Posts

Grêmio para no bloqueio defensivo do Juventude e avança com empate

Golaço de Tardelli foi anulado, mantendo o 0 a 0 no placar

Foto: Ricardo Giusti

O Grêmio tentou atacar, mas sem tanto ímpeto, o Juventude defendeu muito e o empate acabou sendo o único resultado possível, nesta quinta-feira, na Arena. O resultado de 0 a 0 confirmou o Tricolor na semifinal, para enfrentar o São Luiz de Ijuí, no domingo, às 19h. A equipe de Caxias, por sua vez, ao menos evitou nova goleada como a partida de ida, que encerrou em 6 a 0.

O primeiro tempo teve poucos lances de perigo e o momento mais marcante acabou sendo a lesão do zagueiro Marcelo Oliveira. O defensor prendeu o pé no gramado e torceu o joelho, aparentemente com gravidade. Ele passará por um exame de imagem.

A preocupação maior do Juventude, desde o começo, foi de manter uma marcação consistente e evitar nova goleada gremista. Ainda assim, num contragolpe foi o Verdão da Serra que assustou primeiro. Aos três minutos, Caprini lançou Braian Rodriguez nas costas da zaga. Livre, o centroavante tentou o chute no canto direito, mandou para fora.

Somente aos 12 minutos é que o Grêmio testou o goleiro Marcelo, que fez bela defesa. Sem espaço para penetrar, Maicon tentou o chute de primeira, em passe de Leo Moura, mas o goleirão foi buscar no canto direito. Pouco depois, Montoya também obrigou Marcelo a se desdobrar. O atacante cobrou falta de muito longe, cheia de veneno. A bola fez uma longa curva e quase entrou no ângulo. O goleirão se esticou para espalmar.

O Grêmio quase voltou a marcar, novamente, aos 35 minutos. André fez grande jogada, driblou dois e olhou para a área. Tardelli estava marcado e ele passou mais atrás para Luan. O meia-atacante encheu o pé, a bola explodiu em cima do zagueiro.

Lesão grave

Antes do intervalo, uma cena assustadora. Marcelo Oliveira tentou antecipar um atacante e prendeu o pé no chão. O joelho direito do atleta claramente sofreu uma torção e o zagueiro já caiu sentindo muitas dores. Juninho Capixaba entrou no seu lugar, mas foi Cortez o escolhido para improvisar na zaga.

O segundo tempo foi ainda mais escasso em chances de gol do que o primeiro. O Juventude conseguiu se fechar ainda mais, especulando apenas em bolas longas. O Tricolor, tocou a bola com paciência e só chegou com verdadeiro perigo uma vez. Na base da loteria, entretanto, o Juventude quase marcou aos oito minutos. Caprini ganhou na corrida de Cortez e Rômulo, num verdadeiro balão da defesa. Chegaria livre para o gol, mas Julio Cesar saiu na risca da área para antecipar e salvar.

Golaço, mas não valeu

O Grêmio cresceu na metade da etapa e Montoya testou a mira de novo no chute de longe. André fez a parede e ajeitou, o argentino chegou de pé cheio e bateu seco. Passou tirando tinta do travessão. Aos 16, o Tricolor teria aberto o placar, com um golaço de Tardelli. Luan tocou de cavadinha, Tardelli driblou o goleiro ao dominar a bola e fulminou as redes. Só que a auxiliar de arbitragem apontou impedimento, de forma equivocada, anulando o 1 a 0.

Daí para a frente, a partida seguiu em banho maria até os minutos finais. O Tricolor ainda trocou Léo Moura por Marinho e Darlan por Alisson, mas pouco ameaçou. A última estocada foi do Juventude. Dalberto disparou na esquerda e passou de viagem por Maicon. Invadiu a área, mas demorou para chutar e foi prensado pelo goleiro Julio Cesar. Não era noite de gols na Arena.

 

Fonte: Correio do Povo

Em ritmo de treino, Grêmio vence o Veranópolis com dois gols de Marinho

Foto: Fabiano do Amaral

O Grêmio venceu o Veranópolis de forma natural por 2 a 0 na noite desta segunda-feira na Arena em jogo válido pela 8ª rodada do Campeonato Gaúcho. Marinho marcou os dois gols do Tricolor, que jogou quase em ritmo de treino diante do lanterna do Gauchão.

Com a vitória, o Grêmio garantiu matematicamente a classificação para as quartas de final do estadual. Único invicto, o Tricolor tem uma campanha de seis vitórias e dois empates em oito rodadas. A equipe de Renato Portaluppi tem o melhor ataque com 23 gols marcados e a melhor defesa, com apenas um gol sofrido. Mas agora o foco muda para a Libertadores. O próximo compromisso do Grêmio será a estreia na competição, no dia 6 de março diante do Rosario Central na Argentina.

Grêmio joga para o gasto e abre o placar

O confronto entre Grêmio e Veranópolis reuniu times em situações completamente opostas no Campeonato Gaúcho. De um lado, o líder Tricolor de campanha invicta, com melhor ataque e melhor defesa. Do outro, um VEC sem nenhuma vitória ainda e na lanterna do estadual. A diferença entre as duas equipes ficou clara desde o começo da partida. O Grêmio nem precisou apresentar uma grande atuação para ter o domínio completo do jogo. O Tricolor teve a posse de bola rondando os 70% ao longo de todo o primeiro tempo e Paulo Victor fez apenas intervenções nos primeiros 45 minutos.

