Empresas e sindicatos tentam encontrar saídas para evitar demissões em massa

Crise provocada pela pandemia afeta a atividade econômica dos mais variados setores

Em meio à crise econômica provocada pelo coronavírus, empresas e sindicatostentam encontrar saídas para espantar o fantasma de demissões em massa no Rio Grande do Sul. Nos últimos dias, entidades patronais e representantes dos trabalhadores costuraram acordos para evitar a perda de empregos.

Os acertos incluem a possibilidade de redução salarial durante a pandemia. Além disso, algumas companhias de grande porte, mesmo sem abrirem negociações até o momento, prometem manter seus atuais quadros de funcionários.

Um dos principais acordos já fechados é o da General Motors (GM), que opera em Gravataí, na Região Metropolitana. Na quarta-feira passada, o sindicato dos metalúrgicos do município aprovou proposta da montadora de veículos que prevê a adoção de layoff, ou seja, suspensão temporária dos contratos de trabalho. A medida é válida por até quatro meses.

Durante o período de vigência do acordo, está prevista redução de 5% a 25% nos salários líquidos dos funcionários. Conforme o sindicato, cerca de 6 mil trabalhadores atuam no complexo industrial formado por GM e empresas sistemistas, que fornecem insumos para a montadora.

— É melhor termos a suspensão dos contratos do que demissões no momento. Não é o que queríamos, mas é o possível agora – diz o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí, Valcir Ascari.

Em nota, a GM afirma que procura adotar medidas para preservar os empregos em meio à pandemia. “Continuaremos a acompanhar a evolução do cenário e estaremos prontos para retomar as atividades assim que for possível”, comenta a montadora.

Ainda na quarta-feira, o governo Jair Bolsonaro anunciou medida provisória (MP) que permite a redução de jornada e salários durante a crise ou até a suspensão temporária de contratos. Em parte dos casos, há possibilidade de negociação direta entre empregadores e funcionários.

No texto, o governo se compromete a cobrir parte da renda perdida pelos trabalhadores, usando parcela do seguro-desemprego. O Ministério da Economia estima custo de R$ 51 bilhões à União.

Até sexta-feira, cerca de 500 empresas demonstraram interesse em reduzir jornadas ou suspender contratos na Capital, segundo o Sindilojas Porto Alegre, que reúne lojistas, e o Sindec, que representa os funcionários do comércio.

– Acordos negociados antes da MP não perdem sua validade. A medida provisória traz novas oportunidades. A negociação direta com funcionário talvez exija mais cautela. O recomendável seria que as empresas continuassem a procurar os sindicatos. A Constituição aponta que não se pode reduzir salários sem negociações coletivas – afirma o advogado Luiz Afrânio, sócio da área trabalhista do Veirano Advogados.

Com o isolamento social causado pelo coronavírus, grandes companhias gaúchas como a Marcopolo, de Caxias do Sul, deram férias coletivas para os funcionários. Em entrevista a GaúchaZH na quarta-feira, o CEO da montadora de ônibus, James Bellini, descartou demissões neste momento. Segundo ele, uma das possibilidades em análise é a busca por acordos com sindicatos para evitar cortes.

Remanejamento

A Lojas Renner, outra marca de grande porte nascida no Estado, seguiu caminho semelhante e decidiu não demitir trabalhadores, sem justa causa, por tempo indeterminado. Em nota, o diretor-presidente da rede, Fabio Faccio, relata que a empresa “está implementando diversas iniciativas para mitigar os impactos da crise”.

Fizemos reduções e negociações de uma série de despesas e reavaliamos os investimentos previstos para 2020. Revisamos todo o nosso orçamento com foco na preservação de caixa. Além disso, revisamos a remuneração dos nossos acionistas, propondo diminuir a distribuição de dividendos em 50%”, frisa Faccio.

No setor de tecnologia, também há iniciativas para evitar demissões. Com matriz em Santa Catarina e presente no Rio Grande do Sul, a GOVBR está operando em regime de home office. Parte dos funcionários responsáveis por serviços que perderam fôlego na crise foi remanejada para setores em que houve aumento na demanda, conta o diretor de mercado, Rafael Sebben.

A companhia, que desenvolve softwares para gestão pública, emprega em torno de 600 pessoas no país. No Rio Grande do Sul, são cerca de 150 – 90 em Porto Alegre.

– Tomamos logo a decisão de evitar demissões. Sabemos que a economia ficará fragilizada com a crise. Procuramos desenvolver soluções de acordo com a demanda dos clientes – pontua Sebben.

