Atendimentos em saúde mental crescem durante pandemia

Desde o início da pandemia de coronavírus, aumentou a busca por atendimento em saúde mental nos postos de saúde e nos serviços da atenção especializada do Rio Grande do Sul. O fenômeno foi identificado a partir de uma pesquisa realizada pela Coordenação Estadual de Saúde Mental da Secretaria da Saúde (SES).

Gestores de 402 municípios gaúchos participaram da pesquisa. Nos serviços da Atenção Básica (como nas Unidades Básicas e Estratégia Saúde da Família), 78% gestores municipais perceberam um aumento na demanda desta natureza. Nos serviços da atenção especializada (Centros de Atenção Psicossocial), 68% dos gestores relataram essa maior demanda.

Entre os principais sintomas de saúde mental que fazem as pessoas procurarem mais os serviços de saúde estão ansiedade, nervosismo ou tensão, perturbação de sono e uso abusivo de álcool ou medicamentos e outras drogas. “Durante uma pandemia, é normal a exacerbação de emoções e sentimentos. Essa situação implica em uma perturbação psicossocial que pode afetar toda a população, em diferentes níveis de intensidade e gravidade”, explica a coordenadora da Saúde Mental, Marilise Souza.

A especialista diz que não há uma forma de “medir” as emoções, para saber se os próprios sintomas ou os de alguém próximo podem ser considerados dentro do “normal” para as atuais circunstâncias ou se está na hora de procurar ajuda profissional. “Isso é muito subjetivo. O que se deve questionar é o quanto essas perturbações estão atrapalhando no seu dia a dia”, completa Marilise.

As taxas de internação hospitalar por transtornos mentais e comportamentais, no entanto, não tiveram aumento durante o primeiro quadrimestre deste ano em relação ao ano passado (foram 9.919 internações entre os meses de janeiro e abril de 2020 e 10.896 internações no mesmo período de 2019).

Para preparar os municípios para o enfrentamento dos eventuais desdobramentos em saúde mental decorrentes da pandemia, a SES recomenda aos gestores municipais a elaboração de Planos Municipais de Cuidados em Saúde Mental e Apoio Psicossocial. As diretrizes do que deve constar nos planos estão disponíveis no site sobre coronavírus da SES junto ao Plano de Contingência Estadual.

Apoio remoto

Quem precisa de apoio profissional pode fazer um atendimento on-line gratuito pelo Projeto ReviraSaúde, da Secretaria da Saúde em parceria com outras instituições e universidades. Os profissionais cadastrados são de diversas áreas da saúde e disponibilizam atendimento por telefone, WhatsApp, Skype, Facebook ou outro contato on-line.

Cuidados com saúde mental

Dicas da SES e da Organização Mundial da Saúde (OMS) para manter a mente saudável durante o isolamento social:

• Manter as rotinas de sono, fazer exercícios físicos e ter alimentação saudável.

• Cuidar dos outros também faz bem. A solidariedade faz bem para quem a recebe e também para a saúde mental de quem a faz.

• Não se expor tanto a informações ao longo do dia. Procurar fontes fidedignas e em horários específicos. É importante se manter informado, mas o excesso pode causar ansiedade ou estresse.

• Evitar o uso de tabaco, álcool e outras drogas.

• Manter contato virtual com familiares e amigos frequentemente.

• Estar alerta aos sinais de estresse e raiva nas crianças e idosos que estão sob sua tutela. Explicar a essas pessoas a importância de se proteger e tentar acalmá-los.

• Ajudar crianças a se expressarem, com atividades criativas e lúdicas.

• Buscar o sistema de saúde quando for realmente necessário.

• Não é porque profissionais de saúde passam por um momento de maior ansiedade que são incapazes de realizar o trabalho ou uma pessoa fraca. É indispensável fazer pausas entre os turnos e mesmo durante o turno de trabalho.

Fonte: Governo RS/ SECOM

Hospitais gaúchos recebem mais R$ 17 milhões em emendas parlamentares

Um novo encontro virtual realizado ontem (2/7) entre a secretária da Saúde, Arita Bergmann, e a secretária-adjunta, Aglaé Regina da Silva, com deputados estaduais e federais e gestores hospitalares garantiu o repasse de mais R$ 17 milhões em emendas parlamentares a 24 hospitais gaúchos sob gestão do governo do Estado.

O ato marcou a assinatura dos termos aditivos aos contratos com cada hospital. Os recursos serão pagos às instituições assim que a portaria da Secretaria da Saúde (SES) que regulamenta esse repasse for publicada no Diário Oficial do Estado (DOE).

