Posts

AO VIVO : 4º dia de Júri do caso Bernardo

Foto do 4º dia : Eduardo Matos / Gaúcha ZH

Nesta quinta-feira (14) acontece o quarto dia de julgamento dos acusados de assassinar o menino Bernardo Boldrini, em Três Passos. O pai, Leandro Boldrini, e a madrasta, Graciele Ugulini, foram presos pelo crime, assim como Edelvânia e Evandro Wirganovicz — eles respondem por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. De acordo com o Tribunal de Justiça, o julgamento deve durar pelo menos cinco dias.

JÚRI CASO BERNARDO (4 Dia – Manhã)

ATENÇÃO: Depoimento da madrasta Graciele Ugulini abre o quarto dia de depoimentos do caso Bernardo.Acompanhe ao vivo!

Posted by Atmosfera Online on Thursday, March 14, 2019

 

AO VIVO TAMBÉM NO LINK ABAIXO:

http://www.tjrs.jus.br/transmissao/externo.php

 

Em depoimento, madrasta deve inocentar o pai de Bernardo e alegar morte acidental

 

Jefferson Botega / Agencia RBS

Ao depor na manhã desta quinta-feira, no julgamento em Três Passos, a madrasta de Bernardo Uglione Boldrini, Graciele Ugulini, deverá manter a versão que inocenta Leandro Boldrini de qualquer participação na morte do menino. Ontem (13), Boldrini depôs e afirmou que quem planejou e executou o crime foram Graciele e a amiga Edelvânia Wirganovicz. Os três são réus no processo pela morte do garoto, assim como Evandro Wirganovicz.

Apesar da acusação, o advogado de Graciele, Vanderlei Pompeo de Mattos, não fez questionamentos ao réu.

— Só tornaria mais polêmica a manifestação dele. É a versão apresentada por ele. Eu me sustento na versão apresentada pela minha cliente e hoje vai ser o momento dela apresentar a versão dela — explicou Pompeo de Mattos.

É a primeira vez que Graciele falará publicamente sobre o crime. O único depoimento que deu foi à polícia, em 30 de abril de 2014.

— Ela ocultou (de Boldrini) o acidente ocorrido (a madrasta alega que a morte foi acidental). Tanto que a ida à festa (o casal foi em uma festa no sábado, dia 5 de abril de 2014) foi uma forma de dissimular mais ainda. Não contou nada para ele — disse o advogado.

Pompeo de Mattos afirmou que Graciele não pretende silenciar, mas que vai depender da postura do Ministério Público.

— Vejo uma postura odiosa por parte da acusação. Venho lutando há cinco anos, estou com espingarda de pressão e máquina estatal do Judiciário está com um míssil contra nós. É todo um aparato estatal contra um defensor com cliente presa. E essa história de comoção que pregaram? Tchê, sobrou banco no plenário. Não vi uma pessoa se manifestando. Cadê o clamor público? Venderam essa imagem para polemizar o que não existe.

Ele já havia se manifestado pouco antes do início do julgamento, na segunda-feira, afirmando que sustentará a tese de que o crime foi culposo (sem intenção de matar), já que, segundo ele, Graciele teria permitido que o enteado tomasse os medicamentos, que acabaram resultado na sua morte. Essa versão, de que houve um acidente e não um crime, deve ser defendida pelo advogado ao longo dos debates.

A juíza Sucilene Engler avisou os jurados, no final da sessão desta quarta-feira (13), que nesta quinta-feira os trabalhos devem ultrapassar as 19h. A intenção é dar início aos debates entre Ministério Público e defesas, para garantir que o julgamento seja encerrado na sexta-feira.

Fonte: Gaúcha ZH

AO VIVO – Segundo Dia do julgamento do Caso Bernardo

Acompanhe o segundo dia do juri

Foto: Adriana Irion / Gaúcha ZH

O júri do Fórum de Três Passos retoma nesta terça-feira (12) o julgamento dos quatro acusados de assassinar o menino Bernardo Boldrini, morto há quase cinco anos. O pai, Leandro Boldrini, e a madrasta, Graciele Ugulini, foram presos pelo crime, assim como Edelvânia e Evandro Wirganovicz. Eles respondem por homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

De acordo com o Tribunal de Justiça, o julgamento deve durar cinco dias. A Brigada Militar (BM) preparou um esquema de segurança para evitar a aglomeração de pessoas nas proximidades do prédio.