Entre 15 de março e 2 de abril, 11 audiências de mediação entre empresas e trabalhadores foram conduzidas pela vice-presidência do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT4), sediado em Porto Alegre. Conforme o TRT4, aspectos diversos relacionados ao coronavírus, como medidas de prevenção no ambiente profissional, estiveram em debate.

Fonte: ZH

*Colaborou Mateus Ferraz

Crissiumal : Novas vagas de trabalho estão disponíveis no Sine

A agência do SINE de Crissiumal disponibiliza 3 vagas para FRENTISTA, para ambos os sexos. Interessados (as) deverão deixar currículos no SINE, do dia 09 a 13 de março.

Maiores informações também poderão ser adquiridas no SINE.

 

Por: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Crissiumal

Taxa de desemprego fica em 11,2% no trimestre até janeiro, afirma IBGE

Renda média real do trabalhador foi de R$ 2.361 no período

Foto: Guilherme Testa / CP

A taxa de desocupação no Brasil ficou em 11,2% no trimestre encerrado em janeiro, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados nesta sexta-feira, 28, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em igual período de 2019, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua estava em 12,0%. No trimestre até dezembro, a taxa foi de 11,0%. Estes sãos os primeiros números sobre o desemprego em 2020.

De acordo com o IBGE, 11,9 milhões de pessoas estão desocupadas. A população ocupada no país é de 94,2 milhões de pessoas, sendo que 40,7% delas estão na informalidade, o que corresponde a 38,3 milhões de trabalhadores, taxa 0,5 ponto percentual abaixo da do trimestre encerrado em outubro. Estão subutilizadas 26,4 milhões de pessoas, número 2,7% menor do que o registrado no período anterior. Esse índice indica o número de pessoas que poderiam trabalhar mais horas do que estão trabalhando.

Já o número de desalentados, ou seja, pessoas que desistiram de procurar trabalho, ficou em 4,7 milhões, o que equivale a 4,2% da força de trabalho. O índice ficou estável na comparação trimestral e na anual.

A renda média real do trabalhador foi de R$ 2.361 no trimestre encerrado em janeiro. O resultado mostra estabilidade em relação ao número do mesmo período do ano anterior. A massa de renda real habitual paga aos ocupados somou R$ 217,399 bilhões no trimestre até janeiro, alta de 2,2% ante igual período do ano anterior, segundo o IBGE.

 

*Agência Brasil/AE

Crissiumal: Vaga de emprego para Técnico em Segurança do Trabalho

 

Uma vaga de trabalho para TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO está disponível na agência do SINE de Crissiumal, para ambos os sexos.

É necessário possuir Curso Técnico na área.

Interessados deverão deixar currículos até dia 02 de março, no SINE.

 

 

 

Por: Assessoria de Imprensa

Vaga de trabalho para Atendente em Crissiumal

Interessados deverão deixar seu currículo até dia 19

Há disponível na agência do SINE de Crissiumal uma vaga de trabalho para ATENDENTE, ambos os sexos.

Interessados deverão deixar currículo no SINE até quarta-feira, dia 19 de fevereiro.

Mais informações junto ao SINE.

Vagas de trabalho na agência do Sine de Crissiumal

Confira

A agência do SINE de Crissiumal informa as vagas de trabalho disponíveis no município.

Há disponível uma vaga para CONSULTOR AGRÍCOLA (masculino e feminino). Trabalho temporário para a safra. Requisitos: CNH “B” definitiva; ensino médio completo e total disponibilidade de horário.

Também, o SINE possui uma vaga disponível para FAXINEIRA.

Currículos deverão ser deixados até terça-feira, dia 18 de fevereiro.

Maiores informações poderão ser obtidas na agência do SINE de Crissiumal.

Por: Andréia Cristina Queiroz

Prefeitura de Crissiumal abre inscrições para a contratação temporária de Agentes Visitadores do PIM e de Supervisor do Programa Criança Feliz

Inscrições estarão abertas nos dias 17, 18 e 19 de fevereiro

A Prefeitura Municipal de Crissiumal, através do Decreto nº024/2020, abre inscrições para o Processo Seletivo Simplificado para a contratação temporária de 1 (um) Supervisor e 2 (dois) Agentes Visitadores do PIM, do Programa Criança Feliz, no âmbito da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social.

A carga horária de trabalho para o Supervisor é de 20 horas/semanais e, para os Agentes Visitadores do PIM é de 40 horas/semanais.

As inscrições estarão abertas nos dias 17, 18 e 19 de fevereiro, junto ao Setor de Recursos Humanos da Prefeitura, localizado na Avenida Presidente Castelo Branco nº 424, no horário das 7h30min às 11h30min e das 13h30min às 17h30min.

