Posts

Taxa de desemprego fica em 11,2% no trimestre até janeiro, afirma IBGE

Renda média real do trabalhador foi de R$ 2.361 no período

Foto: Guilherme Testa / CP

A taxa de desocupação no Brasil ficou em 11,2% no trimestre encerrado em janeiro, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados nesta sexta-feira, 28, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em igual período de 2019, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua estava em 12,0%. No trimestre até dezembro, a taxa foi de 11,0%. Estes sãos os primeiros números sobre o desemprego em 2020.

De acordo com o IBGE, 11,9 milhões de pessoas estão desocupadas. A população ocupada no país é de 94,2 milhões de pessoas, sendo que 40,7% delas estão na informalidade, o que corresponde a 38,3 milhões de trabalhadores, taxa 0,5 ponto percentual abaixo da do trimestre encerrado em outubro. Estão subutilizadas 26,4 milhões de pessoas, número 2,7% menor do que o registrado no período anterior. Esse índice indica o número de pessoas que poderiam trabalhar mais horas do que estão trabalhando.

Já o número de desalentados, ou seja, pessoas que desistiram de procurar trabalho, ficou em 4,7 milhões, o que equivale a 4,2% da força de trabalho. O índice ficou estável na comparação trimestral e na anual.

A renda média real do trabalhador foi de R$ 2.361 no trimestre encerrado em janeiro. O resultado mostra estabilidade em relação ao número do mesmo período do ano anterior. A massa de renda real habitual paga aos ocupados somou R$ 217,399 bilhões no trimestre até janeiro, alta de 2,2% ante igual período do ano anterior, segundo o IBGE.

 

*Agência Brasil/AE

Inflação oficial fica em 0,21% em janeiro, diz IBGE

Taxa é inferior ao 1,15% de dezembro e ao 0,32% de janeiro de 2019

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial, ficou em 0,21% em janeiro deste ano. Essa é a menor taxa para o mês desde o início do Plano Real, em 1994.

A taxa é inferior ao 1,15% de dezembro e ao 0,32% de janeiro de 2019. O IPCA acumula taxas de 4,19% em 12 meses, abaixo dos 4,31% registrados nos 12 meses anteriores.

Os dados foram divulgados nesta sexta (7) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

 

*Agência Brasil

Motoristas poderão pagar DPVAT somente em janeiro no RS

Com decisão do STF que derrubou medida provisória, seguro volta a ser cobrado em todo o País

Detran RS

A taxa do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT) deverá ser emitida nos primeiros dia de janeiro, estima o Departamento de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran/RS). A retomada do pagamento ocorre após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) pela suspensão da medida provisória do presidente Jair Bolsonaro que dava fim ao seguro obrigatório contra acidentes de trânsito.

A partir do julgamento dessa quinta-feira, uma portaria deverá ser publicada pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) nos próximos dias. Com o documento publicado, a Seguradora Líder precisará processar e informar aos Detrans de todo o País os valores a serem pagos pelos motoristas. O processo é demorado devido ao volume de veículos. Somente no Rio Grande do Sul, a frota atualizada é de 6,8 milhões. Desses, 46% não pagam IPVA.

Espera não altera pagamento do IPVA 

A expectativa é de que a publicação dos valores para pagamento em bancos ocorra somente no início de janeiro, mas nada impede que já seja realizada a quitação do IPVA.  O Detran informa que, com o imposto pago, fica pendente somente o licenciamento do veículo.

O Departamento está estudando como vai informar os motoristas a respeito da taxa, assim como há dúvidas a respeito do licenciamento para os condutores que já quitaram o imposto relativo a 2020. “Estamos aguardando o posicionamento do jurídico do Detran para saber se o cidadão que já pagou o IPVA está ou não com o licenciamento em dia para os proprietários. De qualquer forma, a taxa do DPVAT estará disponível em breve. Quem pagar a partir de hoje precisa estar ciente de que o licenciamento do veículo estará automaticamente pendente”, sublinha o diretor-geral adjunto da autarquia, Marcelo Soletti.

O valor do DPVAT é estabelecido conforme a categoria do automóvel. No ano passado, para carros de passeio, o custo ficou em aproximadamente R$ 17. Para motos, em torno de R$ 85. Esses veículos pagam mais devido a alta taxa de acidentabilidade.

O seguro paga indenização por morte, invalidez permanente ou despesas médico-hospitalares.

