Secretaria da Agricultura de Nova Candelária está distribuindo gratuitamente mudas de árvores nativas

 

Estamos na Semana Nacional do Meio Ambiente, que iniciou no sábado, 1º de junho e é comemorada até na quarta-feira, 05 de junho, quando se celebra o Dia Mundial do Meio Ambiente.

Esta semana de conscientização foi criada, no Brasil, pelo Decreto nº 86.028, de 27 de maio de 1981. O objetivo era complementar a celebração ao Dia do Meio Ambiente instituído pela ONU.

A iniciativa visa incluir a sociedade na discussão de pautas que tratem da preservação do patrimônio natural do Brasil. A proposta desta data é chamar a atenção de todos os governos mundiais e da população sobre a necessidade de implantar medidas emergenciais para prevenir a degradação do meio ambiente.

Existem diversas maneiras que cada cidadão pode auxiliar para os cuidados com o meio ambiente. Na separação do lixo, nos cuidados com os agrotóxicos, na preservação de árvores nativas e nos cuidados cotidianos, auxiliamos para que natureza continue a sobreviver, garantindo também a sobrevivência da humanidade.

Como forma de campanha, a Secretaria da Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente de Nova Candelária está distribuindo gratuitamente plantas de mudas nativas. Estão disponíveis na Secretaria para retirada as variedades de Cereja, Guabiju, Araçá, Pitanga, Guabiroba, Jabuticaba e outras tradicionais.

Por: Assessoria de Imprensa

Rádio Metrópole

Horto medicinal será implantado na praça Dr. Borges em Crissiumal

Imagem ilustrativa

Uma iniciativa brilhante e aplaudível dará vida nova à Praça Dr. Borges, em Crissiumal. A Praça, localizada ao lado das Unidades Básicas de Saúde do município, será o recanto de um Horto Medicinal.

O Horto será composto com diversas plantas medicinais, as quais estarão dispostas na metodologia de relógio do corpo humano, que ajudará a identificar o melhor horário para o uso dessas plantas.

A idealização do projeto de elaboração e cultivo do Horto Medicinal, partiu da Comissão de Mulheres da EMATER de Crissiumal, com o apoio da Administração Pública, através da Secretaria Municipal de Saúde. O objetivo da criação e implantação do Horto é de incentivar a população a fazer o uso de plantas medicinais (chás), no tratamento de doenças ou de maneira preventiva.

As obras de construção deverão iniciar nos próximos dias. No entanto, para a implantação do Horto Medicinal, junto à praça, será necessária a remoção de algumas árvores, contudo, o trabalho será acompanhado pelo Departamento de Meio Ambiente do Município, que prestará orientações para a extração das plantas.

Fonte: Andréia Cristina Queiroz

Rádio Metrópole

ONG de Santo Ângelo se dedica a resgatar e reabilitar cavalos em situação de maus-tratos

Em quatro anos, mais de 200 animais já receberam atendimento. Por mês, organização recebe cerca de 60 denúncias

Foto: Reprodução/RBS

Um grupo de pessoas se dedica a cuidar de cavalos em situação de maus-tratos em Santo Ângelo, na Região Noroeste do Rio Grande do Sul. O trabalho é feito na ONG Pé de Pano, criada há quatro anos. Neste período, mais de 200 animais já receberam atendimento. Por mês, a organização diz que recebe cerca de 60 denúncias.

Um dos objetivos é que os cavalos, após receberem os cuidados necessários, sejam adotados. Até hoje, foram 15 adoções.

“Quando a gente vai recolher um animal, é sempre na presença de uma autoridade policial. Eles que fazem um boletim de ocorrência, que se transforma num processo perante a Justiça. Mas nós, como ONG, sempre procuramos que o animal continue na ONG porque não seria justo tu fazer todo processo de retirada, reabilitação e ele voltar para o algoz”, destaca a advogada Cristiane Peixoto, que integra o grupo.

