Posts

Brasil tem 363 mil casos confirmados de covid-19 e 22 mil mortes

Total de pacientes recuperados soma 149.911

O Ministério da Saúde divulgou neste domingo (24) boletim atualizado sobre os números da pandemia do novo coronavírus (covid-19) no país. De acordo com levantamento diário feito pela pasta, o Brasil tem 363.211 casos confirmados da doença e 22.666 mortes foram registradas. Os casos recuperados somam 149.911.

Nas últimas 24 horas, o ministério registrou 15.813 novos casos e 653 mortes.

Entre a unidades da federação com o maior número de casos, o estado de São Paulo figura em primeiro lugar, com 82.161 casos confirmados e 6.163 óbitos. Rio de Janeiro aparece na segunda posição com 37.912 e 3.993 mortes. Em seguida estão Ceará (35.595 casos e 2.324 mortes) e Amazonas (29.867 casos e 1.758 mortes) .

De acordo com o Ministério da Saúde, 190 mil casos estão em acompanhamento e 3,5 mil óbitos em investigação.

 

*Agência Brasil

Acidente entre carro e carreta deixa dois mortos na BR 285 em Passo Fundo

No amanhecer desta sexta-feira (22), um grave acidente com dois óbitos foi registrado no KM 286 da BR-285 em Passo Fundo.

Segundo informações preliminares, o acidente correu por volta das 06h10min do amanhecer.

Um veículo Chevrolet/Ipanema de cor azul, com placas de Vicente Dutra estava transitando no sentido Mato Castelhano/Passo Fundo, proximidades da barragem da Corsan quando por razões ignoradas acabou perdendo o controle do veículo e colidindo de frente a uma carreta da empresa TW.

Com o impacto da colisão, os dois ocupantes da Ipanema morrem no local. Ainda não se tem informações das identidades.

 

Fonte: Rádio Uirapuru

Mortes por coronavírus no Brasil chegam a 359

Casos confirmados somam 9.056, segundo Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde contabilizou, até as 14h desta sexta-feira, 359 mortes pelo novo coronavírus. O número de casos confirmados por exame laboratorial chegou a 9.056. Nessa quinta-feira, eram 299 óbitos e 7.910 casos confirmados.

Não há registro de óbitos apenas em quatro estados: Acre, Amapá, Roraima e Tocantins. O Rio Grande do Sul anunciou, na tarde desta sexta-feira, a sexta morte por Covid-19 no Estado. Uma idosa de 92 anos faleceu em Porto Alegre. A vítima ainda não constava no balanço divulgado pelo Ministério da Saúde.

Veja o número de óbitos por estado: 

Amazonas: 1
Pará: 1
Rondônia: 1
Alagoas: 2
Bahia: 5
Ceará: 22
Maranhão: 1
Paraíba: 1
Pernambuco: 10
Piauí: 4
Rio Grande do Norte: 4
Sergipe: 2
Espírito Santo: 4
Minas Gerais: 6
Rio de Janeiro: 47
São Paulo: 219
Distrito Federal: 5
Goiás: 2
Mato Grosso do Sul: 1
Mato Grosso: 1
Paraná: 4
Santa Catarina: 5
Rio Grande do Sul: 5

 

Fonte: R7/CP

Tentativa de ataque a bancos termina com sete assaltantes mortos em Paraí

Troca de tiros ocorreu durante a madrugada desta sexta-feira

Foto: Rádio Club 89.1 / Divulgação

Uma tentativa de ataque a dois bancos localizados em Paraí, na Serra, terminou com a morte de sete assaltantes na madrugada desta sexta-feira. Segundo informações da Record TV RS, a troca de tiros entre a quadrilha e a Brigada Militar (BM) ocorreu por volta das 2h.

Conforme a emissora, os PMs teriam se antecipado à ação dos criminosos, que já haviam instalados explosivos em agências do Banco do Brasil e do Sicredi, preparando a detonação. Tiros de advertência teriam sido disparados, seguidos de ordem de rendição. O alerta, porém, teria sido ignorado, o que provocou o tiroteio.

Três assaltantes foram mortos dentro da agência do Sicredi e os outros quatro morreram na rua. Um Chevrolet Agile vermelho, com placas de Porto Alegre, foi usado na ação e estava com as portas abertas no momento do ataque aos bancos. O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foi acionado e chegará ao local para desativar os explosivos que foram deixados nas agências.