 

 

*CP

Estupros no RS têm queda de 32,9% em janeiro de 2019, mas número de feminicídios se mantém estável

Secretaria de Segurança Pública registrou ameaças em 329 municípios gaúchos no primeiro mês do ano

Foto: Fabiano do Amaral

O número de casos de estupro caiu quase 33% no Rio Grande do Sul em janeiro passado, comparado com o mesmo período de 2018. De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP), nos primeiros 31 dias de 2019, 130 crimes do tipo foram registrados no Estado, ante a 194 no mesmo mês do ano passado.

Porto Alegre concentrou a maioria das ocorrências deste ano, segundo a SSP. Foram 33, ao todo – 11 a mais que em dezembro de 2018, porém cinco a menos que em janeiro de 2018, quando foram registrados 38 estupros na Capital.

Apenas neste ano, Viamão já teve sete estupros em janeiro e foi a segunda cidade com o maior número de casos, seguida por Uruguaiana e Alvorada, ambas com cinco. Ao todo, 53 cidades gaúchas tiveram pelo menos um caso de estupro em 2019.

Considerando no recorte apenas os meses de janeiro, o Rio Grande do Sul teve queda de 36,8% nas ocorrências de estupro desde 2016, quando foram contabilizadas 206 ocorrências no Estado. O número havia caído em 2017, mas voltado a aumentar no ano seguinte para tornar a reduzir em 2019

Feminicídios estáveis

Conforme a SSP, os casos de feminicídio consumado mantiveram-se estáveis – sete em janeiro de 2018 e outros sete em janeiro de 2019. No entanto, os casos de feminicídio tentado cresceram, passando de 35 para 44.

Outro crime registrado pela SSP é a ameaça. Apenas em janeiro, houve 3.503 ocorrências do tipo, em 329 dos 496 municípios gaúchos. Janeiro fechou com média de 113 casos de ameaças por dia no Rio Grande do Sul. Ainda elevado, mas em queda na comparação período igual de 2018, que fechou com 3.625 casos.

 

Fonte: Correio do Povo

IPVA pode ser pago com desconto máximo de 22,4% até 31 deste mês

Foto: Divulgação

Termina na próxima semana, em 31 de janeiro, o prazo para o pagamento do IPVA com desconto de até 22,4%. Também é o último dia para quem deseja se habilitar ao parcelamento, devendo ser paga a primeira parcela. As duas subsequentes devem ser quitadas em fevereiro (até o dia 28) e março
(dia 29).

Para alcançar o desconto máximo no pagamento integral do imposto, o contribuinte precisa somar as vantagens dos programas Bom Motorista e Bom Cidadão. O desconto do Bom Motorista garante abatimentos conforme o período sem infrações no trânsito: 15% para os condutores sem multas nos
últimos três anos, 10% para quem não é multado há dois anos e 5% para quem está há um ano sem infrações.

O desconto do Bom Cidadão varia conforme a participação dos proprietários de veículos no programa Nota Fiscal Gaúcha: 5% para quem acumulou no mínimo 100 notas fiscais registradas, 3% para aqueles que registraram entre 41 e 99 notas e 1% para quem cadastrou de uma a 40.

Até o momento, a Receita Estadual contabiliza 1.111.577 veículos com o IPVA 2019 quitado, resultando em arrecadação bruta de R$ 949 milhões. Desde o calendário passado, a Secretaria da Fazenda não envia cartas aos contribuintes via Correios. A eliminação das correspondências impressas
faz parte dos esforços de modernização, sustentabilidade e economia da Receita Estadual, reduzindo os custos em cerca de R$ 2 milhões por ano.

Para garantir o recebimento das informações, os donos dos veículos devem efetuar o cadastramento dos seus e-mails no site do tributo aqui ou no da Receita Estadual aqui.

Também no último ano houve mudança no local de atendimento presencial relacionado ao imposto em Porto Alegre. Antes realizado na Agência IPVA da Rua 24 de Outubro, o serviço migrou para a Central de Atendimento ao Contribuinte (prédio da Secretaria da Fazenda, Rua Siqueira Campos, nº 1.044 – Centro Histórico – das 10h às 16h, sem fechar ao meio-dia). A ideia é centralizar diferentes atendimentos em um só local, gerando mais eficiência para a gestão interna e para os contribuintes.

No interior, o serviço é realizado nas Delegacias da Receita Estadual. Dúvidas são atendidas por meio do Plantão Fiscal Virtual, ferramenta online disponível no site da Receita Estadual.

Serviço do IPVA 2019

Quem paga: todos os proprietários de veículos automotores fabricados a partir do ano 2000

Como pagar: para quitar, o proprietário deverá apresentar Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV). Juntamente com o IPVA, é possível pagar o seguro obrigatório (DPVAT), a taxa de licenciamento e multas de trânsito, se existirem

Onde pagar: Banrisul, Bradesco, Santander, Sicredi, Caixa (lotéricas) e Banco do Brasil (somente para clientes).