Um dos cavalos adotados foi o Bóris. Há um ano e meio, ele foi arrastado por duas quadras pelo proprietário que estava dentro do carro e que, mesmo com o cavalo no chão, não soltou a corda. “O animal tem que ser bem tratado, bem cuidado”, diz o agricultor que o adotou, Hélio Schmidt.

“Isso é o que nos motiva a continuar, a lutar e a não desistir psra que outros cavalos também possam ter essa oportunidade”, salienta a estudante de veterinária e voluntária da ONG Ana Carolina Moraes.

Para abrigar os animais, a ONG arrendou um espaço de 10 hectares, com área verde. Voluntárias do projeto estão juntando dinheiro para poder construir baias para os animais que chegam mais fracos, e assim evitar que eles sofram com a chuva e o frio.

“Nós já flagramos cavalos suspensos pela carroça, já flagramos cavalos esfaqueados, inclusive muitos casos de animais descartados para morrer em locais públicos da cidade quando chegam em estado final de desnutrição”, conta Ana.

Além das doações da comunidade, a ONG também conta com parceiros, como uma veterinária profissional que atende por um valor menor.

Segundo a ONG, os cavalos chegam consomem cerca de 1,5 toneladas de ração por mês. Eles também recebem outros tipos de alimento, como cenouras.

A ONG também atua na conscientização da população, principalmente crianças, e carroceiros que utilizam cavalo para seu sustento.

Fonte: G1 RS

Rádio Metrópole

Múmia egípcia de cerca de 2,5 mil anos é identificada em Cerro Largo

Segundo pesquisador, é a primeira múmia egípcia identificada no Brasil do século 21

Foto: Édison Hüttner/PUCRS

A cabeça de uma múmia que integra o acervo de um museu no interior do Rio Grande do Sul foi identificada como de uma mulher egípcia, que viveu há 2,5 mil anos. A múmia de Iret-Neferet estava no Centro Cultural 25 de Julho, em Cerro Largo, Noroeste do Rio Grande do Sul, há mais de 30 anos, sem que ninguém soubesse sua origem.

Segundo o professor Édison Hüttner, que participa do grupo de pesquisadores da PUCRS e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) que estuda a peça, é a primeira descoberta de uma múmia egípcia no Brasil no século 21. Em 1995, estudiosos da área identificaram a múmia Tothmea, em Curitiba, que está resguardada no Museu Egípcio e Rosacruz.

Depois do incêndio no Museu Nacional, no Rio de Janeiro, são os dois únicos exemplares de múmias egípcias conhecidas no país, salienta o professor. A tragédia acabou destruindo seis múmias que haviam sido compradas pela família imperial.

Hüttner conta que encontrou a cabeça quando esteve no Centro Cultural, em 2017, em busca de materiais para outra pesquisa: a que identificou a imagem de São Nicolau, um dos mais antigos exemplos de arte missioneira do Rio Grande do Sul. “Também tem estátuas missioneiras no museu. Estando por ali, vi a cabeça e pensei que poderia ser uma múmia”, lembra.

Tomografia para identificar o olho

O primeiro passo da pesquisa foi submeter a cabeça a uma tomografia, exame que já ajudou a identificar outras peças históricas no estado, no Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul. “Vimos ali um detalhe especial, que vendo ela de fora não era possível enxergar”, diz o professor Hüttner, sobre a constatação de que foi colocado no crânio um olho artificial, como faziam os egípcios antes de embalsamar seus mortos.

A peça é composta por rocha e seda. “Ela fica iluminada, como se fosse vidro”, diz. A descoberta deu origem ao nome da múmia: Iret-Neferet significa “olho bonito” em egípcio antigo. O professor comenta que evidências, como as faixas características das múmias egípcias e um buraco acima do nariz, usado para remover o cérebro, já demonstravam a origem da cabeça.

Análise dentária para estimar a idade

A múmia é de uma mulher de meia idade, com aproximadamente 40 anos, descoberta possível através da análise de um dente encontrado na cabeça, como explica o professor.

