Posts

DetranRS reforça alerta: persiste o golpe do falso leilão virtual

Tem aumentado o número de vítimas de criminosos que praticam crime de estelionato via internet, utilizando-se de sites falsos que anunciam “leilões virtuais do DetranRS”.

As pessoas são atraídas por ofertas de veículos muito vantajosas (preços muito abaixo do valor de mercado) e que expiram muito rapidamente, induzindo a ações impulsivas e impensadas.

Embora aparentem, à primeira vista, serem sites confiáveis, a maioria deles contando até com o logotipo do DetranRS, são falsos e estão hospedadas em servidores fora do país, dificultando sua retirada do ar. Os golpes aplicados fazem com que o arrematante efetue o pagamento do bem e nunca receba o veículo supostamente comprado.

Por isso, o DetranRS esclarece que não faz leilão de veículos de seguradoras, sinistrados ou não, tampouco de veículos de financeiras, tomados em garantia de pagamentos de empréstimos. Os veículos leiloados pelo DetranRS, aptos à circulação, são exclusivamente aqueles que estão nos Centros de Remoção e Depósito credenciados (CRDs) e que não foram reclamados por seus proprietários no prazo legal.

Os criminosos chegaram a forjar um falso “Termo de Arrematação”, bastante elaborado e que traz até a marca do DetranRS acrescida da palavra “leilões” em seu cabeçalho, para tentar dar mais credibilidade ao golpe. Costumam informar o endereço de um Centro de Remoção e Depósito credenciado ao DetranRS, localizado na Rua do Bosque, 200, em Porto Alegre, mas o CRD não tem nenhuma relação com os estelionatários.

FIQUE ATENTO

Veja quais os cuidados necessários para não ser uma vítima do golpe do falso leilão:

1) Confira no site oficial do DetranRS os próximos eventos > detran.rs.gov.br > menu Veículos > Leilões > Calendário de Leilões;

2) Veja nos editais do leilão todos os veículos disponíveis para compra em cada depósito credenciado, seus lances iniciais, o site do leiloeiro oficial e demais informações;

3) Se possível, agende uma visita ao depósito (CRD) onde está o veículo para verificar suas condições pessoalmente;

4) Participe do leilão na data e horário agendados pelo DetranRS e divulgados no site oficial (detran.rs.gov.br);

5) Caso seja atraído por um anúncio, desconfie de sites de leiloeiros que não sejam hospedados no Brasil (sem o final “.br”);

6) Pesquise a empresa em sites de reclamação e/ou mídias sociais;

7) Suspeite de veículos que pareçam novos ou de concessionárias;

8) Não faça transferências bancárias. Nos leilões do DetranRS, o pagamento do valor de arremate se dá por meio de guia de arrecadação própria (GAD-L), quitada na rede bancária conveniada. Somente o valor da comissão do leiloeiro será conforme instruções do mesmo (detalhadas sempre no item 9.4 do Edital).

Quem for vítima desse tipo de golpe deve comunicar o fato à Polícia Civil, por meio de um boletim de ocorrência. O registro pode ser feito presencialmente em uma Delegacia de Polícia ou preferencialmente pela internet, por meio da Delegacia Online (https://www.delegaciaonline.rs.gov.br/dol).

Texto: Ascom DetranRS
Edição: Secom

IPE Saúde e IPE Prev alertam sobre golpe de oferta de crédito por celular

Alguns usuários têm recebido ofertas falsas de financiamentos em nome do IPERGS – que hoje atende pelas autarquias IPE Prev e IPE Saúde. As mensagens de celular afirmam haver crédito pré-aprovado em nome da instituição.

O IPE Prev e o IPE Saúde reforçam que não fazem nenhum tipo de oferta de financiamentos aos seus usuários.

Em caso de dúvidas, os usuários devem sempre consultar o acesso restrito disponível no site de cada uma das instituições: www.ipesaude.rs.gov.br e http://ipeprev.rs.gov.br.

Texto: Ascom IPE Saúde e IPE Prev
Edição: Secom

DetranRS alerta para golpe de estelionato envolvendo leilões de veículos

Quem deseja participar de leilões deve olhar no site do Detran se realmente o pregão existe

Estelionatários estão usando sites falsos de leilões de veículos para aplicar golpes e ficar com o dinheiro das vítimas. O DetranRS alerta que a população deve ficar atenta, pois mesmo utilizando-se muitas vezes de nomes de leiloeiros credenciados, é possível identificar a fraude a partir de alguns cuidados.