O domínio do Grêmio, porém, não se refletiu em muitas chances de gol. O Tricolor em alguns momentos tocou a bola sem muita objetividade. As primeiras finalizações foram de Everton e Marinho, mas para defesas tranquilas de Reynaldo.

Marinho, por sinal, era o jogador mais aceso na partida. O atacante chamava para si a responsabilidade de tentar criar espaços na marcação do Veranópolis e foi cavando faltas próximo da área adversária. A iniciativa de Marinho acabou premiada aos 28 minutos. Maicon apareceu pelo lado esquerdo e fez um bonito cruzamento em curva. Marinho se antecipou a Iago e cabeceou para abrir o placar na Arena.

Mesmo com o gol do Grêmio, o Veranópolis seguiu marcando no seu campo e quase não saiu ao ataque. Uma rara tentativa ocorreu com Juba, que arriscou da intermediária e mandou para fora aos 33. Aos 41, Juba tentou de novo em cabeçada, que saiu fraca e Paulo Victor pegou sem muita dificuldade. O Grêmio ainda chegou mais duas vezes no primeiro tempo em faltas batidas por Luan, mas Reynaldo faz a defesas em ambos lances.

Marinho marca mais um e define a vitória

O Grêmio voltou sem mudanças para o segundo tempo. No Veranópolis, o técnico Hélio Vieira mexeu no ataque com Túlio Renan no lugar de Macena. Túlio Renan mostrou iniciativa nos primeiros minutos. Aos 3, ele partiu para cima da marcação de Michel, passou e conseguiu a finalização para a primeira defesa de maior dificuldade de Paulo Victor na partida.

A tentativa de reação do Veranópolis, contudo, durou pouco. Aos 9, Marinho voltou a aparecer. Ele recebeu na direita e cruzou em curva, a bola passou pelos zagueiros e enganou o goleiro Reynaldo, 2 a 0 para o Tricolor.

Se o Grêmio já não tinha acelerado muito no primeiro tempo, com o segundo gol de Marinho o ritmo ficou mais lento na etapa final. O Tricolor manteve o controle com muitas trocas de passes sem tanto objetivo. Os jogadores do Veranópolis apenas corriam atrás da bola e só conseguiam tocar nela para fazer os cortes quando o Grêmio tentava uma jogada de infiltração com passe ou cruzamento para a área.

Com o cronômetro passando dos 30 minutos, Renato Portaluppi usou o banco. Primeiro, Jean Pyerre e Montoya entraram nos lugares de Luan e Marinho. Depois, Maicon saiu para a entrada de Matheus Henrique. Com três novos jogadores, o Grêmio deu uma acelerada no ritmo. Aos 37, Everton recebeu na entrada da área e arriscou um chute que passou perto da trave esquerda de Reynaldo. Nos acréscimos foi a vez de Matheus Henrique chutar e o gol não saiu por boa defesa do goleiro do VEC.

O placar já estava definido com 2 a 0, graças aos gols de Marinho, o destaque da noite na Arena.

 

Fonte: Correio do Povo

Em vantagem, Grêmio recebe River em busca de vaga na final da Libertadores

Tricolor venceu a partida de ida por uma zero na Argentina

É hora de definir a primeira vaga na final da Libertadores. Na noite desta terça-feira (30), o Grêmio recebe o River Plate para a segunda partida da semifinal.

Com a vantagem mínima conquistada na primeira partida, o Tricolor Imortal joga pelo empate por qualquer placar. Para o River, apenas uma vitória por dois gols de diferença coloca o time argentino na final. Vitória por um gol de vantagem, desde que marque pelo menos dois, também dá a vaga aos argentinos.

O jogo deve ter lotação máxima na Arena. Com ingressos esgotados, a expectativa é quem mais de 50 mil gremistas compareçam para acompanhar a partida.

Luan segue como desfalque por conta de uma lesão. Em contrapartida, Everton Cebolinha, que desfalcou o time gaúcho no primeiro jogo, retorna ao time. Renato Portaluppi, no entanto, fez mistério e não revelou os onze titulares que iniciam a partida.

A bola rola para Grêmio e River Plate a partir das nove e quarenta e cinco da noite, horário de Brasília.