ASSISTA AO VIVO :

http://www.tjrs.jus.br/transmissao/externo.php

 

 

AO VIVO: Começa o julgamento dos réus do Caso Bernardo

Acompanhe o primeiro dia de juri

Réus Leandro Boldrini (D, de camisa amarela), Graciele Ugulini (C, ao fundo), Evandro Wirganovicz (C, de camiseta azul) e Edelvânia Wirganovicz (E, de blusa clara) acompanham primeiro dia de júri no Fórum de Três Passos Foto:Jefferson Botega / Agência RBS

Começou nesta segunda-feira (11), em Três Passos, o julgamento dos quatro acusados de matar o menino Bernardo Boldrini, morto há quase cinco anos. O pai, Leandro Boldrini, e a madrasta, Graciele Ugulini, foram presos pelo crime, assim como Edelvânia e Evandro Wirganovicz. Eles respondem por homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

O site do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ)transmite imagens ao vivo do julgamento.

Para melhor visualização do vídeo utilize os navegadores Chrome ou Firefox .

ACESSE:

http://www.tjrs.jus.br/transmissao/externo.php

 

 

Júri do caso Bernardo Boldrini será transmitido ao vivo pela internet

Montagem sobre fotos / Ricardo Duarte/Agência RBS

O julgamento dos acusados da morte de Bernardo Boldrini será realizado em 11/03/19, no Salão do Júri da Comarca de Três Passos. A sessão terá início às 9h30min e deve durar uma semana, pela sua complexidade.

Serão reunidos 28 testemunhas arroladas e quatro réus para serem interrogados. O júri, presidido pela Juíza de Direito Sucilene Engler Werle, será transmitido ao vivo pela internet e com cobertura no Twitter em tempo real.

Segundo o Ministério Público, aos 11 anos, o menino foi morto pela madrasta, a ex-enfermeira Graciele Ugulini, com a participação do pai, o médico Leandro Boldrini, e dos irmãos Edelvânia e Evandro Wirganovicz, em quatro de abril de 2014.

Graciele obrigou a criança a ingerir alta dose de medicamentos, o que teria provocado sua morte. O corpo de Bernardo foi encontrado 10 dias depois, numa cova, no interior de Frederico Westphalen. Os réus estão presos desde 2014.

Boldrini, que exerceu atividades profissionais em Passo Fundo está na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas.

Graciele e Edelvânia estão no Presídio Estadual Feminino Madre Pelletier, em Porto Alegre. Evandro, que está preso no Presídio Estadual de Três Passos.

 

 

 

 

Fonte: RDPlanalto

Definida a data do júri dos réus do Caso Bernardo

Julgamento será em 11 de março de 2019, e previsão é de que dure até sete dias

Foto: André Ávila / CP Memória

Os quatro réus do processo que apura a morte do menino Bernardo Boldrini, ocorrida em abril de 2014, serão julgados em 11 de março de 2019. A data foi definida nesta terça-feira (11) pela juíza do caso, Sucilene Engler Werle, titular da 1ª Vara Judicial de Três Passos. O júri ocorrerá quase cinco anos depois do assassinato da criança.

 A sessão que julgará Leandro Boldrini (pai), Graciele Ugulini (madrasta), Evandro  Wirganovicz e Edelvânia Wirganovicz (irmãos acusados de participar do crime) começará às 9h30min e será realizada no salão do júri da Comarca de Três Passos.

Em junho, a Sucilene havia solicitado que o júri fosse transferido para Porto Alegre. Na época, ela alegou que a mudança era necessária para garantir a ordem pública, a imparcialidade do julgamento e a segurança dos acusados. O pedido, no entanto, foi negado Tribunal de Justiça, que manteve o julgamento em Três Passos.

Serão ouvidas 28 testemunhas e interrogados os quatro réus. A previsão é de que o julgamento dure até sete dias. Na decisão desta terça-feira, a magistrada manteve o acesso da imprensa ao julgamento. Sucilene também atendeu o pedido dos advogados de Boldrini e determinou que não haja comunicação entre as testemunhas durante o julgamento.