Operação Angico 

A iniciativa da Brigada Militar nesta madrugada faz parte da operação Angico, que tem como objetivo a prevenção de crimes de roubo e furto a estabelecimentos bancários, principalmente no interior do Rio Grande do Sul. A modalidade de crime é também conhecida como “Novo Cangaço”.

Conforme a BM, a ofensiva seguirá ativa nos próximos meses e ocorrerá baseada em três pilares: o primeiro deles é o de fiscalizar o furto e roubo de explosivos; a segunda diz respeito a operações focadas em prisões de criminosos e a terceira é a utilização do efetivo especializado com suporte de inteligência policial.

*Correio do Povo

Bandidos roubam carga de cigarros em Horizontina e acabam mortos em confronto com a Brigada Militar

Confronto com a polícia ocorreu no interior de Tuparendi

Foto: Portal FC

A Brigada Militar registrou roubo de uma carga de cigarros por volta do meio dia desta terça-feira, dia 03 de dezembro, na RS-305 localidade de Esquina Tunas – Horizontina. Dois elementos tripulando um Citroen AIR Cross de cor prata, após o roubo, fugiram em direção a Tuparendi pela mesma rodovia.

Foi acionado reforço policial e na altura do município de Tuparendi, localidade de Campininha, os dois elementos jogaram miguelitos na estrada e tomaram uma estrada de chão em meio a lavouras. Quando notaram o cerco da Força Tática da Brigada Militar reagiram atirando contra as guarnições.

Desta tentativa de abordagem, que não foi aceita pelos criminosos, ocorreu o confronto que resultou em dois criminosos mortos na ação, que conforme as primeiras informações, são de fora da região Noroeste. Ocorreram vários disparos de arma de fogo contra a viatura, mas nenhum policial militar ficou ferido.

No local foram apreendidos duas armas de fogo, o veículo AIR CROSS e a carga de cigarro. Dessa ação da Brigada Militar é importante referenciar o apoio da comunidade que também havia repassado informação do veículo as equipes policiais.

Fotos: Brigada Militar

*Com informações do Portal FC e  BM

Bombeiros encerram buscas após incêndio que deixou 11 mortos em hospital no Rio

Varredura ocorreu durante a madrugada desta sexta-feira

Foto: Folhapress

Ao menos 10 corpos foram retirados pelo Corpo de Bombeiros, na madrugada desta sexta-feira (13), após varredura no Hospital Badim, na Tijuca, zona norte do Rio de Janeiro. Com isso, o balanço de vítimas do incêndio que atingiu a unidade de saúde na quinta (12) subiu para 11, já que uma pessoa já havia sido encontrada sem vida no local. 

A operação começou cerca de uma hora após o incidente e seguiu durante a madrugada. Segundo o jornal O Globo, a identificação das vítimas só será realizada a partir das 8h desta sexta-feira, no Instituto Médico-Legal (IML).O fogo teve início no final da tarde de quinta-feira em um dos prédios do hospital. O Corpo de Bombeiros foi acionado às 17h50min e enviou no total 12 viaturas e agentes de quatro quartéis ao edifício, que foi tomado por uma fumaça preta e espessa. O prédio foi evacuado e os pacientes passaram a ser atendidos na rua, em camas improvisadas no chão. Perto das 23h30min, o fogo foi controlado.

Segundo a direção do hospital, a principal suspeita é de que houve um curto-circuito no gerador de um dos prédios do complexo e que ele tenha espalhado fumaça para todos os andares do edifício antigo.

Os pacientes, com o apoio da Secretaria Estadual da Saúde, que enviou 15 ambulâncias para auxiliar,  estão sendo levados para hospitais públicos e privados da região.

“Toda a direção do hospital Badim está empenhada em prestar os devidos socorros necessários aos pacientes, que estão sendo transferidos para o hospital Israelita Albert Sabin e para os hospitais da Rede D’Or, do qual o Badim é associado”, informou a direção.

O hospital

Ao todo, 103 pacientes estavam internados no hospital e 226 funcionários trabalhavam no momento do incêndio. O prédio novo conta ainda com emergência, centro cirúrgico, centro de diagnóstico por imagem e “day clinic” (internação breve).

Do lado de fora do hospital Badim, atingido por um incêndio nesta tarde, o advogado Carlos Oterelo diz que acompanhava a mãe, Berta de Souza, 93, internada para se tratar de uma pneumonia, quando sentiu o cheiro de fumaça. Com a confirmação do fogo, ele relata que tentou resgatar a mãe com os próprios braços, mas não conseguiu.