A secretária Arita ressaltou a importância do trabalho conjunto e eficiente de todas as pessoas que trabalham nesse processo e garantem que o dinheiro chegue rapidamente à ponta. “Nossa equipe de trabalho, seja aqui em Porto Alegre ou nas Coordenadorias Regionais de Saúde, assim como os parlamentares gaúchos, não tem hora nem dia para trabalhar. Todo esse esforço é revertido em serviços de saúde à população por meio do Sistema Único de Saúde”, disse.

O deputado federal Afonso Hamm disse que as palavras que definem o momento são “parceria” e “agradecimento” por poder auxiliar a SES e os hospitais neste momento delicado. O presidente da Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes, Religiosos e Filantrópicos do Rio Grande do Sul, André Lagemann, agradeceu a dedicação da secretaria e a celeridade com que foram realizados os repasses de recursos “tão importantes aos nossos hospitais, principalmente agora, que todo esforço é necessário para mantê-los de portas abertas”. O deputado estadual Frederico Antunes ressaltou que neste ano os recursos de emendas parlamentares foram prioritariamente destinados para a área da saúde.

Arita aproveitou a presença dos deputados federais para pedir apoio na interlocução com o Ministério da Saúde para encontrar soluções ao desabastecimento de medicamentos para intubação de pacientes que necessitam de respiradores.

Relação de hospitais e valores recebidos.

Texto: Ascom SES
Edição: Secom

SMS de Crissiumal orienta a população para que não procurem as unidades de saúde sem real necessidade

A preocupação é devido as aglomerações que estão ocorrendo junto às unidades

Estamos passando por uma pandemia, o isolamento social é fundamental e é, também, a principal maneira de se proteger e proteger sua família.

Desta forma, a Secretaria de Saúde orienta para que os munícipes não procurem as Unidades de Saúde se não houver necessidade. O fato é que estão ocorrendo situações de aglomerações, junto às ESF’s, devido a alta procura. Portanto, somente busquem atendimento junto ao Posto, se realmente precisar, caso contrário aguardem, pois terão outros momentos para efetuar a realização de exames e fazer a prevenção.

Há indícios de que o pico de contaminação da Covid-19, no interior do Estado, será entre o fim do mês de julho e início de agosto. Portanto, deve-se, a partir de agora, redobrar a atenção e os cuidados.

Diga as medidas de prevenção:

* Use máscara;

* Fique em casa, sempre que possível, só saia se necessário;

* Lave as mãos frequentemente com água e sabão ou hogienize com álcool em gel 70%;

* Não vá até o Posto de Saúde se não for em situação de urgência.

 

Fonte: SMS – Prefeitura de Crissiumal

Rio Grande do Sul atinge meta da Campanha de Vacinação Contra a Gripe

Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

O Estado atingiu a meta de cobertura de 90% do público-alvo geral da Campanha Nacional de Vacinação da Influenza neste ano. Oficialmente, a campanha se encerrou na terça-feira (30/6), conforme diretriz do Ministério da Saúde. A orientação da secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann, é que os municípios sigam fazendo busca ativa nos grupos prioritários que ainda não atingiram a meta. “Para os municípios que atingiram a meta e ainda tenham doses da vacina, a recomendação é abrir para os outros grupos da população”, recomenda.

A chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica, Tani Ranieri, esclarece que “o percentual de 90% não foi atingido de forma homogênea, considerando-se a distribuição entre os grupos prioritários e entre os municípios.

A cobertura vacinal foi atingida no grupo dos trabalhadores de saúde (112,88%), dos povos indígenas (103,24%) e dos idosos (116,50%). “Mas em alguns grupos a vacinação ficou bem abaixo do esperado, como para as crianças (60,84%), gestantes (57,3%), adultos de 55 a 59 anos (54%) e puérperas (62,83%)”, pontua Tani. “Para vencermos este desafio, contamos com o apoio e o compromisso de todos os envolvidos.”

A enfermeira do Núcleo Estadual de Imunizações do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), Eliese Denardi Cesar, diz que as pessoas nos grupos de risco são mais vulneráveis a complicações decorrentes da gripe. A vacina diminui as internações pela doença e, portanto, evita sobrecarga de atendimentos em tempos de epidemia da Covid-19.

Confira aqui o relatório da aplicação de doses.