Testemunhas

A defesa do pai de Bernardo solicitou que a imprensa não tivesse acesso aos depoimentos das testemunhas, com o objetivo de manter a incomunicabilidade das mesmas. Ao analisar o pedido, a juíza considerou que isso não seria possível, sob pena de ferir a Constituição Federal

— Assim, se nenhuma lei poderá criar embaraços à liberdade de imprensa, qualquer decisão judicial que restringir tal liberdade estará desamparada de legalidade — ressaltou a juíza.

A magistrada determinou a incomunicabilidade das testemunhas, de forma que elas permaneçam à disposição da Justiça, a contar da data de início do julgamento, até o momento imediatamente posterior às oitivas em plenário.

— Devem as testemunhas comparecer no Foro, na data designada, portando objetos de uso pessoal, roupas e todo o necessário para acomodação em hotéis a serem previamente reservados, lembrando-se que ficarão incomunicáveis até que todas as testemunhas sejam inquiridas — determinou.

Acesso ao julgamento

Segundo o Tribunal de Justiça, o salão do júri da Comarca de Três Passos comportará 70 pessoas, incluindo a imprensa e o público em geral. Senhas serão distribuídas aos interessados em acompanhar o julgamento.

 

Fonte: Gaúcha ZH

Crissiumal – Julgamento de Pernambucano acusado de matar homem com golpes de foice será sexta-feira

Sessão do Júri será sexta-feira em Crissiumal

c4c8a88c617325440ddf7964b3669175

FORUM de Crissiumal

Dionisio de Oliveira Neto, 25 anos(Pernambucano), preso em 22 de fevereiro de 2016 suspeito de assassinato ocorrido no interior de Crissiumal será julgado em Sessão de Julgamento no Forum de Crissiumal nesta sexta-feira, dia 11 de novembro.

Dionísio é acusado do assassinato de Jorge Luiz Espindula Alves, popular “Sete” de 31 anos, morto com golpes de foice, na noite do dia 20 de fevereiro, em uma residência da localidade de Barra do Sussuaiá.

O Pernanbucano está preso no Presídio Estadual de Três Passos.

A Sessão do Júri inicia às 09h30min.

Rádio Metrópole

TJRS decide se acusados da morte do menino Bernardo vão a Júri Popular

Dia decisivo no processo envolvendo a morte de Bernardo/Foto: Reprodução

Dia decisivo no processo envolvendo a morte de Bernardo/Foto: Reprodução

A Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul – TJRS deverá confirmar ou não, na tarde desta quarta-feira, 27, se os réus no processo sobre o assassinato do menino Bernardo Boldrini, em abril de 2014, vão a júri popular. Em primeira instância, a Justiça de Três Passos decidiu que o pai do menino, Leandro Boldrini, sua mulher, Graciele Ugulini, a amiga do casal, Edelvânia Wirganovicz, e seu irmão, Evandro Wirganovicz, serão julgados por homicídio qualificado. Além disso, Leandro responde também por ocultação de cadáver e falsidade ideológica.

Conforme a decisão do magistrado Marcos Luis Agostini, responsável pelo caso no ano passado, há prova da materialidade e indícios suficientes de autoria em relação aos quatro réus. Porém, as defesas recorreram da decisão.

Os réus estão presos e serão julgados pelos crimes de homicídio quadruplamente qualificado (Leandro e Graciele), triplamente qualificado (Edelvânia) e duplamente qualificado (Evandro) e ocultação de cadáver e falsidade ideológica (só Leandro).

A defesa de Leandro afirma que ele não tem qualquer ligação com a morte do filho. Graciele afirma que a morte se deu por acidente, após ela ministrar um calmante ao garoto. Edelvânia confirma o que a amiga alega, mas diz que foi coagida a participar da ocultação do cadáver. Já Evandro nega qualquer participação no crime.

Entenda o Caso Bernardo

Bernardo Uglione Boldrini, de 11 anos, desapareceu no dia 4 de abril, em Três Passos. Dez dias depois, o corpo do menino foi encontrado no interior de Frederico Westphalen, dentro de um saco plástico,enterrado às margens de um rio. Foram presos o médico Leandro Boldrini, a madrasta Graciele Ugulini e uma terceira pessoa, identificada como Edelvânia Wirganovicz. Evandro Wirganovicz, irmão de Edilvânia, também foi preso acusado de participar da ocultação do cadáver. Os quatro foram indiciados e irão a julgamento.

*Três Passos News