Crissiumal – Escola Rocha Pombo emite nota à comunidade escolar

Confira

Foto- Emerson Gomes

A Escola Estadual de Ensino Médio Rocha Pombo desde o início do cumprimento dos protocolos de combate ao Covid 19, vem desenvolvendo atividades remotas visando contemplar o ensino em todos os níveis.

As atividades são preparadas pelos professores responsáveis de cada componente e repassada aos alunos que dispõem de internet e equipamentos adequados via plataforma classroom.

Mas para que as atividades contemplem todos os alunos da escola, as atividades  são também entregues de maneira física, onde os alunos ou responsáveis retiram as mesmas impressas na escola.

Em virtude ne nossa região estar em bandeira laranja e enquanto ela permanecer nesta bandeira , o atendimento na escola será ampliado e passará a ser em terças, quartas e quintas feiras,  das 9 às 12 e das 13:30 às 17 horas.

No caso de a região retornar a bandeira vermelha o atendimento volta a ser em quartas feiras ,das 9 às 15 horas, sem fechar ao meio dia.

Pedimos a compreensão dos senhores pais ou responsáveis quanto ao momento enfrentado e solicitamos também que as  famílias acompanhem a vida escolar de seus filhos e verifiquem com os mesmos a realização das atividades.

 

   

Entidades de 441 municípios do RS participam da consulta sobre retorno presencial das aulas

Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini / Divulgação

A iniciativa do governo do Estado de reunir sugestões sobre a retomada das aulas recebeu a contribuição de entidades com atuação em 441 municípios gaúchos. Com participação majoritária da rede municipal de ensino, a consulta pública reuniu 759 respostas com propostas para o melhor cenário de reinício das atividades presenciais, incluindo medidas de prevenção ao coronavírus e os desafios para implementar protocolos específicos.

Por um período de 10 dias, o governo deu oportunidade para que as entidades representativas, como secretarias municipais, conselhos, sindicatos e entidades sociais, apontassem os caminhos mais indicados para o retorno gradual do ensino. As sugestões já foram catalogadas por uma equipe que atua junto ao Comitê de Dados e agora serão analisadas por um grupo de especialistas da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG), com apoio das secretarias de Educação (Seduc) e da Saúde (SES).

“Sabemos que o assunto da educação mobiliza muitas pessoas devido à preocupação com a vida das crianças e das famílias. Embora as crianças pertençam a um grupo de menor risco de letalidade, evidentemente são transmissoras do vírus. Não há uma solução fácil, então buscamos ouvir o máximo possível de entidades e de representantes do setor para chegarmos a uma solução coletiva e colaborativa para os próximos passos. A pesquisa nos ajuda a identificar como a retomada do ensino presencial está sendo vista”, explicou o governador Eduardo Leite, ao apresentar os resultados durante transmissão ao vivo pelas redes sociais nesta quinta-feira (30/7).

Em um primeiro momento, a consulta apresentou quatro cenários fechados, dos quais o que recebeu mais votos foi o que estabelece a retomada do ensino presencial em cinco etapas. Os ensinos Médio e Técnico seriam os primeiros a retomar as atividades. Em seguida, os anos finais do Fundamental (do 6° ao 9° ano), os iniciais do Fundamental (do 1° ao 5° ano), o Superior e, por último, a Educação Infantil (creche e pré-escola). Essa proposta recebeu 679 votos (89,5%), de um universo de 759.

“Foi majoritário o cenário B, que começa pelo retorno dos ensinos Médio e Técnico, mas no caso das redes assistenciais e organizações da sociedade civil, a gente percebe que há um grupo que vota pelo retorno da Educação Infantil, possivelmente porque são entidades mais ligadas a populações em maior situação de vulnerabilidade e há preocupação com as condições em que essas famílias estão vivendo”, ponderou o governador.

Em outro momento da pesquisa, pediu-se que as instituições montassem o cenário que, na visão de cada uma, era ideal para a retomada do ensino presencial. O retorno do Ensino Superior foi o mais votado para ser a primeira etapa, seguido dos ensinos Médio e Técnico, depois Fundamental (anos finais e após anos iniciais) e, por último, a retomada da Educação Infantil.

Outra opinião majoritária das entidades é no sentido de estabelecer as aulas apenas em turno único, mesmo nas situações de estudantes da Educação Infantil e do Ensino Médio que frequentavam as escolas no modelo de turno integral.

Ao lançar a consulta pública (1.520 entidades receberam um formulário eletrônico para responder), o governador alertou para a complexidade de definir os melhores protocolos para a retomada da rotina em sala de aula. A educação movimenta, no Rio Grande do Sul, mais de 2,5 milhões de pessoas, desde a pré-escola à pós-graduação. Esse contingente representa ao redor de 20% da sociedade gaúcha.