*Agência do Rádio

Grêmio empata com Atlético-MG e é campeão da Copa da Brasil 2016

Bolaños, aos 43 do segundo tempo, marcou para o Tricolor e Cazares, nos descontos, deixou tudo igual

thumb

Grêmio empata com Atlético-MG e é campeão da Copa da Brasil 2016 | Foto: Mauro Schaefer

É CAMPEÃO. É CAMPEÃO. É PENTACAMPEÃO. O Grêmio é o Rei das Copas. A Copa do Brasil 2016 é azul, preta e branca. Na noite desta quarta-feira, 7 de dezembro de 2016, 55 mil torcedores presenciaram a redenção de um clube. Fim do jejum. O time de Grohe, Geromel, Maicon, Douglas e Luan, treinado pelo mito Renato Portaluppi conquistou a Copa do Brasil 2016, a quinta do Grêmio. Do rosto dos jogadores escorre suor e lágrimas. Torcedor gremista, encha os pulmões e solte o grito preso há anos na garganta: É CAMPEÃO. Bolaños, aos 43 do segundo tempo, de perna esquerda, após jogada de Éverton, marcou o gol tricolor. Cazares, do meio de campo, encobriu Grohe e deixou tudo igual, mas a taça já tinha dono: Grêmio.

Tensão nos primeiros 45 minutos

A escalação do Atlético-MG deixou o time mineiro mais compacto e liberou a ação dos laterais. O Grêmio teve dificuldades para, quando com a posse de bola, conseguir trocar passes em velocidade e encaixar um contragolpe. O Galo se movimentava bastante pelo meio com Rafael Carioca, Leandro Donizete, Junior Urso e Luan. Walace, Ramiro e Maicon não conseguiam encaixar a marcação. O Atlético-MG, aos 4 minutos, teve a primeira chance. Junior Urso, de cabeça, após cruzamento da esquerda. O Tricolor, tenso, ficava atrás da linha da bola. Aos 8, Lucas Pratto arriscou de fora da área. Bola no canto. Grohe, bem posicionando, só acompanhou. Aos 12 foi a vez de Luan arriscar de longe. Para fora.

A torcida sentia a equipe nervosa e com dificuldade de sair para o contra-ataque. Passou a incentivar mais e fazer a Arena sacudir. O Grêmio respondeu dentro de campo. Aos 18, time partiu em contra-ataque pela direita. Luan foi derrubado perto da área. Douglas bateu a falta por cima. Aos 22, Ramiro e Edílson trocam passes até a bola sobrar para Maicon. O capitão chutou forte. A bola explodiu na defesa e saiu.

O Atlético-MG voltou a fazer suar frio os torcedores gremistas aos 26. Em jogada pela equerda, rolou para Rafael  Carioca que fez o corta-luz, mas ninguém arrematou. Dois minutos depois, Robinho, de cabeça, assustou. O Grêmio deu seu primeiro chute no gol aos 36. Recebeu na esquerda, cortou o marcador e bateu. Victor fez a defesa. Aos 40 minutos Douglas, de calcanhar, passou para Éverton. O atacante invadiu a área e cara a cara com o goleiro  chutou fraco. Victor fechou bem o ângulo e defendeu.

Grêmio controla o jogo

O Grêmio seguiu o mesmo script. Atrás da linha da bola, fechando os espaços e tentando o contra-ataque. A torcida empurrava o time. Pela esquerda, o time chegava com perigo. O Galo tentava responder, mas não conseguia mais a mesma força. O Tricolor passou a ficar no campo ofensivo. Aos 11, Edílson bateu falta direto. Victor tirou de soco. No lance seguinte, Luan, de fora da área, mandou no canto. O goleiro fez a defesa. O Galo sentiu a parte física. Passou a ter dificuldades na armação das jogadas. Bem posicionado, ocupando cada canto do campo, o Grêmio seguiu cadenciando a partida e alfinetando a zaga mineira. Luan, aos 17, após receber de Ramiro mandou por cima. Na tentativa do abafa, no cruzamento para a área do Grêmio, Grohe sai da meta para defender o toque de cabeça. Aos 35, Marcelo Oliveira cruzou para Éverton, que desviou, de leve, mas Erazo mandou para escanteio. O Galo estava atordoado sem saber o que fazer e cansado. Via os gremistas tocarem a bola. Bolaños, após jogada com Éverton, marcou para o Grêmio. Cazares, do meio da rua, acertou o gol. Tudo igual.

O Grêmio foi guerreiro, sim. Lutando pela bola, pelo gol e defendendo sua meta como leões. Um time campeão precisa de jogadores que saibam pensar. O Grêmio tem. Douglas, cerebral. Maicon, regente. Walace, guarda-costas. Kanemann, silencioso, impecável. Geromel, invísivel. A verdade é que o Grêmio campeão nunca foi 11. Trata-se de um grupo vencedor. Cada um na sua, articulados, monitorando o adversário, até recuperar a bola. O Atlético-MG não conseguiu jogar, o time de Renato suprimiu os espaços, cortou o passe e eliminou a aproximação dos meias e dos atacantes atleticanos.

Essa conquista carrega uma lição de vida. O Grêmio foi humilhado pelo jejum e a partir deste título atinge uma nova dimensão, se transfigura e volta a ser o que todo torcedor gremista almeja: ser campeão. O Grêmio está no seu devido lugar: no topo, com a taça no armário, medalha e faixa no peito. Este é um time campeão, e podem apostar, pegaram o gosto, deu para perceber. O escritor uruguaio Eduardo Galeano escreveu que o fanático é o torcedor no manicômio. Na noite desta quarta, a fanática torcida gremista, em êxtase com o título, transformou a Arena no maior manicômio do Brasil. Libertadores 2017, aí vai o Grêmio.