O dente foi removido e enviado a um laboratório nos Estados Unidos, que reconstituiu o que seria a arcada dentária da mulher egípcia, e calcular a idade aproximada dela. Iret-Neferet viveu entre o final do Período Intermediário III (1070-712) e o início do Período Tardio (712-332 a.C.) do Egito.

Conforme os resultados de um exame de radiocarbono, a múmia deve ter cerca de 2,5 mil anos.

Próximos passos

A pesquisa das origens de Iret-Neferet seguirá, conforme o professor Hüttner. Agora serão analisados fungos e bactérias encontrados na cabeça, para acrescentar mais dados à identidade dela.

Os pesquisadores também tentarão descobrir a linhagem da múmia, que o professor Hüttner suspeita que possa ter ligação com nobres egípcios. Na Alemanha, há pesquisa de sequenciamento do DNA para tentar chegar a esse resultado. Material deverá ser enviado para lá.

Presente de um egípcio

A cabeça que por anos ficou resguardada ao museu no interior do Rio Grande do Sul foi doada por um morador de Cerro Largo, entre o fim dos anos 1970 e o início dos 1980. Hüttner conta que Marcelino Kuntz entregou a peça pouco antes de morrer de câncer.

Ele, por sua vez, havia ganhado a cabeça de um amigo, que era egípcio, durante uma passagem pelo Rio de Janeiro, na década de 1950, conforme informações repassadas pelo museu. A identidade do egípcio não é conhecida, nem como ele conseguiu a múmia.

Kuntz era amigo de Guido Henke, um dos membros do museu que trabalhou na criação do acervo. “Ele ofereceu a múmia, Guido fez uma reunião com a associação [do museu] que decidiu que a acolheriam. Ela estava em uma prateleira simples, dentro de uma caixa de vidro, com uma manta por cima”, descreve o pesquisador.

A peça deverá voltar para o Centro Cultural, depois de um período em exposição em Porto Alegre. A cabeça de Iret-Neferet poderá ser visitada na Biblioteca Central Irmão José Otão, no Campus Central da PUCRS, de 11 de junho a 28 de julho, gratuitamente.

Dimensões da múmia

Cabeça: 21 cm de altura, 19 cm de largura, 21 cm de comprimento, 1.726.47 kg.

Olho: altura: 2,5 cm de largura: 2,6 cm de comprimento, 7.34 gramas.

Fonte: G1 RS

Rádio Metrópole

Obras e falta de recursos dificultam o acesso a bibliotecas em Santa Rosa

Prédio Olavo Bilac passa por reformas e não permite acesso ao acervo de livros, salas de estudo e internet

Foto: Felipe Dorneles

Estudantes, professores e leitores que chegam à Biblioteca Pública Municipal Olavo Bilac de Santa Rosa se deparam com o local fechado e um aviso de que o atendimento ocorre no Centro Cívico e Cultural. O prédio está em obras e, com isso, a população continua podendo retirar e devolver obras, mas está sem acesso ao acervo, salas de estudo e internet.

Idealizadora e coordenadora da Semana Mundial do Livro, Maira Engers diz que o atendimento improvisado gera menos leitura e frustra leitores. “A prefeitura deveria ter alugado um prédio para estruturar a biblioteca levando em consideração o tempo de obra.” Ela lembra que existem vários pontos com livros pela cidade, porém não há espaços como na biblioteca, com salas de estudo e computadores. “Leitura é acesso à cidadania, nosso acervo precisa estar à disposição da população.”

O atendimento do bibliotecário e demais servidores ocorre em uma mesa no primeiro pavimento do Centro Cívico, em frente ao prédio da biblioteca. No segundo piso, há outro serviço ao público, com alguns livros. O restante do acervo está no Centro Cultural − que também passa por obras−, ainda sem acesso à comunidade. Quando alguém solicita um exemplar, o bibliotecário se desloca para a retirada. Segundo a Secretaria Municipal de Cultura, o movimento não reduziu, apenas o uso dos espaços que não ocorre, temporariamente. Além disso, 400 novos títulos estão chegando neste semestre, além de oito notebooks para pesquisa.