— A maca é pesada, não tinha mobilidade para fazer isso e não tinha gente, estava sem luz. Então ficou muito difícil. Os bombeiros mandaram as pessoas sem enfermidade saírem. Porque senão o problema seria muito maior — disse Oterelo.

— Eu tirei minha mãe do box onde ela estava e, quando chegou na escada cortafogo, tinham muitas pessoas correndo. Funcionários, pacientes que não estavam com dificuldades de se locomover estavam sendo ajudados a descer — completou.

Agora, ele, assim como outras dezenas de familiares de pacientes que estavam internados, cobra informações sobre o estado de saúde e a localização da mãe.

— O Badim disse que iria fazer uma lista para onde os pacientes foram e que iriam colocar na mídia — afirma.

Fonte: ZH

Casos de animais mortos em Campo Novo ganha repercussão estadual e está sendo investigado

Foto: Reprodução RBS TV

 

A notícia sobre a morte de pelo menos 20 animais domésticos envenenados em Campo Novo alcançou repercussão em todo o Rio Grande do Sul.  Foi destaque na manhã desta quinta(27)  no Bom dia Rio Grande da RBS TV. A indignação popular nas redes sociais está chamando atenção para o caso, que está sendo investigado pelas autoridades policiais.

Um dos animais envenenados foi levado até o laboratório de veterinária da UNIJUÍ, para que se saiba mais sobre as circunstâncias das mortes e da substância que envenenou os animais.

Pelo menos 10 boletins de ocorrência foram registrados em Campo Novo e a polícia investiga o caso. Foram realizadas buscas em Campo Novo para tentar localizar quaisquer vestígios do veneno e do possível autor dos crimes. Uma das linhas de investigação é justamente uma pessoa que, por não gostar de animais, possa estar envenenando os bichinhos.

Envenenar animais, além de uma ato cruel e covarde, é crime, conforme a Lei Federal 9605/98 e Decreto-Lei 24.645/34:

Art. 32. Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos: Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa.

Fonte:Observador Regional

Tombamento de ônibus deixa 10 mortos e 51 pessoas feridas em São Paulo

Acidente envolveu ainda outros cinco veículos na cidade de Campos do Jordão

Divulgação/Bombeiros

Ao menos 10 pessoas morreram e cerca de 51 ficaram feridas depois do tombamento de um ônibus no km 31 da Rodovia Floriano Pinheiro, sentido sul, na cidade de Campos do Jordão, no interior de São Paulo, por volta das 21h desse domingo. Entre as vítimas fatais, há duas crianças. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o motorista do coletivo teria perdido o controle do veículo, que em seguida tombou, atingindo pelo menos outros cinco carros. A causa do acidente ainda não foi divulgada. No total, 19 equipes trabalharam no resgate das vítimas.

Dos 51 feridos, 26 foram resgatados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. Oito pessoas foram atendidas por ambulâncias municipais e outras sete, pelo Corpo de Bombeiros. Dezesseis vítimas foram encaminhadas ao Hospital Regional do Vale do Paraíba, em Taubaté, em estado grave. Nove foram levadas ao Pronto Socorro Municipal de Pindamonhagaba (PSMP), e não correm risco de morte.

Os outros feridos foram resgatados ao Pronto Socorro de Campos do Jordão. O número exato de quantas vítimas foram encaminhadas para cada um dos hospitais, ainda será contabilizado. O caso foi registrado no 1º Distrito Policial de Campos do Jordão. Os corpos das 10 vítimas foram levados ao IML de Taubaté. São cinco homens, três mulheres e duas crianças. O exame necroscópico será realizando durante a manhã desta segunda-feira. O ônibus pertencia à empresa Brasil Santana Transportes, que informou, por telefone, que apenas se pronunciará depois de levantar todas as informações. A empresa fica na Praia Grande, no litoral paulista.

Fonte: R7

Sobe para quatro o número de mortos em razão dos protestos na Venezuela

Maduro pediu às Forças Armadas que lutem contra o que classificou de golpistas

Foto: Federico Parra / AFP

Subiu para quatro o número de mortos em razão dos protestos de terça e quarta contra o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. Segundo familiares e líderes da oposição,  Yosner Graterol, 16 anos, ferido na última terça-feira na cidade de La Victoria (norte), e Yoifre Hernández, 14 anos, atingido na quarta-feira em Caracas, morreram nesta quinta-feira.