Ficha técnica

Grêmio 1

Marcelo Grohe; Edilson, Geromel, Kannemann, Marcelo Oliveira; Walace, Maicon, Ramiro (Jailson), Douglas (Miller Bolaños); Everton (Fred) e Luan

Técnico: Renato Portaluppi

Atlético-MG 1

Victor; Marcos Rocha, Gabriel, Erazo, Fábio Santos; Rafael Carioca, Leandro Donizete (Cazares), Júnior Urso

(Maicosuel) Luan (Lucas Cândido); Robinho e Lucas Pratto

Técnico: D. Giacomini

Árbitro: Luiz F. de Oliveira (SP).

Local: Arena do Grêmio

Público: 55.337 (52.233 pagantes)

Renda: R$ 5.105.964,00

Gols: Bolaños (G) e Cazares (A)

*CP

Grohe vai de vilão a herói e Grêmio supera o Atlético-PR nos pênaltis

Goleiro falhou na derrota por 1 a 0, mas garantiu Tricolor nas quartas da Copa do Brasil

thumb

Goleiro falhou na derrota por 1 a 0, mas garantiu Tricolor nas oitavas da Copa do Brasil com três defesas de penalidades | Foto: Mauro Schaefer

O Grêmio sofreu muito mais que esperava na estreia de Renato e precisou vencer nos pênaltis para avançar às quartas de final na Copa do Brasil. O Atlético-PR aproveitou um erro do goleiro gremista para marcar o 1 a 0 e o Tricolor cansou de desperdiçar oportunidades e teve que definir a vaga nas penalidades. Vilão nos 90 minutos, Grohe foi o herói das cobranças, pegando três penalidades para garantir o 4 a 3. Agora, o foco retorna ao Brasileirão, domingo contra a Chapecoense às 16h, na Arena. Na Copa do Brasi, aguardará o sorteio da próxima fase.

Sob o comando de Renato pela primeira vez, o Grêmio começou bem a primeira etapa, pressionando o Atlético-PR no seu campo. Após perder duas boas chances, contudo, uma falha de Marcelo Grohe colocou tudo em suspense, com o gol do Furacão e muito a remar a partir daí.

Logo aos quatro minutos, Douglas recebeu de Maicon e enfiou para Henrique Almeida na cara do gol. Apenas com o goleiro para superar, ele bateu no canto direito, mas errou por muito em tiro de meta.

Furacão avança e abre o placar

Aos 13, Douglas cobrou falta na área com efeito, Weverton afastou esquisito e Luan dominou na entrada da área. Ele cruzou rasante para Marcelo Oliveira, mas o goleiro do Furacão se antecipou para pegar firme.

Marcelo Oliveira tentou de novo aos 18, ao receber passe de Douglas na esquerda. Na corrida, chutou forte, mas isolou. Dez minutos depois, veio o castigo numa falha clamorosa do goleiro gremista. Hernani mandou um cruzamento fraquinho na área, Marcelo Grohe tentou pegar e deixou escapar. A bola caiu no pé de André Lima que fulminou para o fundo das redes do seu ex-clube.

O Grêmio sentiu e deixou de apertar o Furacão, mesmo sob a ameaça de ter que decidir o avanço nas penalidades. A partir daí, os lances de gol foram nas sobras de bola, de fora da área. Marcelo Oliveira tentou um voleio, no cruzamento de Edilson, mas mandou por cima. Luan recebeu na direita e chutou com pouco ângulo, para boa defesa de Weverton e assim terminou a primeira etapa. Muitas vaias na Arena.

Renato troca e Grêmio perde gols

Na volta do intervalo, o Grêmio foi para a pressão e Renato fez trocas. Henrique Almeida e Pedro Rocha deram lugar a Guilherme e Batista. Henrique Almeida saiu do gramado sob muitas vaias e trocou ofensas com a torcida, gesticulando.

Dentro do gramado, aos cinco minutos, Luan recebeu na direita, cortou para o meio e chutou forte, mas encobriu a meta de Weverton. Aos 9, Maicon rolou bola para Walace, que chutou de longe, no canto direito, para defesa de Weverton.

Guilherme e Batista deram muito mais ação pelas pontas, mas também mostraram erravam a mira. Guilherme perdeu aos 20 minutos, chutando da meia-lua. Depois, foi lançado na área por Douglas e chutou cruzado e mandou tirando tinta do poste esquerdo.

Aos 30, Guilherme driblou o zagueiro, saiu de frente para Weverton, mas chutou em cima do goleiro. Seis minutos depois, ele fez a assistência para Luan, que chutou cruzado, com Weverton já no chão, mas mandou para fora. Aos 44 Edilson cruzou no segundo pau, Marcelo Oliveira subiu sozinho, mas mandou de nuca para fora. Fim de papo. A vaga foi mesmo para a decisão na marca da cal.

Drama e show de Grohe

As cobranças de penalidades foram dramáticas como poucas vezes se viu na Arena. Maicon marcou 1 a 0 e Thiago Heleno igualou. Edilson mandou uma paulada no meio do gol e definiu o 2 a 1. Grohe começou a brilhar na cobrança seguinte, ao defender a batida de João Pedro no meio do gol.