Os amigos Victoria Alves e Cristian Viana estiveram no prédio da biblioteca e foram informados por uma servidora do município que o atendimento ocorre no Centro Cívico. “Viemos fazer trabalhos da escola. Como estudamos em instituições diferentes, não podemos acessar um a escola do outro. Vamos procurar outro local para estudar, já que as salas de estudos não estão disponíveis”, disse Victoria.

No início deste mês, o vereador Dado Silva formalizou pedido de informação em sessão da Câmara, para saber onde realmente está funcionando a biblioteca, onde fica o acervo e as condições do atendimento ao público. “Precisamos avaliar este serviço importante para a formação de cidadãos. E vamos movimentar entidades e órgãos como o Ministério Público para estender o horário de atendimento para que trabalhadores tenham acesso à leitura”, destaca. O Executivo tem 30 dias para retornar o pedido de informação. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7h30min às 12h e das 13h30min às 17h30min.

O secretário municipal de Cultura, Rafael Rufino, confirma que a biblioteca está fechada há um ano e que o atendimento no prédio foi suspenso no momento em que ocorriam os trabalhos externos. “As obras da parte externa foram concluídas no começo deste ano, e o projeto das internas está em fase de finalização.” Após, será aberta licitação para definir a empresa que irá executar os serviços internos. Rufino lembra que pode não haver empresas interessadas ou que venha a ocorrer protocolo de recursos, podendo atrasar o processo. Por outro lado, o projeto será executado com recursos livres, o que facilita o pagamento dos fornecedores. A expectativa é de que até o final do ano as obras estejam concluídas.

Rufino diz que a situação é necessária para que ocorram o investimento e as melhorias na estrutura. Ele lembra que a população pode pesquisar sobre o acervo no site da biblioteca. “É um transtorno, mas alugar uma estrutura seria um custo desnecessário. Ninguém está desamparado.”

Bibliotecas de escolas

A precariedade no atendimento em bibliotecas se estende a 18 escolas estaduais do município. Todas possuem bibliotecas, mas, atualmente, funcionam de forma parcial. Segundo a 17ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), o atendimento é de algumas horas ou de um turno por dia.

Professora de português, língua inglesa e literatura da Escola de Educação Básica Santos Dumont – Polivalente, Maria Rosane Ely Hansen revela que com muita luta conseguiram garantir o funcionamento da biblioteca da escola durante um turno diário. “Mobilizações do grêmio estudantil da escola, pais e professores junto à 17ª CRE garantiram esta conquista. Porém, o prazo dado é até o final deste ano”. A professora realizou treinamento com todos professores e monitores da escola, para que consigam atender alunos em períodos em que a biblioteca não está em funcionamento com bibliotecário.

A Secretaria Estadual da Educação informou que foi repassada orientação às coordenadorias regionais de educação para que priorizem o atendimento aos alunos em sala de aula e que, se os recursos humanos disponíveis na escola porventura não estiverem em sala de aula, podem assumir atendimento em setores como a biblioteca. O entendimento baseia-se na razão de que a nomeação dos professores visa ao atendimento da regência em sala de aula, motivo pelo qual os professores foram efetivados em suas funções no Estado.

As 13 escolas municipais de ensino fundamental de Santa Rosa possuem biblioteca, com atendimento integral, no período em que a escola está em funcionamento.

Fonte: CP

 

Crissiumal: Prefeitura distribui mudas de árvores nativas para plantio em Área de Preservação Permanente

Objetivo é de proteger principalmente as nascentes de água, margens de rios e açudes

A Prefeitura de Crissiumal, através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural, Pesca e Meio Ambiente, está efetuando a distribuição de mudas de árvores nativas aos agricultores, para o plantio em áreas de APP’s (Área de Preservação Permanente), com o objetivo de proteger principalmente as nascentes de água, margens de rios e açudes, nas diversas localidades do interior do município.

