Três pessoas, incluindo menino de 11 anos, morrem em acidente nas Missões

Família de moradores do Paraná estava em carro que se chocou em veículo conduzido por idoso

Fotos: Polícia Rodoviária Federal / Divulgação

Na manhã do domingo de Páscoa (21), três pessoas morreram após colisão frontal na BR-285 em Vitória das Missões, próximo à ponte sobre o Rio Urubucarú, na região das Missões. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a acidente ocorreu por volta das 10h30min entre um Sandero com placas de Belo Horizonte e um Ka com placas de Santo Ângelo.

No Sandero, que ia de São Borja a Curitiba, morreram duas pessoas: Diogo Bom Guimarães, 11 anos, morto no local, e Fabíola Taborda de Oliveira, 20 anos, que chegou a ser socorrida, mas morreu ao chegar ao Hospital Santo Ângelo, de Santo Ângelo. O motorista foi socorrido e passava por exames no final da tarde de domingo.

As vítimas seriam, segundo a PRF, respectivamente irmão e namorada do condutor. A família seria toda de moradores do Paraná.

O motorista Ka, de Santo Ângelo, era um senhor de 89 anos identificado como Ari Antunes do Nascimento. Ele chegou a ser socorrido e encaminhado ao Hospital Santo Ângelo, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta de 17h30min.

A Polícia Civil de Vitória das Missões será responsável pelo inquérito policial. Os veículos foram removidos ao depósito e estão à disposição da perícia.

É a segunda tragédia com famílias paranaenses no trânsito gaúcho neste feriado. Na Sexta-feira Santa (19), seis pessoas morreram em colisão ocorrida na BR-386 em Soledade.

Fonte: Gaúcha ZH

Carro sai da pista e duas pessoas morrem na BR-386 em Seberi

Acidente ocorreu na manhã deste domingo (21). Uma terceira pessoa ficou ferida. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, o veículo aquaplanou.

Foto: PRF/Divulgação

Duas pessoas morreram em acidente na BR-386,em Seberi, no Norte do Rio Grande do Sul, na manhã deste domingo (21). Conforme a Polícia Rodoviária Federal, o veículo em que as vítimas estavam aquaplanou na pista molhada. Uma terceira pessoa, que estava no banco de trás, teve fratura exposta e foi retirada das ferragens por bombeiros.

Ainda segundo a PRF, o acidente ocorreu por volta das 7h40. O carro saiu da pista e bateu em árvores em uma área de vegetação às margens da rodovia. O veículo, com placas de Brasília, trafegava no sentido Iraí-Porto Alegre.

Morreram no local o motorista e o passageiro, dois homens. A mulher que ficou ferida foi encaminhada a um hospital em Seberi. As identidades não foram divulgadas.

Os corpos foram encaminhados ao IML de Frederico Westphalen e o carro foi removido para um depósito.

Fonte: G1 RS

Mulher morre após colisão frontal de veículo contra caminhão na BR-285 em São Luís Gonzaga

 

Foto: Polícia Federal

A motorista de um veículo GM Celta, identificada como Carla Janaína Gonçalves Trindade, 36 anos, morreu por volta das 03h30, da madrugada deste domingo (21-04), após uma colisão frontal contra um caminhão na BR 285 em São Luís Gonzaga. Conforme a PRF – Polícia Rodoviária Federal a mulher chegou ser socorrida com vida, mas morreu logo após dar entrada no hospital de São Luiz Gonzaga.

O motorista do caminhão com placas de Santo Antônio das Missões, escapou ileso. Os veículos foram removidos ao depósito e estão a disposição da perícia.

As causas do acidente serão investigadas pela Polícia Civil de São Luís Gonzaga.

Fonte: No Ar Notícias

Crissiumal: Prefeitura iniciou obras de canalização e drenagem em trecho da Rua Inhacorá

O trecho da via está sendo preparado para posterior asfaltamento.