O diretor técnico Fábio Santos explica que esse tipo de golpe é comum e atualmente os criminosos têm se valido dos leilões virtuais para enganar as vítimas, que muitas vezes não estão atentas aos detalhes. “Por isso, achamos importante chamar a atenção de quem deseja participar para que veja em nosso site se realmente o leilão existe e os dados corretos do leiloeiro e dos Centros de Remoção e Depósito participantes antes de qualquer decisão”, alerta Santos.

A autarquia também elenca alguns passos a serem seguidos para saber se o leilão é verdadeiro:

• Pesquisar no site do DetranRS o calendário dos leilões e os participantes, no qual é possível conferir a relação de veículos, data, hora, nome e site do leiloeiro, bem como telefones e endereços dos CRDs;

• Desconfiar de sites de leiloeiros que não sejam hospedados no Brasil (sem o final .br);

• Desconfiar de veículos que pareçam novos ou de concessionárias;

• Pesquisar e agendar visita ao depósito para conhecer o bem pessoalmente;

• Pesquisar a empresa em sites de reclamação;

• Não efetuar o pagamento se a conta for de pessoa física. Nos leilões do DetranRS, o pagamento do valor de arremate se dá na forma de guia própria (GAD-L) com pagamento direto na rede bancária conveniada. Somente o valor da comissão do leiloeiro será pago conforme instruções do mesmo (que fica sempre no item 9.4 do edital).

Quem for vítima desse tipo de golpe deve comunicar o fato à Polícia Civil, por meio de um boletim de ocorrência. O registro pode ser feito presencialmente em uma delegacia ou preferencialmente pela internet, por meio da Delegacia Online (www.delegaciaonline.rs.gov.br/dol).

Texto: Ascom DetranRS
Edição: Secom

Criminosos usam foto de perfil conhecido para aplicar golpe pelo WhatsApp em Crissiumal

Novas tentativas de golpe voltaram a ser aplicadas em Crissiumal e região.

Foto: Rádio Metrópole

Um grande número de crissiumalenses  durante esta semana, informaram  a redação do site metropole1070.com.br, as tentativas de golpes que receberam através do aplicativo  WhatsApp.

Os golpistas tem usado uma foto de um familiar ou conhecido que copiam de algum perfil na rede social ou de outros meios, e colocam em um número de telefone que usam para enviar as mensagens na tentativa do golpe. Em alguns casos, quem recebe a mensagem se concentra apenas na foto de perfil do contato e não observa atentamente que o número não corresponde a verdadeira pessoa.

Outra maneira é o recebimento de mensagem que alguém diz ser um parente avisando que mudou de telefone, e que está enviando o seu novo número e aproveita e pede alguma ajuda financeira.

Entre os pedidos mais comuns, está a solicitação de valores para pagamento de um conserto de carro, emergência familiar ou para completar o valor a ser pago de um boleto bancário.

Em caso de tentativas de um golpe a recomendação é fazer um boletim de ocorrência. A polícia poderá iniciar e coletar dados sobre a frequência do golpe.

Fonte – Rádio Metrópole

Taxista de Três de Maio cai em golpe de estelionatário

Um taxista de Três de Maio, relatou aos policiais da Brigada Militar que foi vítima de um golpe de estelionato. O caso ocorreu no domingo (05).

De acordo com o boletim policial, o profissional estava em casa quando recebeu uma ligação telefônica do número 053 984431407, solicitando que o mesmo deslocasse até uma farmácia para comprar kits de primeiros socorros, fazer recarga de celular e deslocar até a ponte da divisa de Três de Maio com Santa Rosa para levar os kits, onde teria um acidente envolvendo policiais e peritos que estavam dando suporte no combate ao Coronavírus.

O taxista efetuou três recargas para os números 53 991640333, 53 9991000814, 53 991231759, todos da operadora Claro, no valor de R$ 30,00 cada. No momento que estava informando o quarto número, o funcionário da farmácia percebeu algo estranho, e então chamaram a Brigada Militar.

 

*Paulo Marques

PC de Crissiumal divulga imagens de suspeito de golpe e pede auxílio da população

Veja na íntegra

A Polícia Civil de Crissiumal divulgou nesta quinta-feira (13), as imagens de suspeito em tentativa de golpe nesta cidade e solicita aos munícipes que ajudem no reconhecimento do mesmo.