A partida daí, contudo, começou o sofrimento. Walace bateu mal, no canto esquerdo, e Weverton defendeu. Marcelo conseguiu tirar com o pé a cobrança de Otávio, mas aí foi a vez de Douglas cobrar ainda pior para nova defesa do goleiro paranaense.

O Grêmio ainda tinha a vantagem e Zé Ivaldo isolou a bola no alto. Só que Luan, com a chance de definir, bateu fraco para nova defesa de Weverton. Hernani deslocou Grohe e igualou para 2 a 2, garantindo as cobranças alternadas. Para não deixar a pressão mudar de lado, Marcelo Oliveira guardou, mas o Furacão respondeu no 3 a 3 com Marcos Guilherme. A torcida gelou quando Kannemann isolou. Weverton chamou a responsabilidade e pediu para bater, mas Marcelo Grohe não deixou passar.

Suor na testa, sem unhas para roer, a torcida do Grêmio acompanhou Guilherme confirmar o 4 a 3. Paulo André pegou pouca distância, Grohe encarou e o zagueirão mandou na trave. Aí foi só correr para o abraço.

Copa do Brasil – Oitavas de final

Grêmio 0 (4)

Marcelo Grohe; Edílson, Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Walace, Maicon e Douglas; Pedro Rocha (Batista), Henrique Almeida (Guilherme) e Luan. Técnico: Renato Gaúcho.

Atlético-PR 1 (3)

Weverton; Paulo André, Thiago Heleno e Zé Ivaldo; Léo, Otávio, Hernani, Pablo (João Pedro) e Nicolas; Luan (Juninho) e André Lima (Marcos Guilherme). Técnico: Paulo Autuori.

Gol: André Lima (29min/1ºT).

Cartão amarelo: Henrique Almeida (G).

Árbitro: Vinícius Furlan (SP).

Público: 13.909.

Local: Arena do Grêmio.

 

Fonte: CP

Nervosismo atrapalhou o Grêmio, diz James Freitas

Técnico interino vê retomada da confiança como fundamental para time voltar a vencer

thumb

Grêmio foi derrotado pelo Fluminense por 1 a 0 na Arena | Foto: Guilherme Testa

 

O nervosismo gerado pelo momento ruim do Grêmio no Campeonato Brasileiro foi determinante para a derrota para o Fluminenseneste domingo na Arena. Essa foi a análise do técnico interino James Freitas em entrevista coletiva após a partida.

“Sofremos o gol em um contra-ataque no final do primeiro tempo, mas era um risco que tínhamos que correr. Acabamos sofrendo o gol. A equipe tinha criado antes de sofrer o gol. A fase não é boa, o que gera uma certa ansiedade e acabamos não finalizando no melhor ângulo em algum momento em razão desse momentos”, disse James Freitas.

“O decréscimo técnico se dá muito em função do momento. Nós não conseguimos nos reencontrar. O time até alterna bons e maus momentos dentro dos jogos. Acontece que nos momentos ruins acabamos sofrendo gols e aí não tem a força para recuperar”, analisou.

Com a derrota de 1 a 0 para o Fluminense, o Grêmio chegou ao sétimo jogo sem vitória no Campeonato Brasileiro. Nesta segunda-feira, Renato Portaluppi será apresentado como novo técnico. James Freitas, que seguirá na comissão técnica, acredita que o Tricolor vai recuperar o bom futebol com a retomada da confiança.

“O Grêmio já passou por bom momentos neste campeonato, tivemos algumas grandes atuações. A gente é capaz de fazer. Isso já tem sido conversado internamente. O time ainda não conseguir reencontrar esse momento, mas isso pode acontecer”, finalizou.

Fonte: CP

Grêmio dá vexame, é goleado pelo Coritiba e se afasta do G-4

Equipe paranaense dominou completamente o time de Roger Machado

Foto: JOKA MADRUGA / FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Foto: JOKA MADRUGA / FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Até a noite desta quarta-feira, perder fora de casa era a incômoda rotina na vida do Grêmio. Na goleada por 4 a 0 para o Coritiba, no Estádio Couto Pereira, o time agregou o fator fiasco a sua campanha longe de seus domínios. Vitimado por um completo desajuste de todas as peças, escapou de sofrer ainda mais gols e distanciou-se não apenas da liderança, seu principal objetivo, mas até mesmo do G-4. Domingo, agora sob a desconfiança de sua própria torcida, buscará a recuperação contra o líder Palmeiras, de quem está a 10 pontos de distância. Foi a pior derrota sob o comando de Roger Machado.

Quem poderia prever um desastre tão grande se, logo a sete minutos, o Grêmio esteve bem perto de marcar em chute de Henrique Almeida que atingiu o corpo de Juninho, depois de cruzamento de Edílson? No começo do jogo, nada indicava um dos maiores fiascos do time nos últimos Brasileirões. Com os três volantes adiantados, o time ocupava com autoridade a intermediária adversária. A 14 minutos, Marcelo Oliveira reclamou de pênalti quando seu cruzamento bateu no braço direito de Wallison. Aos 18, Jaílson tentou de longe, para fora. Um minuto mais tarde, Douglas roubou a bola de Juninho na intermediária e tentou por cobertura.

