Reativação de Aduana pode favorecer turismo no Salto do Yucumã, em Derrubadas

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Atualmente no lado brasileiro não existe controle em relação à entrada de turistas

Foto: Agostinho Piovesan / Especial / CP

O prefeito de Derrubadas, município onde está localizado o Salto de Yucumã, divisa com a Argentina, Alair Cemin defende o funcionamento uma área de controle aduaneiro e fiscal compartilhada entre Brasil e Argentina na localidade de Porto Soberbo, em Tiradentes do Sul. Atualmente no lado brasileiro não existe nenhum controle em relação à entrada de turistas, pois a aduana foi fechada em 2013.

A ligação entre Porto Soberbo, no Brasil e El Soberbio na Argentina é realizado através de balsas no rio Uruguai. No lado brasileiro não há controle sobre veículos e passageiros e isso faz com que os turistas argentinos que ingressam no território gaúcho fiquem em situação de migração irregular. Já no lado argentino funciona a Gendarmeria Nacional Argentina e da Administracion Federal de Ingresos Públicos (aduana argentina). A estrutura presta serviços de segurança de fronteira, migração, controle aduaneiro e fitozoosanitário.

Cemin disse que o município tem grande interesse na reativação da Aduana em Tiradentes do Sul, pois milhares de argentinos que entram no Brasil, especialmente para chegar às praias, poderiam permanecer alguns dias na região, visitando o Salto de Yucumã – no Parque do Turvo -, além de apreciar outras potencialidades turísticas da região Noroeste do Estado. “No ano passado mais de 150 mil turistas argentinos chegaram ao Brasil através de Tiradentes do Sul, município próximo a Derrubadas, distante a 80 km de Porto Soberbo”, lembra.

Ainda segundo o prefeito de Derrubadas, a melhor visão das belezas do Salto de Yucumã, com 1.800 metros de queda longitudinal de água, se consegue no lado brasileiro. O prefeito destacou a audiência pública realizada na Assembleia Legislativa, em Porto Alegre na última terça-feira. Na oportunidade foi formado um grupo de trabalho, reunindo prefeituras, consórcio Rota do Yucumã, representantes do ministério do Exteriores, Polícia Federal e Receita Federal, o qual vai elaborar um documento a ser entregue as autoridades federais em Brasília.

O prefeito de Tenente Portela e presidente do Consórcio Rota do Yucumã, Clairton Carboni afirma que o turismo é uma atividade crescente na região e esta falta de fiscalização faz com que muitos desistam de ingressar no Brasil através de Porto Soberbo. “Além disso, a falta de fiscalização gera ainda o perigo da entrada de drogas e outros produtos ilegais no nosso país”, observa.

Fonte: Correio do Povo

 

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.