Informações podem ser repassadas junto à Delegacia de Polícia ou pelos telefones 3524-1482 e 3524-1151.

 

*Rádio Metrópole

Criminosos usam nome de famosos para aplicar golpe pelo WhatsApp

Objetivo da ação é roubar a conta da vítima no aplicativo de mensagens e pedir quantias em dinheiro para amigos

Foto: Pixabay

 

Um golpe na internet está usando o nome de pessoas famosas para roubar dados de usuários e praticar extorsões. Os cibercriminosos enviam mensagens simulando ser uma pessoa que trabalha diretamente com artistas e personalidades da TV e convidam para uma suposta festa.

A última vítima foi o apresentador Celso Portiolli que usou sua conta oficial no Instagram para alertar os seguidores e esclarecer o que estava acontecendo.

“Atenção, pessoal, novo golpe! Tão olhando aí nas pessoas que eu sigo, pegando os contatos comerciais no perfil dessas pessoas que eu sigo – tem muitas que são profissionais e tem telefones de contato ali – e estão ligando, dizendo que eu estou fazendo evento e uma festa. É mentira!”, publicou Portiolli.

No fim de novembro, a cantora Preta Gil também avisou os seguidores sobre um golpe que usava seu nome para atrair vítimas.

A estratégia dos criminosos é simular o envio de um código para confirmar a participação no evento. A sequência de numérica, porém, é o código de verificação da conta do WhatsApp da vítima. Dessa forma, aplicativo de mensagens pode ser habilitado em outro aparelho.

Após abrir a conta do app em outro celular, os criminosos enviam mensagens para os números salvos nos contatos para pedir depósito em dinheiro para uma suposta situação de emergência.

A atriz Giovanna Ewbank, a cantora Lexa, o humorista Paulo Gustavo e os sertanejos Henrique e Juliano também tiveram seus nomes envolvidos em golpes aplicados pelas redes sociais e apps de mensagens.

Uma das maneiras para se proteger é usar a verificação em duas etapas. Essa é uma barreira extra de segurança que exige uma senha criada pelo próprio usuário. Assim, mesmo que alguém tenha o código de verificação não é possível acessar a conta.

Siga o passo a passo e a prenda a fazer esse ajuste nas configurações para proteger seu WhatsApp:

Sistema Android:

  1. Em um smartphone com sistema operacional Android, abra o aplicativo do WhatsApp e toque nos três pontos no canto superior direito. Em seguida, abra as configurações do aplicativo.
  2. Na tela seguinte, toque no item conta, que é o primeiro da lista exibida.
  3. Na janela conta, toque em verificação em duas etapas.
  4. Na etapa seguinte, será preciso escolher um código de seis dígitos que deverá ser usada para fazer um novo login em outro aparelho. O WhatsApp pedira para confirmar os números escolhidos.
  5. Também será preciso inserir e confirmar um email para ser usado caso o código de verificação seja esquecido.
  6. Pronto! A conta está mais protegida e será mais difícil para uma outra pessoa acessar sua conta no WhatsApp em um outro dispositivo.

Sistema iOS:

  1. No celular iPhone, o passo a passo é bem parecido. Abra o aplicativo, toque em ajustes e depois em conta.
  2. Na tela seguinte, toque em verificação em duas etapas para iniciar o tutorial.
  3. A próxima etapa é escolher um código com seis dígitos que deverá ser usado em um novo login em outro celular.
  4. Por último, insira um email que deverá ser usado para recuperar a senha.

 

 

Fonte: R7/CP

Estelionatários tentam aplicar golpe na Prefeitura de Sede Nova

Alerta de Golpe

Na manhã desta terça-feira, dia 03 de dezembro de 2019, uma ligação chamou a atenção dos funcionários da Secretaria da Fazenda de Sede Nova.

Por volta das 10h, a Secretaria da Fazenda recebeu uma ligação de uma pessoa não identificada pedindo para fazer a atualização de dados do Banco do Brasil, os funcionários em conversa com o indivíduo logo notaram que se tratava de um golpe, o mesmo pedia para acessar um site, o qual não foi acessado para não ter o perigo de ser hackeados.

Providências cabíveis estão sendo tomadas.

 

*Assessoria de Imprensa

Mulher perde mais de R$ 50 mil no golpe do bilhete premiado em Santa Rosa

 

Foto: Ilustração

Na tarde da terça-feira, 23 de julho de 2019, uma mulher de aproximadamente 70 anos sofreu um duro golpe. Ela caiu no conto do bilhete premiado e pagou mais de R$ 50 mil reais aos bandidos.