 

A Prefeitura de Crissiumal iniciou nesta terça-feira,16 de abril, as obras de melhorias na canalização e drenagem das águas pluviais na Rua Inhacorá, no trecho que liga a Rua Costa e Silva à Avenida Santa Rosa. O serviço é um pré-requisito para que possa ser iniciada a obra de asfaltamento da via.

Concomitantemente, com os trabalhos da Prefeitura, a CORSAN, também está efetuando a troca da tubulação de fornecimento de água, considerada bastante antiga. Portanto, poderá ocorrer durante os próximos dias, interrupções no fornecimento de água potável, aos moradores desse trecho da Rua Inhacorá.

As intervenções estarão sendo realizadas durante esta semana, até a quinta-feira (18); e, deverão ser reiniciadas na próxima semana. As melhorias irão beneficiar mais de vinte famílias, na extensão do trecho, além dos alunos e comunidade escolar da Escola Municipal de Ensino Fundamental Benno Bender.

As ações de infraestrutura nas vias públicas da cidade, com investimentos em canalização e drenagem; e, asfaltamento de ruas, tem o objetivo de recuperar a malha viária da cidade, atribuir maior mobilidade urbana e promover mais qualidade de vida para a população.

 

Fonte: Andréia Cristina Queiroz – Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Crissiumal

Acúmulo de pontos é a maior causa de processos que suspendem a CNH

Só em 2018, foram 13.738 casos nos quais o motorista pode perder o direito de dirigir

Alberi Neto / Agência RBS

 A proposta do governo federal de aumentar de 20 para 40 o limite de pontos para suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) tende a aumentar ainda mais o número de infrações cometidas por motoristas. Essa é a expectativa do diretor-geral do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-RS), Enio Bacci.

Segundo dados brutos do órgão, a maior parte dos processos de suspensão da carteira são ligados à pontuação. Só em 2018, de um total de 39.262 registros,  13.738 (35%) têm relação com os pontos na carteira.  O restante, 25.524 (65%), é resultado da soma de delitos que causam a suspensão imediata da habilitação.

— A questão do aumento do número de pontos não é tão simples como o presidente faz parecer. Da forma como a proposta está sendo colocada não se distingue os tipos de infração, elas entram em um monte só. Essa distinção deveria ser levada em conta. É preciso diferenciar, por exemplo, faltas de maior e de menor potencial ofensivo — pontua Bacci, acrescentando:

— O total geral dos processos de suspensão imediata até pode ser maior do que por pontos. Mas, se separados, a cassação por pontos é a principal causa.

Dos 25.524 processos que podem levar a perda imediata do direito de dirigir registrados ano passado, 71 são por participação em racha, 472 por furar barreira, 12.199 por excesso do limite de velocidade e 12.782 por embriaguez — as quatro situações em que o código de trânsito prevê suspensão imediata do direito de dirigir. Ou seja: todos são índices menores do que os 13.738 relacionados à pontuação.

— Podemos ter significativo aumento do número de mortesem razão da sensação de impunidade. Se o motorista sabe que ele pode chegar a 40 e não mais 20 pontos, vai cometer mais infrações — avalia Bacci.

Segundo o diretor do Detran, as ações do órgão identificam que os condutores respeitam mais as leis de trânsito quando sabem que podem ser punidos.

— A balada segura, por exemplo: em 2012, tínhamos um índice de autuação de mais ou menos 12,8%. Hoje em dia caiu para cerca 6%. Isso porque quem está ao volante sabe que pode ser pego e evita situações que podem gerar multa. As pessoas aprendem a andar na linha pela dor, não só física, mas no bolso — exemplifica Bacci.

“Indústria da multa”

Ainda segundo dados do Detran-RS, o número de processos instaurados, por pontos ou por infração, oscila nos últimos cinco anos. Foram 32.179 em 2014, 53.580 em 2015, 90.977 em 2016, 61.169 em 2017 e 39.262 em 2018.

Bacci avalia que os números tem mais a ver com instâncias internas do Detran do que com o comportamento dos motoristas.

— Houve aumento quando conseguimos instrumentalizar e colocar em prática o andamento dos processos. Pretendemos agilizar e dobrar a quantidade de processos julgados.