Os recursos usados para aquisição das mudas são do Fundo Municipal do Meio Ambiente, destinado pela empresa distribuidora de energia elétrica RGE, para suplementação da mata nativa nas regiões em que atua.

Esta é a segunda etapa de distribuição de mudas, neste ano, na qual estão sendo disponibilizadas 2.000 unidades aos interessados. Ainda, em sua primeira etapa, realizada em fevereiro, a Secretaria distribuiu 2.100 mudas.

As espécies de árvores são de fácil plantio e adaptação ao solo e clima, são elas: jaboticaba, pitanga, guabiroba, cereja, ingá, goiaba e araçá, as quais estão entre as frutíferas, e, ainda, louro, guajuvira, canelinha, cedro, ipê, entre outras.

A Secretaria está realizando visitas nas propriedades, para acompanhar o plantio e o desenvolvimento das mudas. Nas imagens abaixo, poderão ser conferidas a visita à propriedade de Elói de Campos, na localidade de Três ilhas e, também, em outras localidades visitadas.

 

 

 

Por: Andréia Cristina Queiroz – com informações da SDRPMA

 

Mostra de animais empalhados é atração em Três Passos

A exposição acontece durante a Feicap, que segue até domingo

Foto: Elenara de Oliveira

A Mostra de Animais Empalhados do Parque Estadual do Turvo, de Derrubadas, com apoio do 3º Grupo de Polícia Ambiental, é uma das atrações da Feira da Indústria, Comércio e Agropecuária (Feicap) que acontece em Três Passos, no Noroeste do Estado. Os animais empalhados, de 20 espécies, estarão expostos até domingo, quando termina a feira.

Entre os animais taxidermizados da fauna silvestre brasileira estão veados, capivaras, tucanos, gralhas e tatu. Também acontece a exposição de móveis feitos com materiais reciclados, como puffs de pneus, bancos de paletes e estante de caixas de frutas. O secretário de Meio Ambiente de Três Passos, Diego Maciel, disse que a iniciativa apresenta ao público aves, mamíferos e répteis empalhados. “É uma forma do 3º Grupo de Polícia Ambiental mostrar ao público várias espécies de animais e promover um trabalho educativo em relação à proteção da fauna silvestre.”

Segundo o comando do Grupo da Polícia Ambiental de Três Passos, os animais mostrados na Feicap foram encontrados mortos em rodovias da região e depois foram empalhados. A feira acontece nesta semana no Parque de Exposições Egon Julio Goelzer. São aguardadas 80 mil pessoas até o final do evento, que reúne mais de cem expositores.

 

POR: Elenara de Oliveira – Coordenadora da Comissão de Comunicação da 15ª FEICAP

Produtores Rurais de Crissiumal tem 28% de desconto no pagamento das sementes de milho safra

O desconto é de mais de R$ 40,00 por saca para quem efetuar o pagamento até esta quinta-feira (18)

Os produtores rurais de Crissiumal que adquiriram sementes de milho do Programa Troca-Troca Safra 2018/2019, que efetuarem o pagamento das mesmas até esta quinta-feira, dia 18 de abril, data de vencimento, terão o desconto de 28% na saca.

De acordo com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural o valor normal da saca de semente de milho é de R$ 158,00 (cento e cinquenta e oito reais). Efetuando o pagamento até a data do vencimento, dia 18 de abril, com o desconto de 28%, o produtor pagará o valor de R$ 113,76 (cento e treze reais e setenta e seis centavos). Após, o dia 18 de abril, o produtor perde o desconto e será cobrado o valor normal por saca e mais a correção diária, conforme acontece todos os anos.

Os agricultores podem efetuar a emissão do boleto para pagamento, junto ao Setor de Expediente na Prefeitura, porém o pagamento deve ser realizado nas agências bancárias ou lojas conveniadas.