Em 17 minutos, no entanto, o chão se abriu sob os pés dos jogadores do Grêmio. Foi o espaço de tempo em que o Coritiba construiu a inesperada diferença de quatro gols, fato que serviu para definir a partida ainda no primeiro tempo. Aos 21, Juan cobrou falta alto na direção da área e Wallison Maia, tirando proveito do vacilo de Wallace Reis e da indecisão de Marcelo Grohe ao sair, marcou de cabeça. Foi 0 26] gol de bola aérea sofrida pelo time na temporada. Aos 30, quase a repetição do segundo gol do Botafogo, domingo. Raphael Veiga aproveitou falha de Ramiro e fez passe longo para Leandro. Dentro da área, o ex-atacante do Grêmio chutou cruzado, sem chance para Grohe. Roger pressentiu o desastre e trocou Ramiro por Pedro Rocha. O atacante mal havia pisado o gramado e Raphael Veiga, às costas de Wallace Reis, ampliou para 3 a 0 com um chute rasteiro. Por fim, a 38, Neto Berola, depois de falta mal batida por Douglas, driblou Wallace Reis e fez 4 a 0.

Em pânico, o Grêmio lançou-se a frene de todas as formas, até mesmo com Geromel travestido de zagueiro, o que deixava a equipe exposta a um fiasco ainda maior. Na última jogada do primeiro tempo, Henrique Almeida, lançado por Douglas, atrapalhou-se na frente do goleiro Wilson.

Nervoso, Luan puxou Wallace Reis e Walace pelo braço no instante em que os dois haviam parado para dar entrevistas a caminho do vestiário. Seu gesto refletia o abalo emocional de um time que começa a ver ruir o sonho do título.

No desespero, Roger Machado trocou Henrique Almeida por Kanneman no intervalo e apostou em três zagueiros para reforçar sua defesa. Mas quase viu a equipe sofrer o quinto gol aos dois minutos, quando Marcelo Grohe salvou chute de Raphael Veiga, após nova falha de Wallace Reis.

Disposto a reduzir a diferença, o Grêmio desconsiderou qualquer estratégia tática e lançou-se todo a frente. Teve um gol de Marcelo Oliveira bem anulado e mais do que isso não fez. Como exibia os habituais defeitos de conclusão, abria-se para os velozes contra-ataques do Coritiba. Lentos, Walace e Jaílson eram ultrapassados com velocidade e expunham os últimos ao confronto direto com os atacantes. Na frente, só Pedro Rocha tinha alguma lucidez. Não havia mesmo como mudar um roteiro trágico.

Fonte: ZH

Bobô marca aos 47, e Grêmio vence o Figueirense por 2 a 1 na Arena

Tricolor emplacou 3ª vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro
1468166858_87
O Tricolor segue na caça aos líderes. Após bater o Santos e o Inter, o Grêmio emplacou a terceira vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro. Na manhã deste domingo (10), os gaúchos venceram o Figueirense por 2 a 1 diante dos mais de 36 mil torcedores presentes na Arena.
Walace abriu o placar, aos 44 minutos do primeiro tempo. Aos 30 da etapa complementar, Ayrton descontou para os catarinenses, e Bobô, já nos acréscimos, deu números finais ao confronto.
Com o triunfo, a equipe gaúcha soma 27 pontos e permanece na terceira colocação. São quatro pontos a mais que o Flamengo, que ocupa, atualmente, o quarto lugar e um a menos que os líderes Palmeiras (que enfrenta o Santos na terça-feira) e Corinthians (que venceu a Chapecoense por 2 a 0 ontem). Os adversários de hoje têm 15 e estão na zona de rebaixamento.
No próximo fim de semana, as equipes voltam a entrar em campo pela competição nacional. No domingo (17), os comandados do técnico Roger enfrentam o Sport na Ilha do Retiro. No mesmo dia, os catarinenses têm clássico contra a Chapecoense no estádio Orlando Scarpelli.
PRIMEIRO TEMPO
Já no minuto inicial, a partida teve um lance polêmico. Giuliano dominou dentro da área e chutou em cima de Werley, que abriu o braço para interceptar a conclusão do meia. Os gremistas pediram pênalti, e o árbitro mandou o jogo seguir. No minuto seguinte, Rafael Moura bateu de fora da área, mas pegou muito embaixo da bola e mandou pela linha de fundo. Bady, aos sete, finalizou com estilo, tirando tinta da trave.
Aos 17 minutos, Fred cobrou falta sobre a meta alvinegra. Dez minutos depois, Douglas foi servido por Everton e arriscou da intermediária. A conclusão saiu defeituosa. No minuto seguinte, o atacante do tricolor experimentou, e o goleiro do time catarinense defendeu em dois tempos. Everton, novamente, aos 34, disparou de canhota, e Thiago Rodrigues fez a intervenção.
Nos últimos minutos da primeira etapa, só deu Grêmio. Primeiro, com Edílson aos 38, que levantou a torcida gremista. Depois, com Giuliano de cabeça, para nova defesa do goleiro do Figueira. Tamanha insistência foi convertida em bola na rede aos 44 minutos. Walace acertou um chutaço de longe e abriu o placar na Arena.
SEGUNDO TEMPO
O Tricolor seguiu propondo o jogo na etapa complementar. Logo aos dois minutos, Everton balançou o marcador e bateu colocado. Thiago Rodrigues foi no cantinho e impediu o que seria o segundo gol gremista. Luan, aos 11, finalizou, exigindo nova defesa do arqueiro do Figueirense. No minuto seguinte, Douglas, de canhota, botou o goleiro para trabalhar.
Aos 19 minutos, Luan, livre e da entrada da área, chutou e mandou pela linha de fundo. Essa foi a última participação do atacante, que sete minutos depois foi substituído por Miller Bolãnos. Logo na primeira oportunidade, o equatoriano finalizou levando perigo à meta alvinegra.
“Quem não faz, leva”. Após empilhar chances de gol, o Grêmio foi surpreendido pelo adversário. Aos 30 minutos, Ayrton acertou bela finalização e recolocou a igualdade no placar.
Aos 40, Jocinei deu novo susto no torcedor gremista. O volante arriscou de longe, e Grohe acompanhou a saída da bola. Quando tudo parecia se encaminhar para o empate, Bobô, aos 47, marcou o segundo gol e decretou a vitória tricolor.

