Preso suspeito de matar tia com uma barra de ferro e colocar fogo na casa em Passo Fundo

De acordo com informações da polícia, os dois moravam juntos há cerca de um ano. A vítima é Raquel Farias, de 50 anos.

 

Foto: Francieli Alonso/RBS TV

Um homem foi preso em flagrante por matar a tia com uma barra de ferro em Passo Fundo, no Norte do Rio Grande do Sul, na madrugada desta quarta-feira (22). De acordo com informações da polícia, os dois moravam juntos há cerca de um ano.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o crime aconteceu por volta das 5h. O homem, de 22 anos, agrediu Raquel Farias, de 50 anos, e depois colocou fogo na casa em que ela morava no bairro Bom Jesus.

A polícia suspeita que ele tenha problemas mentais. Ele foi ouvido, mas não disse o que motivou o crime. No depoimento, o homem apresentou um comportamento descontrolado e deu informações desencontradas.

Os vizinhos relataram que, desde sábado (18), o homem estava agressivo, o que deixou a tia preocupada.

O fogo não chegou a atingir o corpo da vítima. Os bombeiros demoraram cerca de 20 minutos para apagar as chamas.

Fonte: G1 RS

Rádio Metrópole

83 milhões de brasileiros possuem ao menos uma compra parcelada, mostra levantamento

61% dos consumidores admitem ter aproveitado oferta de crédito para fazer compras por impulso; para entrevistados, internet e lojas de departamento são as que mais incentivam compras não planejadas. Comprar à vista garantiu desconto para 59% dos consumidores

Dividir o valor de uma compra em várias prestações é um hábito comum do consumidor brasileiro, mas é preciso ter cuidado para que o uso do crédito não se transforme em uma armadilha para o bolso. Um levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em todas as capitais revela que mais da metade dos brasileiros adultos (53%) possuía alguma compra parcelada no último mês de março. Isso significa que, aproximadamente, 82,7 milhões de brasileiros estão com ao menos parte do orçamento comprometido para pagar compras feitas no cartão de crédito, cartão de loja, crediário ou cheque pré-datado.

Quase um terço (31%) das pessoas ouvidas disse estar livre de compras parceladas, mas outros 16% não souberam responder quantas prestações tiveram para pagar no último mês. Em média, os consumidores que possuem alguma compra parcelada demorarão cinco meses para que as prestações sejam totalmente quitadas. Esse tempo mais do que dobra quando se trata de empréstimos (11 meses) e dos financiamentos (12 meses).

Um dado preocupante constatado pelo levantamento é que 13% dos entrevistados não acham necessário fazer qualquer tipo de análise ou avaliação antes de contratar uma modalidade de crédito. Entre os que tomam algum cuidado, os mais comuns são ter conhecimento a respeito do próprio orçamento para ter certeza de que será possível pagar as prestações mensais (35%), informa-se a respeito dos juros (35%) e ter ciência dos valores de todas as tarifas cobradas (28%).

A pesquisa revela que na hora de decidir em quantas vezes a compra será parcelada, os consumidores mostram-se divididos: 39% escolhem o menor número de prestação possível, ao passo que 34% optam sempre pelo maior número de parcelas, caso não haja cobrança de juros.

Na avaliação do educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli, os instrumentos de crédito podem ser um aliado do consumidor, desde que utilizados de forma planejada. “O crédito permite às pessoas ampliarem seu poder de compra adquirindo produtos que levariam anos para serem comprados à vista. O problema é que se ele for utilizado sem responsabilidade e planejamento, essa dívida pode ser nociva para a vida financeira do consumidor. Antes de comprometer parte de sua renda por vários meses, o consumidor deve ponderar se realmente precisa do item desejado ou se trata de uma compra por impulso. É preciso avaliar ainda se ele terá condições de pagar as parcelas sem prejudicar seu orçamento mensal, não se descuidando de analisar tarifas e taxas de juros”, orienta Vignoli.

Eletrônicos e vestuário são os produtos mais parcelados pelos consumidores; 69% preferem parcelar no cartão de crédito

De acordo com a pesquisa, os produtos que os consumidores mais adquirem a prazo são os eletrônicos (65%), roupas, calçados e acessórios (44%), remédios (32%), alimentação fora de casa e delivery (26%) e compras de supermercado (26%) – em todos esses casos, o cartão de crédito é a modalidade de parcelamento mais mencionada.

O cartão de crédito desponta como a modalidade de pagamento a prazo favorita dos consumidores, citado por 69% dos entrevistados. O crediário e o cartão de loja ficaram empatados na segunda colocação com 9% cada. Já o cheque pré-datado foi citado por apenas 1% das pessoas ouvidas.

