordenadas pelo delegado Marion Volino.

Fonte: PC

Traficante internacional é um dos fugitivos da Penitenciária Industrial de Caxias do Sul

Ariovaldo Bopsin da Silva e outros dois homens pularam muro
17859578

Lamartine Nixon, Ariovaldo Bopsin da Silva e Everton Ribeiro Zotti Foto: Reprodução

Uma velha tática no sistema prisional facilitou a fuga de um dos maiores traficantes de drogas de Caxias do Sul. Usando uma corda, Ariovaldo Bopsin da Silva, o Mulita, 42 anos, e outros dois detentos escalaram o muro da Penitenciária Industrial (Pics) pouco antes das 10h deste domingo. PMs da guarda externa do presídio usaram balas anti-motim, mas só conseguiram deter um quarto apenado.

O muro dá acesso a uma área verde e vielas do bairro Sagrada Família, entre o presídio e a Rua Conselheiro Dantas. Dali, os detentos correram para a Rua Irma Zago, e embarcaram num Vectra preto que os aguardava. A Brigada Militar (BM) e a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) vão instaurar sindicâncias para apurar as circunstâncias da fuga.

A rota de fuga é conhecida dos apenados. A área verde é frequentemente usada por detentos do regime semiaberto que escapam do albergue prisional à noite ou durante o dia para buscar armas e drogas, conforme denúncias do Pioneiro.

De acordo com o delegado regional da Susepe, Roniewerton Pachado Fernandes, Mulita e outros apenados estavam no pátio de uma das galerias durante o banho de sol. Eles aproveitaram quando um dos PMs das guaritas voltou a atenção para o outro lado da cadeia e lançaram uma corda com um gancho na ponta. O trio escalou o muro rapidamente.

Mulita é considerado uma liderança na bandidagem. Estava preso na Pics havia cerca de um ano, segundo Roniewerton. Em 2011, tinha sido indiciado pela Polícia Civil e denunciado pelo Ministério Público (MP) como sendo chefe de um esquema de distribuição de drogas que envolvia mais de 60 pessoas de 16 grupos diferentes em Caxias do Sul.

A organização trazia drogas do Paraguais e as revendia em Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Farroupilha, São Marcos e Vacaria. Mulita ficou foragido até março de 2014, quando foi preso em Florianópolis com 50 quilos de maconha. Conforme Roniewerton, Mulita foi trazido para Caxias do Sul e condenado por tráfico de drogas.

— O perfil deles é de periculosidade. São lideranças de quadrilhas diferentes — diz o delegado penitenciário, que não soube informar quanto tempo de pena o trio cumpria.

OS FUGITIVOS

Ariovaldo Bopsin da Silva, 42 anos: cumpria pena por tráfico de drogas. Tem indiciamentos por posse ilegal de arma e acusações de roubos a comércio.

Lamartine Nixon Pereira, 47: cumpria pena por tráfico de drogas. Também é acusado de roubos diversos.

Everton Ribeiro Zotti, 32: cumpria pena por tráfico de drogas. Também é acusado de homicídios, roubos e tem indiciamento por furto e receptação.

Fonte: Pioneiro