Fonte: Rádio Gaúcha

Edilson projeta arrancada do Grêmio no segundo turno

Lateral alerta para janela de transferências, mas garante Tricolor na luta pelo título

thumb (1)

Lateral alerta para janela de transferências, mas garante Tricolor na luta pelo título | Foto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação CP

 

A vitória no Gre-Nal deu motivação para os gremistas, mas nada de acomodação para o lateral-direito, Edilson. Ele analisou que a luta do Grêmio é para se manter perto do topo até a virada do turno. “Precisa se manter ali na frente e não deixar os líderes se distanciarem. No segundo turno sim, precisa ultrapassar ou abrir e fazer uma arrancada para o título”, relatou em entrevista à Rádio Guaíba nesta quarta-feira.

“O objetivo final é de ser campeão, mas não pode deixar de entender que o Brasileirão é muito difícil, com equipes de altíssimo nível”, acrescentou o lateral. “Vamos projetar jogo a jogo, deixamos para trás o Inter e teremos agora um jogo muito difícil contra o Figueirense, mesmo sendo em casa”, sublinhou Edilson.

Ele frisou que, por enquanto, não há favoritos no campeonato. “A janela de transferência pode mudar várias equipes, até mesmo a nossa”, alertou. “Às vezes as propostas chegam e fica muito difícil de segurar”, ponderou. “Depois, teremos as equipes montadas para o fim do campeonato e poderemos avaliar as chances de título.” Edilson afirmou, contudo, que o Grêmio estará lá na frente brigando. “Com certeza”, enfatizou.

Fonte: Correio do Povo

Douglas marca e Grêmio vence Gre-Nal no Beira-Rio

Tricolor segurou vitória de 1 a 0 contra Inter

thumb

Douglas marcou o gol do Grêmio | Foto: Fabiano do Amaral

Não teve trator que parou o Grêmio na manhã deste domingo e, com um gol de Douglas, o Tricolor derrotou o Inter por 1 a 0, em sua primeiroa vitória em Gre-Nal na casa do rival desde a reinauguração do estádio Beira-Rio. O único gol do jogo foi marcado aos 19 minutos do primeiro tempo. Na etapa final, os colorados se atiraram ao ataque, mas não conseguiram a igualdade.

Com este resultado, o Tricolor chegou ao segundo lugar do Brasileirão, ao menos de forma provisória, com 24 pontos. O Colorado permaneceu por ora em quarto lugar com a terceira derrota consecutiva, mas pode ser ultrapassado no decorrer da rodada, mantendo-se estacionado com 20 pontos.   O próximo compromisso do Inter será contra o Santa Cruz em Recife, no domingo que vem, às 16h. Já o Grêmio irá receber o Figueirense na Arena, em nova partida às 11h.

Eficiência gremista faz a diferença 

O primeiro tempo do Gre-Nal matutino deste domingo foi bastante movimentado, com ações ofensivas de parte a parte. Apesar de estar fora de casa, o Grêmio foi o time mais efetivo dentro de campo e começou a mostrar logo no começo do jogo. Aos quatro minutos, Luan apareceu na esquerda e arriscou um chute colocado fora da área que quase pegou Muriel desatento. A intenção era encobrir o goleiro colorado, o que não ocorreu por causa da trajetória da bola, que foi para fora.

O Inter respondeu com a sua arma mais forte a bola área. Aos nove, Seijas bateu escanteio e a bola encontrou Paulão, que ganhou da defesa gremista e cabeceou. Para azar do time de Argel, a tentativa passou por cima do gol defendido por Marcelo Grohe.