Embora a maioria dos brasileiros esteja pagando alguma compra parcelada atualmente, 60% dos consumidores disseram ter evitado nos últimos meses realizar mais compras via crédito. Os principais motivos são o receio de extrapolar os limites do orçamento (54%), o fato de já estarem com o orçamento comprometido com outros compromissos financeiros (36%) ou possuírem contas em atraso (15%).

“O acúmulo de várias parcelas no mesmo mês costuma ser um fator de peso no desequilibro orçamentário. É importante manter o orçamento pessoal sempre atualizado para saber, na prática, quanto dinheiro a pessoa ainda tem e quais são as despesas que ainda precisam ser pagas no mês antes de contrair novas dívidas”, afirma Vignoli.

Para este mês de maio, 69% dos consumidores tinham a intenção de adquirir produtos e serviços de forma parcelada, sendo a compra de eletrônicos (24%), roupas, calçados e acessórios (21%), eletrodomésticos (17%), móveis (13%) e supermercado (13%) os mais comuns. Apenas 27% não devem realizar compras por meio do crédito neste mês.

61% cederam às compras por impulso em março; 59% conseguiram algum desconto do lojista para pagamento à vista

Quando se fala em compras parceladas, a impulsividade é um tema que surge com frequência. Por mais que pareça imperceptível, fatores psicológicos, subjetivos e emocionais exercem influência nas decisões de compra. Em cada dez brasileiros, seis (61%) admitiram ter feito alguma compra por impulso no último mês de março ao cederem às tentações do crédito fácil. As aquisições mais feitas de forma impulsiva foram as roupas, calçados e acessórios (22%), itens em supermercados (18%), idas a bares e restaurantes (15%) e compras de perfumes e cosméticos (13%).

Na opinião dos entrevistados, as lojas online são as que mais estimulam as compras não planejadas, com 39% de citações. Em seguida aparecem as lojas de departamento (36%), acompanhadas dos shopping centers (23%) e dos supermercados (22%).

Para o educador financeiro José Vignoli, a reflexão sobre a necessidade de uma compra é fundamental para evitar a impulsividade. “Os apelos do marketing e o estado emocional do consumidor podem ser fatores de estímulo decisivos. Muitas vezes, o consumidor não dispõe de todo o valor e vê o crédito como a única possibilidade de levar o produto de maneira imediata para casa, deixando a reflexão em segundo plano”, explica Vignoli.

A pesquisa ainda mostra que, em muitos casos, pode ser vantajoso optar pelo pagamento a vista. Em cada dez consumidores, seis (59%) conseguiram algum desconto ao pagar por uma compra em dinheiro ou no débito no último mês de março, sendo que 34% pechincharam pelo desconto para pagamento no dinheiro e 15% recebeu uma oferta do próprio lojista, caso pagasse também em dinheiro. Dentre os que receberam desconto, o percentual médio de abatimento foi de 11%. Os que não receberam qualquer desconto formam 29% da amostra.

“Pagar à vista é uma forma eficaz de economizar, pois evita o pagamento de juros, que geralmente estão embutidos nas parcelas. É comum comerciantes oferecerem descontos em compras realizadas no dinheiro, já que nesses casos eles podem abater as taxas da máquina de cartão. Então, o consumidor deve deixar a timidez de lado e pechinchar sempre”, afirma Vignoli.

Com informações da da CNDL/SPC Brasil

Rádio Metrópole

RS – Campanha do Agasalho arrecada mais de 50 mil peças nos primeiros 12 dias

Após triagem, doações são distribuídas para vítimas de desastres naturais, instituições beneficentes e famílias carentes - Foto: Divulgação / Defesa Civil

A campanha do Agasalho 2019 contabiliza 55.689 peças de roupas e agasalhos doados nos primeiros 12 dias. De acordo com a Defesa Civil, assim que recebe as doações, começa o trabalho de triagem, contagem e separação das peças. Após, o material é embalado e fica pronto para distribuição.

Na triagem realizada pela equipe na Central de Doações, ainda há necessidade de reforço nas doações de peças infantis. Apenas 6.931 roupas infantis chegaram até a triagem. De acordo com a Defesa Civil, estão cadastradas para receber doações 103 instituições – entre prefeituras e entidades carentes.

A Campanha do Agasalho do Estado foi lançada em 9 de maio, cerca de um mês antes dos anos anteriores, para que seja possível fazer a distribuição de forma antecipada. A ideia é atender aos pedidos antes do frio chegar.

Coleta e distribuição

As doações são recebidas (confira a lista dos pontos de coleta abaixo) e passam por uma triagem rigorosa. Em seguida, são enviadas para vítimas de desastres naturais, instituições beneficentes e famílias carentes. Casas de passagem, ONGs, instituições religiosas, asilos e instituições que acolhem menores em situação de vulnerabilidade social também são contempladas.