PÚBLICOS-ALVOS
Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe neste ano

• Pessoas de 60 anos ou mais
• Trabalhadores da saúde
• Profissionais das forças de segurança e salvamento
• Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais
• Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas
• População privada de liberdade e funcionários do sistema prisional
• Caminhoneiros
• Motoristas e cobradores de transporte coletivo
• Portuários
• Povos indígenas
• Crianças de 6 meses a menores de 6 anos
• Pessoas com deficiência, gestantes e puérperas até 45 dias
• Adultos de 55 a 59 anos
• Professores de escolas públicas e privadas

Cobertura vacinal da gripe no Rio Grande do Sul neste ano

• Todos públicos-alvo: 90%
• Trabalhadores de saúde: 112,88%
• Povos indígenas: 103,24%
• Idosos: 116,5%
• Crianças: 60,84%
• Gestantes: 57,3%
• Adultos de 55 a 59 anos: 54%
• Puérperas: 62,83%

Texto: Ascom SES
Edição: Secom

Hospitais estaduais recebem repasse de R$ 43 milhões via emendas da bancada federal

Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

Mais de cem hospitais gerenciados pelo governo do Estado receberão um reforço financeiro para o combate ao coronavírus. No valor de cerca de R$ 43 milhões, o repasse foi feito via emendas extraordinárias da bancada federal gaúcha e já está no caixa estadual para ser encaminhado aos hospitais.

O anúncio do repasse foi feito na manhã desta terça-feira (30/6), via videoconferência transmitida em redes sociais. Com a participação do governador Eduardo Leite, do vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, e da secretária da Saúde, Arita Bergmann, o encontro reuniu deputados federais e estaduais e senadores.

“O governo do Estado é uma peça na engrenagem. Não governamos o Estado sozinho, nem faremos as mudanças necessárias sozinhos. Agradeço muito pela ajuda e pela disposição dos parlamentares em colaborar constantemente, não só no repasse de recursos, mas na interlocução com o governo federal”, destacou o governador.

A bancada federal realocou, por meio de emendas extraordinárias, recursos de outras pastas federais para a Saúde. No total, serão R$ 99,3 milhões repassados ao Rio Grande do Sul com o objetivo de fortalecer as ações de combate ao coronavírus. Desse valor, R$ 43.400.725,93 serão enviados a 111 hospitais sob gestão estadual. O restante do valor será repassado a hospitais sob gestão municipal.

Ao representar o líder da bancada federal, deputado Giovani Cherini, que não pode comparecer ao encontro virtual, o deputado Pedro Westphalen ressaltou a união entre os parlamentares. “Estamos sabendo atuar de maneira uniforme neste momento, fazendo das diferenças um aprendizado no combate ao coronavírus. A bancada se uniu e decidiu, de maneira unânime, redirecionar os recursos para auxiliar os hospitais”, explicou.

Dos 111 hospitais estaduais contemplados, 46 receberão o aporte – cerca de R$ 19 milhões – ainda nesta terça (30/6). “Celebramos esses recursos, tão importantes neste momento, e agradecemos aos deputados, nossos parceiros, que realocaram esse valor”, reforçou a secretária Arita Bergmann.

O deputado estadual Zé Nunes representou o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ernani Polo, que não pode comparecer ao encontro. Representando os senadores, o senador Luis Carlos Heinze também manifestou a importância da união, deixando de lado ideologias partidárias, neste momento de combate ao coronavírus.

Clique aqui e confira a lista dos 111 hospitais contemplados e quanto cada um receberá.

 

Fonte: Governo do RS

Terceiro óbito por coronavírus é confirmado em Três Passos

Homem tinha 61 anos

O comando do 7º BPM (Batalhão de Polícia Militar), com sede em Três Passos, divulgou uma nota de pesar, em suas redes sociais, solidarizando-se com os familiares da vítima.

No início da tarde desta terça-feira (30), a prefeitura de Três Passos confirmou, através da Unidade Sentinela, o terceiro óbito de paciente infectado pela Covid-19 no município.

O paciente, de 61 anos, procurou o atendimento da Unidade Sentinela, no dia 21 de junho, por apresentar sintomas da Covid-19, sendo encaminhado de imediato ao Hospital de Caridade onde foi internado.

Com histórico de cardiopatia e enfisema pulmonar, o quadro de saúde do aposentado, se agravou, precisando ser transferido da Ala Covid para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no dia 23 de junho, necessitando ser entubado.

Já, no dia 24 de junho, o resultado do exame foi confirmado positivo para a doença, pelo Laboratório Central do Estado (LACEN). O paciente faleceu hoje, dia 30 de junho, às 12horas, sendo este, o terceiro óbito do município em decorrência da infecção.

Também, outro familiar do paciente, uma senhora de 83 anos, internada no Hospital desde o último domingo, com diagnóstico positivo para coronavírus, precisou ser removida nesta manhã para a UTI.

O prefeito Municipal, José Carlos Amaral, presta condolências e solidariedade aos familiares e amigos, nesse momento de dor profunda pela perda irreparável. Ele reforça as recomendações das medidas de segurança, definidas em decreto, para controle da velocidade da propagação do novo coronavírus no município.

Até o momento, Três Passos registra 514 casos negativos da doença e 359 positivos, sendo, destes, 159 deram alta-curados. São três óbitos pela infecção e cerca de 500 pessoas estão orientadas ao isolamento.