Entre os cinco principais delitos mais cometidos por quem está ao volante, estão excesso de velocidade, dirigir em desacordo com o artigo 230 do código de trânsito (que traz uma lista de 23 itens, como trafegar  sem placas de identificação, com a cor ou característica alterada  ou  sem equipamento obrigatório), estacionar em local proibido, não usar cinto de segurança e andar com veículo não registrado por mais de 30 dias em casos específicos (transferência de propriedade, o proprietário mudar de cidade, alteração de qualquer característica do veículo ou houver mudança de categoria).

— O ideal seria diferenciar as tipificações. Só o excesso de velocidade engloba três categorias: acima de 20% do limite, entre 20% e 50% e superior a 50%, que gera suspensão imediata do direito de dirigir. Uma pessoa que anda a 60km/h onde deveria estar a 40km/h não deveria ficar na mesma situação de outra que trafega a 160km/h onde o o teto permitido é 110km/h. Assim como estacionar em local proibido tem, em geral, menos potencial ofensivo do que andar acima do limite — destaca Bacci, acrescentando que não usar cinto de segurança é uma questão cultural.

Sobre as acusações de que existe uma “indústria da multa”, ele rebate.

— Se realmente existisse, era só os motoristas dirigirem dentro das regras que essa indústria quebraria.

 

Fonte: ZH

Juíza proíbe retirada de radares das rodovias federais

Diana Vanderley, da 5ª Vara Federal em Brasília, determinou também que seja realizada a renovação dos contratos do Programa Nacional de Controle Eletrônico de Velocidade por mais 60 dias

Foto: Daer / Divulgação

A juíza Diana Vanderley, da 5ª Vara Federal em Brasília, proibiu nesta quarta-feira (10) a retirada de radares de velocidade das rodovias federaisde todo o país. Na decisão, em caráter liminar, a juíza também determinou que seja realizada a renovação dos contratos do Programa Nacional de Controle Eletrônico de Velocidade por mais 60 dias.

A magistrada atendeu a um pedido do senador Fabiano Contarato (Rede-ES), que ajuizou uma ação popular depois que o presidente Jair Bolsonaro disse em março, numa transmissão via Facebook, que extinguiria radares.

Para Bolsonaro, as concessionárias aplicam dinheiro que deveria ser usado na manutenção das vias em equipamentos de monitoramento a fim de se beneficiar com a arrecadação das multas. As concessionárias negam qualquer ganho com a arrecadação.

“Decisão nossa: não teremos mais nenhuma nova lombada eletrônica no Brasil. As lombadas que porventura existem, e são muitas, quando forem perdendo a validade, não serão renovadas”, disse o presidente na ocasião.

Na decisão desta quarta, antecipada pelo site jurídico Jota, a juíza federal afirmou que é inerente à democracia que um governo revise programas de governos anteriores, desde que haja estudos técnicos para embasar as mudanças.

Diana Wanderley considerou que a União “está a exercer indevida ingerência nos rumos das atribuições legais do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes)“, desrespeitando a autonomia da autarquia para cumprir suas metas, com base em “opinião pessoal de fundamento subjetivo, e sem prévio lastro técnico, proferida pelo chefe do Poder Executivo (Bolsonaro)“.

“A própria União (através do Ministério da Infraestrutura) e o Dnit proferiram nota de esclarecimento ao público reforçando a assertiva do viés subjetivo e ausência de prévios estudos técnicos, tanto que informa que suspendeu o programa [dos radares] por orientação do chefe do Poder Executivo, que irá realizar estudos e, só então, irá aguardar novas orientações do chefe do Poder Executivo quanto à nova política para o serviço público de segurança nas rodovias federais”, escreveu a juíza.

“Deve-se, pois, primeiramente, realizar os estudos técnicos de forma isenta, fazer ponderações técnicas, para, só assim, traçar o planejamento, e ir, se for o caso, gradualmente substituindo a política anterior quando estiver efetivamente definida a nova política e em pleno exercício.”