Os municípios interessados em receber doações precisam manifestar interesse na Central de Doações da Defesa Civil, no Centro Administrativo do Estado, em Porto Alegre. Conforme a demanda, as doações são organizadas e separadas para que municípios ou entidades assistenciais interessadas possam fazer a retirada.

Cerca de 100 municípios procuram a Central de Doações todos os anos. Embora a doação seja amplamente estimulada neste período, a central funciona o ano todo, das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira.

Onde doar?

– Central de Doações da Defesa Civil do RS (Av. Borges de Medeiros, 1.501 – térreo, em Porto Alegre)
– Todos os quartéis da Brigada Militar e do Corpo de Bombeiros
– Coordenadorias regionais da Defesa Civil em Porto Alegre, Santa Maria, Pelotas, Santo Ângelo, Uruguaiana, Frederico Westphalen, Lajeado, Caxias do Sul e Passo Fundo
– Supermercados Zaffari (36 pontos de coleta)
– Farmácias São João (270 pontos de coleta)
– Unidades do Sesc (66 pontos de coleta)

Os parceiros da Campanha do Agasalho 2019 são 99 Pop, Zaffari, Farmácias São João, Sesc, Sindilojas e Sindifisco.

Fonte: RS/Gov Michelle Raphaelli

Rádio Metrópole

BM atendeu ocorrência de ameaça em Crissiumal

Uma ocorrência de ameaça foi atendida pela Brigada Militar na tarde desta terça-feira, dia 21 de maio de 2019.

A comunicante relatou que trabalha no Hospital e que no local está internado compulsoriamente o paciente T A S, que não está acatando as ordens dos funcionários e tem entrado nos quartos dos outros pacientes, inclusive de um que está no isolamento, e acende cigarros em local proibido. O mesmo, quando interpelado fez menção de colocar fogo no Hospital.

Com a chegada da Brigada Militar, o indivíduo acatou as ordens e se recolheu no seu quarto aonde deve permanecer.

Fonte: CRPO Fronteira Noroeste

Rádio Metrópole

Execução seguida de acidente na BR-386 deixa dois mortos em Frederico Westphalen

Tragédia ocorreu na noite desta terça

Foto: Angelo Lorini

Uma execução a tiros seguida de acidente na BR 386 deixou duas mortes na noite dessa terça-feira, 21, em Frederico Westphalen. Os fatos ocorreram por volta das 19h15min próximo ao local conhecido como “viaduto”.

Segundo informações de testemunhas, um casal caminhava no acostamento da rodovia e atravessava a pista quando dois indivíduos, que estavam escondidos no meio do mato, saíram de surpresa e efetuaram vários disparos de arma de fogo em direção aos dois. O homem caiu sobre o asfalto e a mulher conseguiu correr alguns metros, mas também foi alvejada e tombou às margens da rodovia. Ambos morreram no local. As vítimas são Robson Luís dos Anjos Mendes, de 35 anos, e Chaiane da Rocha Silveira, 27 anos.

Instantes após a execução, ocorreu um acidente entre dois veículos, quando um deles tentou desviar do corpo caído sobre a rodovia. A colisão frontal envolveu uma caminhonete S10 e um Corsa que seguia em sentido contrário. Equipes do Corpo de Bombeiros e do SAMU foram acionadas para atendimento da ocorrência. Os ocupantes dos veículos foram atendidos e encaminhados ao Hospital Divina Providência. Ainda não há informações sobre o estado de saúde das pessoas que estavam nos dois automóveis.

A Polícia Rodoviária Federal também foi acionada . A Polícia Civil investiga o caso.

Fonte: Complexo Luz e Alegria

Turistas gaúchos a caminho do Paraguai são roubados e perdem R$ 30 mil

Foto: Colaboração Ygor Kramer

Cinco turistas do Rio Grande do Sul foram vítimas de assalto na manhã desta terça-feira (21), em Foz do Iguaçu. O grupo seguia para compras no Paraguai em uma van de transporte quando foi rendido por cinco homens armados em um carro branco.

As vítimas relataram que o dono de um estacionamento na região do Bairro Jupira indicou a van de transporte para elas, afirmando ser seguro. Elas então contrataram o serviço e  foram rendidas pouco depois de sair do hotel.

As vítimas foram levadas até uma área de mata no Jardim Jupira, onde foram roubados celulares, documentos e dinheiro. O prejuízo do grupo foi de R$ 30 mil.

Os suspeitos fugiram e as vítimas pediram ajuda. O crime foi registrado e a Polícia Civil investiga o ocorrido.

*Rede Massa

Crissiumal: Poda e corte irregular de árvore em via pública poderá gerar multa ao munícipe

Fique atento!

Preocupados com a preservação das árvores existentes nas vias públicas e com a arborização, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Pesca e Meio Ambiente está orientando a população sobre os cuidados que devem ser tomados para evitar a poda drástica e consequentemente a erradicação das árvores.