 

Fonte: Prefeitura de Três Passos

ANS torna obrigatória cobertura de teste de Covid-19 em planos de saúde

Agência tomou decisão em resposta a uma ação judicial a respeito do tema. Cobertura vale para segmentação ambulatorial, hospitalar e de referência

Foto: Agência Brasil

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) tornou obrigatória a cobertura de testes sorológicos para detectar o novo coronavírus em planos de saúde, de acordo com resolução publicada nesta segunda-feira (29) no Diário Oficial da União. A ANS afirma que a medida atende a uma determinação judicial.

Segundo o gerente -geral de Regulação Assistencial, Teófilo Rodrigues, os exames sorológicos passam a ser de cobertura obrigatória nas segmentações ambulatorial, hospitalar (com ou sem obstetrícia) e referência, nos casos em que o paciente apresente ou tenha apresentado os seguintes quadros clínicos: Síndrome Gripal – quadro respiratório agudo, caracterizado por sensação febril ou febre, acompanhada de tosse ou dor de garganta ou coriza ou dificuldade respiratória; e Síndrome Respiratória Aguda Grave – desconforto respiratório/dificuldade para respirar ou pressão persistente no tórax ou saturação de oxigênio menor do que 95% em ar ambiente ou coloração azulada dos lábios ou rosto.
Queixas 

Os clientes de planos de saúde registraram 4.701 queixas relacionadas à pandemia do novo coronavírus na ANS, entre o ínicio de março e o dia 15 de junho. O dado faz parte da segunda edição do Boletim Covid-19, divulgado nesta segunda-feira pela agência reguladora.

Entre as queixas, 36% dizem respeito a exames e tratamento da doença e 43% reclamavam de outras assistências afetadas pela pandemia. Outros 21% foram sobre temas não assistenciais, como contratos ou regulamentos.

As reclamações sobre dificuldades no tratamento ou exames de Covid-19 seguem em trajetória de aumento desde abril. Na primeira quinzena de junho, foram 452 queixas, contra 352 na segunda quinzena de maio e 317 nos primeiros 15 dias de maio.

Fonte: R7

Casos globais de covid-19 superam 10 milhões

Doença já matou mais de meio milhão de pessoas em sete meses

Pixabay

Os casos globais de coronavírus ultrapassaram 10 milhões nesse domingo (28), uma importante marca na disseminação da doença respiratória que já matou mais de meio milhão de pessoas em sete meses. A contagem é da Reuters.

O número representa cerca do dobro de casos de doenças por influenza severa registrados anualmente, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.

A marca é atingida no momento em que muitos países duramente afetados estão afrouxando as restrições, ao mesmo tempo em que fazem fortes alterações em relação a trabalho e à vida social, que podem durar ao menos um ano até que uma vacina esteja disponível.

A América do Norte, América Latina e Europa respondem, cada uma, por cerca de 25% dos casos, enquanto a Ásia e o Oriente Médio têm cerca de 11% e 9% respectivamente, de acordo com a contagem da Reuters, que usa relatórios governamentais.

Há mais 497 mil mortes ligadas à doença até agora, o mesmo que o número de mortes por influenza relatado anualmente.

Fonte: Agência Brasil

Ijuí ultrapassa os 200 casos de Covid-19

Neste domingo dia 28 de junho de 2020, foi confirmado dezessete novos casos da Covid-19 em Ijuí.

A Secretaria de Saúde do município emitiu nesta tarde o boletim epidemiológico que confirmam mais  17 pacientes com o resultado positivo para o Coronavírus. Agora são 202 casos confirmados da doença.

Ainda segundo os dados são 122 pacientes em recuperação, 79 curados, 10 casos suspeitos que aguardam resultado e um óbito.

 

Fonte: Rádio Metrópole

Governo do Estado distribui 61 respiradores para 17 hospitais

Ainda serão entregues mais 39 aparelhos do lote encaminhado pelo Ministério da Saúde

Foto: Divulgação SES

Um grupo de 17 hospitais do Rio Grande do Sul já recebeu 61 respiradores distribuídos pela Secretaria da Saúde (SES). Os equipamentos integram um lote de cem unidades enviadas pelo Ministério da Saúde, e as entregas ocorrem no Setor de Suprimentos da SES, em Porto Alegre.

O material é destinado para deslocamento e atendimento em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) de pacientes com casos graves de Covid-19.

No total, o Estado recebeu 35 respiradores para utilização durante transporte de pacientes e 65 para instalação em UTI. Os equipamentos contemplarão 38 hospitais. A iniciativa é um reforço e suporte à rede hospitalar do Rio Grande do Sul no enfrentamento à pandemia do coronavírus.

Lista dos hospitais que já retiraram respiradores.

Lista dos hospitais que ainda receberão respiradores.

Texto: Ascom SES
Edição: Secom