Alíquotas do IPVA no RS:

3% – automóveis e camionetas

2% – motocicletas

1% – caminhões, ônibus, micro-ônibus e automóveis e camionetas para
locação.

Frota no estado

Total: 6.734.626

Pagante de IPVA: 3.704.814 (55%)

Isenta de IPVA: 3.029.812 (45%).

Consultas e dúvidas

Para auxiliar os contribuintes, a Fazenda tem um site específico sobre o  imposto aqui, no qual é possível consultar os dados relativos aos veículos, como multas, valores a pagar e pendências. Além do site, é possível baixar o aplicativo do tributo (IPVA RS) para dispositivos móveis, disponível gratuitamente na App Store e na Google Play.

Fonte: Ascom Sefaz   / Edição: Marcelo Flach/Secom

Temporal atinge Santo Augusto

Fotos: Ed Junior

Ventos fortes e chuva intensa foram registrados em Santo Augusto por volta do meio-dia desta segunda-feira, 07. A instabilidade era prevista pela Defesa Civil. A precipitação ficou em torno de 20 milímetros.

Em alguns pontos do município o vento forte causou danos, como no bairro Glória onde dois postes caíram na Rua Bom Fim esquina com a Reinoldo Lagner, e no bairro São João, onde ao menos uma residência teve o telhado parcialmente arrancado. Prejuízos já são relatados por moradores. Também houve queda de árvores no bairro Zeca Silva.

Motoristas devem trafegar com atenção redobrada, visto que algumas ruas estão interditadas. Também há informação de que a ERS-155 estaria interditada. Não há confirmação sobre esse fato.

Vários bairros da cidade ficaram sem energia elétrica pouco antes do meio-dia, nas primeiras horas da tarde o serviço já estava sendo restabelecido.

A Defesa Civil ainda não repassou detalhes da situação no município, mas informou que durante à tarde estará divulgando um balanço dos danos causados pelo temporal.

Fonte: Querência Online

Contas de luz de janeiro não terão cobrança de tarifa extra

Aneel anunciou bandeira tarifária verde para primeiro mês do ano

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

A bandeira tarifária para janeiro de 2019 será verde, sem custo adicional para os consumidores. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a estação chuvosa está propiciando elevação da produção de energia pelas usinas hidrelétricas e do nível dos reservatórios. Em dezembro, a bandeira tarifária também foi verde.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. A adoção de cada bandeira, nas cores verde (sem cobrança extra), amarela e vermelha (patamar 1 e 2), está relacionada aos custos da geração de energia elétrica. A Aneel alerta que, mesmo com a bandeira verde, é importante manter as ações relacionadas ao uso consciente e combate ao desperdício de energia elétrica.

Fonte: CP

Exportações do agronegócio gaúcho crescem em janeiro

download

As exportações do agronegócio de janeiro de 2017 registraram um crescimento de 37,1% na comparação com o mesmo período do ano passado. O valor negociado foi de US$ 690 milhões, correspondendo a 64% do total comercializado pelo Rio Grande do Sul. Soja, carnes e cereais são os principais responsáveis pelo resultado, conforme Relatório de Comércio Exterior divulgado pela Assessoria Econômica do Sistema Farsul nesta terça-feira, dia 21.

O Complexo Soja passou de US$ 84 milhões em 2016 para US$ 234 milhões em 2017, um aumento de 179%. O destaque fica com a soja em grãos que teve um salto de 490%. O economista-chefe do Sistema Farsul, Antônio da Luz, explica que o resultado se dá, principalmente, pelo aumento de 11,8% no preço do grão no mercado internacional. Já o grupo carnes teve aumento de 35,7% e o grupo cereais, 21,5%, puxado pelas exportações do trigo. Os grupos fumo, lácteos e florestais registraram queda de 17,9%, 65% e 6,9%, respectivamente.

Na comparação com dezembro de 2016, o agronegócio registra uma retração de 4,5% no valor, apesar de um aumento de 43% no volume exportado. O responsável pelo resultado é o grupo fumo com -62,4% no valor comercializado. Os grupos soja, carnes, cereais e florestais tiveram aumento nos seus valores exportados. A China se mantém como principal parceira do agronegócio gaúcho, respondendo por 28,5% das exportações do setor. Em janeiro, o segundo maior destino dos produtos foi a Coréia do Sul com 7,4% e em terceiro lugar o Estados Unidos com 4% do total.

Fonte: Farsul