Na terça-feira houve manifestações em várias regiões do país em apoio à rebelião contra Maduro protagonizada por um reduzido grupo de militares liderado pelo opositor Juan Guaidó. Sem apoio das Forças Armadas, a rebelião em frente à base militar de La Carlota, em Caracas, fracassou. A ONG Fórum Penal relata pelo menos 205 detenções, no âmbito dos protestos desta semana.

Hoje o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro pediu às Forças Armadas que lutem contra “qualquer golpista”, após uma insurreição militar fracassada liderada pelo líder da oposição Juan Guaidó. “Sim, estamos em combate para desarmar qualquer traidor, qualquer golpista”, disse Maduro em ato com milhares de soldados, transmitidos pela televisão, em que o alto-comando militar reiterou sua lealdade.

Repetindo o slogan “sempre leal, traidores nunca”, o presidente assinalou que não deve haver medo frente a obrigação de desarmar as conspirações da oposição e os Estados Unidos. “Ninguém pode ter medo, é hora de defender o direito à paz”, disse ele na cerimônia em que – segundo o governo – 4,5 mil soldados estavam presentes a chamado de Maduro vem após o levante na terça-feira por um pequeno grupo de soldados sob a liderança de Juan Guaidó.

Crise
A Venezuela vive enorme tensão política desde janeiro deste ano, quando Maduro tomou posse de um novo mandato que não é reconhecido pela oposição e por parte da comunidade internacional. Guaidó se autoproclamou presidente de um governo interino, que conta com o apoio de mais de 50 países. Paralelamente, o país sul-americano vive a pior crise econômica de sua história, o que gera protestos diários para denunciar a escassez severa de alimentos e remédios e a péssima prestação de serviços públicos.

Fronteira com o Brasil

O fluxo de venezuelanos que chegam a Roraima pela fronteira entre Pacaraima e Santa Elena de Uairén caiu na quarta-feira, 1º de maio, para 570 pessoas, de 848 no dia anterior – o primeiro de protestos convocados pelo autoproclamado presidente interino Juan Guaidó contra o regime de Nicolás Maduro.

Segundo a assessoria da Operação Acolhida, que ressalta que esses números variam muito diariamente, apesar de a média da última semana estar em torno das 400 pessoas, 616 entraram no Brasil na quarta-feira e 46 voltaram para a Venezuela. A fronteira está fechada do lado venezuelano desde fevereiro, o que provocou a queda do fluxo de refugiados que chegam ao Brasil de mil pessoas por dia para cerca de 200.

Nas últimas semanas, segundo o Exército, no entanto, essa média voltou a subir. “Cabe ressaltar, ainda, que 278 pessoas se dirigiram ao Posto de Triagem da Operação, sendo 76 para solicitação de refúgio e 202 para residência temporária”, acrescentou por meio de nota a assessoria de comunicação da Operação Acolhida. “No que se refere ao atendimento na área de saúde, 423 pessoas foram vacinadas e um total de 1096 doses foram administradas.” A Operação Acolhida informou que não houve reforço na fronteira por causa da confusão ocorrida na Venezuela.

Segundo os militares, a movimentação foi tranquila durante todo o dia em Pacaraima. Na quarta-feira, o governador de Roraima, Antônio Denarium (PSL), disse ao jornal O Estado de S. Paulo que teme que a população de seu Estado se volte contra os venezuelanos. “Temo que a população se revolte. Temo que se volte contra os venezuelanos porque não tem nenhum benefício para brasileiro, só tem benefício para venezuelanos”, afirmou ele. “O que vem é só pro venezuelano. Não dá cesta básica pro brasileiro que está passando fome. Mas, pro venezuelano, dá tudo, almoço, jantar, aluguel. Dá tudo que o brasileiro não tem.”

 

Fonte: AFP e Correio do Povo

Bombeiros confirmam 157 mortos e 165 desaparecidos em Brumadinho

As buscas por vítimas do rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho (MG), entraram hoje no 16º dia. Na manhã de hoje (9), os trabalhos foram retomados pelos bombeiros com o auxílio de máquinas pesadas. Até o momento, 157 mortes foram confirmadas e 165 pessoas seguem desaparecidas.

De acordo com as informações mais recentes divulgadas pelos bombeiros, as buscas foram retomadas às 7h30. Desde cedo, 12 helicópteros realizam sobrevoos na região.

O efetivo total envolvido é de 390 pessoas, das quais 159 militares do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, 130 bombeiros militares de outros estados, 64 integrantes da Força Nacional de Segurança e 37 voluntários. Também reforçam as buscas 17 cães farejadores.

Fonte: Agência Brasil