A arborização é um item muito importante dentro da configuração do espaço urbano e a poda drástica é considerada um crime contra o patrimônio público e contra o meio ambiente. Ao contrário do que se pensa, várias solicitações de podas ou cortes são irregulares. As podas das árvores só se justificam em casos de interferência na rede elétrica, obstáculo às atividades humanas em passeios públicos e estado de saúde comprometido. Além disso, deve ser feita por profissional técnico, conforme o Código de postura do município.

A poda e corte feita de forma irregular e que ocasiona a erradicação da árvore pode gerar multa ao munícipe por árvore cortada. Na última semana, os profissionais do Órgão Ambiental identificaram uma série de podas drástica em árvores plantadas junto ao passeio público, por diversos locais da cidade. As espécies cortadas em seu tronco ficaram totalmente sem folhas. Em desacordo com a Lei Municipal.

Em muitos casos, além da poda feita sem o procedimento correto, as folhas e galhos ficam na calçada comprometendo a via. Nesta situação, o recolhimento do material vegetal também é de responsabilidade do munícipe.

A Prefeitura informa aos munícipes que desejarem efetuar podas em árvores nos passeios públicos que entrem em contato com a Secretaria, bem como, também, junto aos responsáveis pelos serviços urbanos da Secretaria de Obras Públicas.

Fonte: SMDRPMA – Departamento de Meio Ambiente

 

Bandeira tarifária aplicada na conta de luz ficará mais cara


Proposta aprovada altera o valor das bandeiras tarifárias a partir de 1º de junho

Foto: Divulgação

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira, 21, uma resolução que estabelece as faixas de acionamento e os adicionais das bandeiras tarifárias com vigência em 2019. Segundo a agência, foi incorporado um avanço metodológico para a regra de acionamento que atualiza o perfil do risco hidrológico (GSF), o qual passa a refletir exclusivamente a distribuição uniforme da energia contratada nos meses do ano (“sazonalização flat”). “O efeito do GSF a ser percebido pelos consumidores retratará com maior precisão a produção da energia hidrelétrica e a conjuntura energética do sistema”, informa.

A proposta aprovada altera o valor das bandeiras tarifárias a partir de 1º de junho. A bandeira amarela passa a R$ 1,50 (antes era R$ 1,00) a cada 100 (KWh), já a bandeira vermelha no patamar 1 custará R$ 4,00 (antes era R$ 3,00) a cada 100 (KWh), e no patamar 2, custará R$ 6,00 (antes era R$ 5,00) a cada 100 (KWh).

A alteração foi especialmente motivada pelo déficit hídrico do ano passado, que reposicionou a escala de valores das bandeiras. O tema passou por audiência pública que recebeu 56 contribuições das quais 36% foram acatadas integralmente e 2% parcialmente.

A Aneel explica que o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. Esse custo, segundo a agência, é pago de imediato nas faturas de energia, o que desonera o consumidor do pagamento de juros da taxa Selic sobre o custo da energia nos processos tarifários de reajuste e revisão tarifária.

Na metodologia das bandeiras tarifárias as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração. A definição da cor da bandeira continua a ser dada pela combinação entre risco hidrológico e preço de liquidação de diferenças (PLD).

Fonte: Correio do Povo/AE

Carro pega fogo na BR-468 em Tiradentes do Sul

Um veículo foi totalmente consumido  pelas chamas na manhã desta terça-feira (21), na BR-468 em Tiradentes do Sul. O VW Gol que estava se deslocando no sentido cidade interior, teria tido falhas mecânicas, na localidade de Esquina Limeira. Logo seu condutor percebeu que o automóvel já estava pegando fogo na parte dianteira, populares que passavam pelo local tentaram ajudar mas não conseguiram devido ao perigo de explosões.

Uma Equipe do Samu foi acionada para prestar socorro, a Brigada Militar também esteve auxiliando no local.

Apenas danos de grande monta foram constatados. Não houve feridos. 

Fonte/Fotos: Tirsul

Rádio Metrópole

Caminhão bitrem fica empacado em subida na localidade do Lajeado Teimoso em Crissiumal

Fato aconteceu na manhã desta terça

Fotos: Claudiomiro Ties

Um caminhão bitrem carregado com soja ficou empacado e acabou interditando os dois sentidos da estrada da localidade do Lajeado Teimoso, interior de Crissiumal, na manhã desta terça-feira (21/05).

Segundo informações da Secretaria de Obras, o veículo não conseguiu subir em um dos cerros da localidade devido a chuva que acabou deixando o trajeto totalmente liso.

Foram utilizados dois caminhões de guincho e uma patrola da prefeitura de Crissiumal para redirecionar o bitrem e liberar a via.

*Rádio Metrópole