A ação dos bandidos ocorreu no centro da cidade de Santa Rosa.

O caso foi registrado na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) e será investigado pela Delegacia de Polícia de Santa Rosa sob o comando do Delegado Marcelo Mendes Lech como estelionato.

O método utilizado pelos estelionatário é o mesmo de golpes anteriores, eles instigam a vítima a comprar um suposto bilhete premiado. Dois homens em um carro preto se aproximaram da mulher.

O golpe teve início quando um dos homens ao abordar a vítima pediu seu endereço e iniciou a conversa sobre o bilhete premiado. Nesse momento o segundo elemento se aproxima para consolidar o golpe. Convencida de que o bilhete era realmente premiado, a mulher foi até um primeiro banco e realizou uma transferência no valor de R$ 50 mil reais. Em outro banco ela efetuou a retirada de R$ 4 mil reais. O suposto prêmio do bilhete era de R$ 992 mil reais e 02 centavos. Para retirar o prêmio ela receberia R$ 400 mil reais.

De acordo com o Delegado, a mulher vítima do golpe já foi ouvida e instaurado um inquérito policial que irá apurar as circunstâncias do golpe. O Delegado Marcelo Mendes Lech, pretende solicitar as imagens de câmeras de monitoramento do local para tentar prender os golpistas. Ele fez uma alerta para que outras pessoas fiquem atentas e não sejam as próximas vítimas desse tipo de golpe.

Fonte: Silvio Brasil

Rádio Metrópole

Novo golpe envolvendo app que envelhece já atingiu cerca de 100 mil pessoas

Oferta falsa de versão premium gratuita do FaceApp é focada em usuários do sistema Android

Aproveitando-se da popularidade recente do FaceApp, aplicativo de manipulação de imagens que bombou novamente nas redes sociais nos últimos dias ao envelhecer rostos, criminosos têm oferecido na internet supostas versões premium do serviço gratuitamente. Trata-se de um golpe no qual cerca de 100 mil pessoas já caíram.

Na realidade, a versão “Pro” do FaceApp é oferecida dentro do próprio app em um sistema de assinatura. Segundo alerta emitido pela empresa de cibersegurança Eset, a versão premium gratuita é oferecida em um site falso que tenta imitar o do FaceApp. O ataque é focado em usuários de Android.

Para obter o suposto app, as vítimas são obrigadas a clicar em anúncios, a preencher pesquisas e a instalar aplicativos pagos. Essas ações ajudam a encher os bolsos dos criminosos, que lucram com a atenção dos usuários ao acompanhar os anúncios. A página ainda pede para ativar notificações no telefone, que levarão a novas ofertas falsas.

Por fim, explica a Eset, é feito o download do FaceApp para o telefone — o mesmo de sempre, não uma versão turbinada, como prometido. O problema: ele não é baixado na loja oficial do Google, o que permitiria aos golpistas instalar vírus no telefone em vez do aplicativo.

De acordo com Daniel Barbosa, pesquisador de cibersegurança da Eset, links para essa página — e outras com atividade semelhante — podem ser encontrados em buscas na internet, bem como em vídeos no YouTube, ou compartilhadas em aplicativos de mensagens como o WhatsApp.

Esse tipo de farsa é comum, e outras com comportamento semelhante devem aparecer. Por isso, deve-se tomar cuidado com o conteúdo enviado por terceiros (e sempre suspeitar).

— É importante adotar ferramentas de proteção, manter o celular atualizado e não clicar em links de correntes — alerta Barbosa.

O FaceApp caiu no gosto do público pela primeira vez em 2018, quando passou a oferecer a opção de “trocar o gênero” dos usuários. Por meio de inteligência artificial, também transformou internautas em crianças.

PRIVACIDADE

Outra ameaça à segurança dos usuários envolvendo o FaceApp diz respeito à privacidade. O app coleta dados pessoais para realizar seus serviços sem deixar explícito qual tratamento dá a essas informações.

A prática é comum a aplicativos do gênero. Especialistas ouvidos pela reportagem, no entanto, dizem não ter encontrado nenhuma irregularidade específica dentro do FaceApp, apesar de criticarem sua política de privacidade.

No documento, o FaceApp diz coletar os dados fornecidos pelo usuário, como as fotos enviadas, com a possibilidade de compartilhar as informações com terceiros.

 

Fonte: ZH/FolhaPress