A magistrada destacou que medidores de velocidade têm sido úteis para a diminuição de acidentes e de mortes no Brasil e no mundo. Ela fixou multa diária de R$ 50 mil por radar retirado de circulação ou desligado e marcou audiência com as partes (o Dnit e a União) para o próximo dia 30.

Na semana passada, o Ministério da Infraestrutura informou que a instalação de novos sensores foi suspensa para que seja feita uma análise rigorosa do plano de instalação, que foi realizado no governo anterior.

De acordo com a pasta, o atual contrato poderia chegar ao custo de R$ 1 bilhão em cinco anos. A análise também deverá priorizar a redução do uso do equipamento onde não é necessário a segurança viária, com possibilidade de uso de outros mecanismos de segurança.

 

Fonte: Agência Brasil

Governo propõe subir limite para cassar CNH de 20 para 40 pontos

Ministério da Infraestrutura informou que texto com mudanças no Código de Trânsito será enviado para análise do Congresso até o fim desta semana

Texto terá que ser votado na Câmara e no Senado / Foto: Divulgação

O Ministério da Infraestrutura informou nesta terça-feira (9) que o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) enviará ao Congresso um projeto de lei que prevê o aumento da quantidade de pontos para a perda da habilitação dos motoristas.

O objetivo é que a CNH seja suspensa apenas quando o motorista atingir 40 pontos — atualmente são 20 no período de 12 meses ou por infração gravíssima, como dirigir sob influência de álcool ou drogas.

Segundo o ministério, o projeto de lei “prevê maior celeridade aos processos administrativos referentes às infrações graves e gravíssimas que tramitam hoje nos Detrans dos estados”. O texto prevê reduzir de seis para três instâncias até que a carteira seja cassada.

Renovação a cada dez anos

O governo quer ainda aumentar de cinco para dez anos, para quem tiver até 50 anos de idade, o tempo para renovação da CNH.

A exceção serão casos em que houver indícios de deficiência física, mental ou de doença que possa diminuir a capacidade para condução de veículo.

 

Fonte: R7

Acidente entre ônibus e caminhão deixa uma pessoa morta e mais de 20 feridas no Noroeste do RS

Segundo PRF, das 24 pessoas que ficaram feridas, três estão em estado grave. Colisão aconteceu no km 398 da BR-285, entre Panambi e Santa Bárbara do Sul.

Fotos: PRF/divulgação

Uma mulher morreu e outras 24 pessoas ficaram feridas em um acidente que ocorreu na madrugada desta sexta-feira (5) no Noroeste do Rio Grande do Sul. A ocorrência aconteceu no km 398 da BR-285, entre Panambi e Santa Bárbara do Sul. A vítima ainda não foi identificada.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, o acidente ocorreu perto da 0h10, quando um caminhão, emplacado em Caxias do Sul, invadiu a pista contrária e colidiu frontalmente com o ônibus, que fazia a linha São Nicolau x Porto Alegre.

Três pessoas ficaram gravemente feridas. Duas delas foram levadas para o hospital de Ijuí, e outra para o Hospital São Vicente de Paulo, em Passo Fundo.

Outras 14 pessoas tiveram lesões leves e foram atendidas no hospital de Panambi, e mais sete, também com lesões leves, foram levadas para o hospital de Santa Bárbara do Sul.

Após colidirem, os veículos saíram da pista e ficaram tombados em um barranco. No decorrer do dia, serão removidos a um depósito.

A Polícia Civil de Santa Bárbara do Sul será responsável pelo inquérito policial.

Fonte: G1 RS

Dnit gaúcho pede suspensão de instalação de controladores de velocidade nas rodovias federais

Autarquia aguarda esclarecimentos da União para voltar a autorizar colocação de novos pardais no Rio Grande do Sul

André Fiedler / Agência RBS

As declarações do presidente da República, que, no domingo (31), voltou a falar sobre a instalação de radares eletrônicos nas rodovias federais, fez com que a colocação dos novos controladores de velocidade no Rio Grande do Sul fossem suspensos temporariamente. O superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) no Estado, engenheiro Delmar Pellegrini Filho solicitou à empresa Fotosensores Tecnologia Eletrônica que deixe de distribuir novos pardais até quarta-feira (3). Nesta data está prevista a vinda do diretor-geral da autarquia, general Antonio Leite dos Santos Filho, ao Estado.