Até os 15 minutos, o jogo parecia equilibrado, embora o Grêmio conseguisse organizar melhor suas jogadas ofensivas, principalmente com Everton e Luan. Aos 19, o Tricolor conseguiu a vantagem em uma bela jogada da dupla. Everton foi lançado na esquerda e bateu forte e rasteiro. Muriel deu rebote para o meio da área e Douglas, mesmo marcado, conseguiu empurrar a bola para o fundo das redes.

À frente no placar, o Grêmio ficou mais à vontade para explorar as fragilidades do Inter. Com muitos erros de passe, o Colorado não conseguia manter a bola no ataque e propiciava a chegada quase que constante do rival, que por pouco não ampliou logo depois. Em outro grande jogada, aos 32 minutos, Everton, agora destaque da etapa inicial, ganhou na base da garra de William e ingressou na área. Ao invés de bater, o garoto resolveu servir Douglas, que bateu forte de perna esquerda contra o gol de Muriel. Para a sorte do Inter, a bola ganhou altura e não terminou nas rede.

A rigor, o Grêmio não dominou o primeiro tempo, mas soube aproveitar melhor as chances ofensivas. A desvantagem e a falta de ofensividade obrigou Argel a modificar o time ainda no primeiro tempo, com a entrada de Gustavo Ferrareis na vaga de Fernando Bob.

O meia-atacante entrou bem, no entanto nem a sua presença ao lado de Sasha e Vitinho fez a diferença no setor ofensivo. O clássico, como sempre disputado, teve até um desentendimento forte entre Fred e Edilson, que discutiram após um ataque colorado. Os dois tiveram de ser acalmados pelo árbitro Dewson Freitas, que preferiu apenas dar advertência verbal.

Inter pressiona, mas Grêmio resiste

O Inter voltou para o segundo tempo com posicionamento mais ofensivo e pressionando o Grêmio no campo de ataque. O time de Argel adotou uma postura totalmente diferente da etapa inicial, tanto que com apenas cinco minutos já havia conseguido três escanteios em sequência. O melhor momento da equipe colorada, porém, só apareceu aos 11 minutos. Gustavo Ferrareis partiu da intermediária com bola dominada e arriscou o chute. A bola passou muito perto do gol de Marcelo Grohe.

Quatro minutos depois, o Inter encontrou a sua primeira grande chance de gol. Após o rebote de um escanteio, a bola foi lançada na área para Paulão. Curtindo uma de ponta, o zagueiro passou por Thyere e ficou cara a cara com Grohe. Ele bateu colocado e a bola passou perto da trave esquerda.

O Inter buscava o primeiro gol e o Grêmio tinha dificuldades para reagir e nem de longe lembrava o time da primeira etapa. O relógio marcava 20 minutos e o time de Roger ainda não havia atacado. Com a intenção de aumentar ainda mais a intensidade do seu time, Argel promoveu a entrada de Valdívia. Já Roger, ao ver a equipe desacertada ofensivamente, tirou Douglas e colocou Bolaños.

Aos 29 minutos, o Inter quase chegou ao empate depois que o William foi à linha de fundo e cruzou. No meio da zaga gremista, Ferrareis se esticou todo para concluir o lance, mas a bola morreu mansa nas mãos de Marcelo Grohe. Em uma nova série de modificações, Roger resolveu colocar mais fôlego no Grêmio com as entradas de Ramiro e Pedro Rocha, nos lugares de Jaílson e Everton. As substituições garantiram ao Tricolor ao menos a possibilidade de evitar a pressão que o Colorado imprimiu na primeira metade da etapa complementar.

A pressão do Inter arrefeceu a partir dos 30 minutos, mas voltou com tudo aos 40. A primeira chance veio com Vitinho, que passou por dois marcadores e chutou rasteiro. A bola desviou na zaga e quase enganou Grohe. Na sequência, em um escanteio cobrado por Valdívia, Anderson cabeceou e quase empatou a partida.

O Grêmio deu a resposta minutos depois com Pedro Rocha. Aos 46 minutos, o atacante passou por dois jogadores do Inter e teve a chance de marcar o segundo. No entanto, ao chegar na área, ele arriscou o chute e Muriel fez a defesa, que não impediu a grande festa dos jogadores do Grêmio ao apito final da partida – paralela à forte vaia da torcida colorada.

Brasileirão 2016 – 13ª rodada

Inter 0

Muriel; William, Paulão, Ernando e Artur; Fernando Bob (Gustavo Ferrareis), Dourado, Fabinho e Seijas (Valdívia); Eduardo Sasha (Anderson) e Vitinho. Técnico: Argel Fucks.

Grêmio 1

Marcelo Grohe; Edilson, Thyere, Fred e Marcelo Oliveira; Walace, Jailson (Ramiro), Giuliano, Douglas (Bolaños) e Everton (Pedro Rocha); Luan. Técnico: Roger Machado.

Gols: Douglas, aos 19/1º;

Cartões Amarelos: Fernando Bob (I); Artur (I); Luan (G); Thyere (G); Vitinho (I); Anderson (I);

Arbitragem: Dewson Fernando Freitas da Silva, auxiliado por Emerson Augusto de Carvalho e Tatiane Camargo

Local: Beira-Rio, em Porto Alegre

Fonte: CP