 

 

Por: Andréia Cristina Queiroz

 

 

Carteira de Trabalho Digital entra em vigor para reduzir a burocracia

Saiba como funciona e como habilitá-la

A Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) vem passando por alterações importantes de interesse a todos os trabalhadores e empregadores, a Carteira de Trabalho Digital.

A finalidade da CTPS é registrar de forma tempestiva todos os acontecimentos relacionados a vida do trabalhador, ou seja, é um documento obrigatório para toda pessoa que venha a prestar algum tipo de serviço, seja na indústria, no comércio, na agricultura, na pecuária ou mesmo de natureza doméstica. Logo, além das informações relacionadas à admissão do empregado, devem ser registradas as alterações de salário, mudança de local de trabalho, pagamento e gozo de férias, 13° salário, rescisão, entre outros.

Com o registro dessas informações, a CTPS também serve como documento comprobatório em ações trabalhistas e direitos como, seguro-desemprego, FGTS, benefícios previdenciários como, por exemplo, a aposentadoria e salário maternidade, etc.

Como registrar na CTPS digital

A Carteira de Trabalho Digital foi instituída pela Lei de Liberdade Econômica, nº 13.874/19 e pela Portaria SEPRT 1.065/2019. O objetivo é simplificar os processos de registro do empregador e a comprovação do trabalhador, facilitando o acesso. O documento totalmente eletrônico equivale à antiga Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) física.

Na contratação, o trabalhador não precisa mais apresentar a antiga carteira, basta informar o CPF ao empregador. A empresa tem o prazo de 5 dias para registrar a nova admissão na CTPS digital. Contudo, o prazo de 48 horas para devolver a carteira não se aplica na Carteira Digital. Porém, as informações registradas na CTPS digital, precisam estar disponíveis ao trabalhador, no prazo de 48 horas.

Com a Carteira de Trabalho Digital o trabalhador acompanha o seu atual contrato de trabalho e tem acesso aos registros trabalhistas formais anteriores. As anotações que eram realizadas na CTPS Física, agora serão feitas somente eletronicamente e o acompanhamento será realizado através da Carteira de Trabalho Digital.

O trabalhador pode baixar gratuitamente o aplicativo para celulares (IOS ou Android) ou acessar https://gov.br/trabalho e validar o seu documento digital. Não é necessário nenhum tipo de pagamento para obter o CTPS digital.

Maiores esclarecimentos, poderão ser obtidos na Agência do SINE/FGTAS de Crissiumal, junto à Secretaria de Indústria, Comércio, Turismo e Desenvolvimento Econômico, a partir do dia 10 de fevereiro de 2020.

Crissiumal – Vaga para Auxiliar de Produção

A agência do SINE de Crissiumal possui uma vaga de emprego para AUXILIAR DE PRODUÇÃO, para o sexo masculino.

Interessados deverão ter idade mínima de 18 anos e ensino médio completo.

Deixar currículo  no SINE até o dia 14 de janeiro (terça-feira).

 

 

Por: Andréia Cristina Queiroz

Carteira de trabalho digital é exigida para concorrer a vagas e solicitar seguro-desemprego

Documento em papel não está mais sendo emitido e deixa de valer para quem procura as agências FGTAS/Sine

A partir desta segunda-feira (16), os trabalhadores deverão apresentar a habilitação da Carteira de Trabalho Digital para conseguir concorrer a vagas oferecidas nas agências do Sine e para solicitar o seguro-desemprego. A sexta-feira passada foi o último dia de encaminhamento da carteira de trabalho em papel. A partir desta segunda-feira, será possível apenas emitir o documento de forma digital.

A nova versão é equivalente ao documento físico e está previamente emitida a todas as pessoas inscritas no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), sendo necessária apenas a habilitação via internet, por meio de um celular ou computador. A carteira em papel, porém, não deve ser desprezada: a orientação da Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS) é para que o documento seja guardado, uma vez que poderá ser utilizado para comprovação de tempo de trabalho anterior.

A mudança decorre da lei número 13.874, do governo federal, de 20 de setembro de 2019. Dúvidas sobre o novo documento podem ser esclarecidas no site bit.ly/CPTSdig.

Como acessar a Carteira de Trabalho Digital

É preciso usar um computador ou celular com acesso à internet e entrar no site bit.ly/CPTSdig, do governo federal. Lá, criar uma conta, a partir das orientações oferecidas.

Após a criação da conta, o usuário pode baixar o aplicativo de celular Carteira de Trabalho Digital pela Play Store (para quem tem aparelho com sistema Android) ou App Store (para quem tem iPhone).

O acesso ao documento é gratuito.

 

*Diário Gaúcho