– O contrato está em andamento, mas pedimos para a empresa esperar. Vamos aguardar uma nova diretriz da direção geral do Dnit. Nesta semana não serão colocados novos equipamentos até nova orientação – disse Pellegrini Filho.

Jair Bolsonaro fez referências a 8 mil novos pedidos de instalação de radares que foram cancelados. O presidente comentou que nas renovações de concessões de trechos rodoviários os contratos de radares estão sendo revisados para verificar a real necessidade dos controladores.

Em 7 de março, Bolsonaro já havia pedido o fim das lombadas eletrônicas no país durante transmissão ao vivo em sua página no Facebook. Na ocasião, ele disse que os equipamentos em funcionamento seriam mantidos até o final dos contratos. O vínculo envolvendo as rodovias gaúchas, assinado com a empresa e o Dnit, foi assinado em setembro do ano passado e tem duração de cinco anos.

A autarquia em Brasília informa que nesta segunda-feira (1), ao longo do dia, uma reunião será realizada com integrantes do Ministério de Infraestrutura. Posteriormente, um novo posicionamento do governo será feito.

As rodovias federais do Rio Grande do Sul estão sem registrar infrações por meio de controladores fixos desde 14 de janeiro, quando o contrato anterior chegou ao fim. Os primeiros sete dos novos 166 equipamentos já foram aferidos pelo Inmetro. Eles estão localizados em 27 quilômetros da BR-116, em Caxias do Sul. Porém, o Dnit ainda não confirmou se eles já multam. A autarquia informou que eles deverão passar por um período educativo.

Um contrato que poderá ser atingido é o que foi assinado em janeiro de 2019 entre a CCR ViaSul e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Mas, pelo menos por enquanto, a concessionária informa que não foi procurada por integrantes do governo federal, segue cumprindo o que foi assumido, que determina a instalação de 20 equipamentos de controle de velocidade nas quatro rodovias federais administradas pela CCR ViaSul.

Inclusive, a empresa informa que o assunto vem sendo tratado “com prioridade” pela concessionária. Os processos internos para a aquisição dos equipamentos estão sendo adiantados.

“Temos recebido inúmeras manifestações e solicitações de comunidades da BR-386, especialmente, interessadas no assunto. Os prefeitos de Nova Santa Rita e Santo Antônio do Planalto, por exemplo, têm acompanhando, semanalmente, as etapas do processo”, informa a empresa por meio de nota.

Nesta semana, a CCR ViaSul e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) irão definir os locais de instalação e tipos de equipamentos. Depois disso, a concessionária encaminhará o estudo à ANTT e aguardará a aprovação para prosseguir com o cronograma de implantação.

 

Fonte: ZH

Homem morre após saída de pista com veículo em São José do Inhacorá

 

Foto: Internauta/WhatsApp

Um homem de 35 anos, morreu vítima de um acidente de trânsito na noite desta quinta-feira (28) na AM 9115 no município de São José do Inhacorá. Jonas André Hermes, era o motorista de um veículo Ford Focus que capotou na lateral da rodovia.

De acordo com informações, por volta das 21h20min, o automóvel era conduzido na rodovia no sentido cidade-interior à cerca de mil metros do perímetro urbano, e por motivos desconhecidos o motorista perdeu o controle do veículo que saiu da pista e capotou. A vítima foi arremessada para fora do veículo.

Socorristas do Corpo de Bombeiros e do Samu socorreram o homem que foi resgatado com vida, mas faleceu a caminho do hospital em Três de Maio.

O acidente ocorreu a aproximadamente 200mt da propriedade onde Jonas residia com a família.

O Comando Rodoviário da Brigada Militar registrou o acidente.

 

Fonte: Paulo M.