Por: Andréia Cristina Queiroz – Assessora de Imprensa da Prefeitura de Crissiumal

Prefeitura segue realizando obras para o melhoramento da água potável no interior de Crissiumal

Está em pleno vapor as obras de extensão da rede de água da localidade de Alto Crissiumal/Sanga dos Parentes, da qual já havia sido procedido com a perfuração do poço artesiano e, agora, com os trabalhos de escavação de valas e colocação de rede adutora. Esse é um projeto em parceria com a FUNASA, através do, então, Deputado Federal e, hoje, Ministro da Cidadania, Osmar Terra; e beneficiará mais de quarenta (40) famílias.

Já, a comunidade de Linha Principal contou com a perfuração de um poço tubular profundo, que atenderá mais de vinte (20) famílias, o qual era aguardado há muito tempo, devido a constante falta de água. Preliminarmente o poço perfurado atingiu a marca de 18.000 L/h (dezoito mil litros/hora), que será certificado através de teste de vazão, bem como, análise físico-química da água, a qual será efetuada nos próximos dias.

Nesse seguimento, ainda, em relação a água na comunidade de Esquina Vidal de Negreiros, o Município aguarda o agendamento de data do Estado para finalizar a parte técnica do poço já perfurado na localidade, considerando que é necessário repetir o teste de análise físico-químico para atestar a potabilidade da água.

Ainda, nas comunidades de Esquina Cardoso e Lajeado Sussuaiá, as quais foram efetuadas as perfurações de poços, nos últimos meses; os testes de vazão serão executados no próximo mês de abril.

Fonte: SMPP – Assessoria de Imprensa – Prefeitura de Crissiumal

Atividades do SCFV da Terceira Idade e Projeto Maria foram retomadas esta semana

 

Nesta semana teve o reinicio das atividades, desenvolvidas pela Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social de Crissiumal, com os grupos do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) da Terceira Idade e, também, com os grupos de mulheres do Projeto Maria.

A Secretaria já havia realizado reuniões com os Grupos, na semana que passou, onde foram tratadas importantes informações sobre as atividades a serem desenvolvidas em 2019. Com isso, na manhã de terça-feira, 19 de março, as atividades do SCFV da Terceira Idade, deste ano, reiniciaram.

De acordo com o cronograma emitido pelo CRAS, o Grupo de Idioma e Cultura Alemã, reiniciou suas atividades, na manhã de terça-feira, no CREAS. Já, pela parte da tarde, o Grupo de Educação Física “A Hora é Essa” voltou a praticar suas atividades, no CESIC.

Confira o cronograma, para os próximos encontros e atividades do SCFV da Terceira Idade e do Projeto Maria:

  • Quarta-feira, dia 20 de março, acontecerão as atividades com o Grupo de Jardinagem, às 14 horas, no CREAS, os encontros com o grupo são quinzenais;
  • Dia 21 de março, quinta-feira, atividades com o Grupo de Educação Física, no CESIC, nos horários previamente definidos com os participantes;
  • Sexta-feira, 22, reinicio das atividades com o Grupo de Cinema, no CREAS, às 14h30min;
  • Na segunda-feira, dia 25 de março, os participantes do Grupo de Canto e Coral voltam a se encontrar, no CESIC, às 14 horas. Os encontros são quinzenais.
  • O Grupo de Artesanato reinicia os encontros, na quarta-feira, dia 27 de março, às 8h30min, no CESIC. As atividades, também, são realizadas a cada quinze dias.

Ainda, na terça-feira, à tarde, os encontros com as mulheres do Projeto Maria foram retomados, iniciando na localidade de Vista Alegre. Confira o cronograma:

  • Na Quarta-feira, dia 20 de março, encontro com as mulheres do Projeto Maria, no Bairro Vila Nova, às 14 horas;
  • Dia 21, quinta-feira, na localidade de Esquina Vidal de Negreiros, às 14 horas;
  • E, na localidade de Sussuaiá, o encontro acontece na sexta-feira, dia 22, às 14 horas.

Semanalmente será divulgado o cronograma de atividades do SCFV da Terceira Idade e do Projeto Maria.

Por: Andréia Cristina Queiroz – Assessora de Imprensa da Prefeitura de Crsissiumal