“É muita gente envolvida e, evidentemente, devemos ter todo o cuidado, porque significa uma grande circulação de pessoas nos deslocamentos e, em grande parte do tempo, que ficarão juntas em ambientes quase fechados ou fechados. Mas, de outro lado, temos a preocupação porque estamos falando da formação dos adultos que queremos, do futuro das gerações”, destacou Leite.

As entidades também apresentaram sugestões a serem tomadas no que diz respeito ao transporte das crianças, medidas de prevenção, educação especial e ao cumprimento das medidas de distanciamento.

A decisão a respeito da retomada do ensino presencial ainda não está tomada. O governo do Estado segue debatendo internamente a questão, com as equipes técnicas, prefeitos e entidades que representam a educação.

Texto: Pepo Kerschner/Ascom SPGG e Suzy Scarton
Edição: Vitor Necchi/Secom

Inscrições para o Prouni começam nesta terça, com quase 170 mil bolsas

Do total, 60.551 são bolsas integrais e 107.229, parciais

As inscrições para o processo seletivo do Programa Universidade para Todos (Prouni) abrem hoje (14) e vão até a sexta-feira (17). A iniciativa do governo federal oferece bolsas de estudo em instituições de ensino superior privadas.

Os interessados devem acessar o portal do Prouni e consultar as bolsas e cursos disponíveis. No site é possível buscar por instituição, município ou área de estudo.

De acordo com o Ministério da Educação, neste segundo processo seletivo foram disponibilizadas 167.780 bolsas em 1.061 faculdades particulares. Destas, 60.551 são bolsas integrais e 107.229, parciais.

Para inscrição, é preciso ter uma conta no portal de serviços do governo federal.

Pelo Prouni, é possível obter bolsas integrais ou parciais, que custeiem todo o curso ou metade do valor.  As integrais são destinadas aos estudantes com renda familiar por pessoa de até 1,2 salário-mínimo. Já as parciais contemplam alunos cujas famílias possuem renda familiar por pessoa de até três salários mínimos.

O Ministério da Educação estabelece como requisitos também o aluno ter conseguido nota de pelo menos 450 pontos de média no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e não ter diploma de ensino superior.

O cronograma prevê, após o fim das inscrições, a divulgação do resultado da 1ª chamada no dia 21 de julho, a comprovação de informações da 1ª chamada até o dia 28 deste mês e o resultado da 2ª chamada no dia 4 de agosto.

*Agência Brasil

Dez milhões de crianças podem abandonar a escola, alerta ONG

Estudo foi feito pela organização britânica Save The Children

Cerca de 10 milhões de crianças no mundo podem não voltar à escola após o confinamento pelas consequências econômicas do novo coronavírus, alertou a ONG britânica Save the Children.

Antes da pandemia, 258 milhões de crianças e adolescentes estavam fora do sistema educacional.

Segundo o informe, 1,6 bilhão de alunos tiveram que abandonar as aulas em escolas ou universidades por causa da pandemia.

“Pela primeira vez na história da humanidade, uma geração inteira de crianças viu seu ritmo escolar alterado”, destacou a Save the Children em seu relatório.

A associação, que pede a governos e doadores ação para enfrentar o que chamou de “urgência educacional mundial”, considera que até 9,7 milhões de alunos podem abandonar a escola para sempre até o fim do ano.

Sem estas ações, as desigualdades existentes hoje “vão aumentar entre ricos e pobres, e entre meninos e meninas”, declarou em um comunicado Inger Ashing, diretora-geral da Save the Children.

Em 12 países, principalmente no centro e no oeste da África, assim como no Iêmen e no Afeganistão, as crianças enfrentam um “risco muito forte” de não voltar à escola após o confinamento, especialmente as meninas.

Fonte: AFP/ Correio do Povo

RS lança plataforma inédita para ajudar alunos a se prepararem para o Enem

Com parceria da iniciativa privada, 66 mil estudantes do terceiro ano terão conteúdos interativos de forma totalmente gratuita

Foto: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini

Depois do projeto de teleaula Pré-Enem Seduc RS, os alunos gaúchos poderão contar com mais uma iniciativa totalmente digital, interativa e gratuita para se prepararem para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que será nos dias 14 e 24 de janeiro de 2021, além de vestibulares, durante o delicado cenário provocado pela pandemia.

De forma inédita no país, a plataforma Resolve Sim foi anunciada nesta quinta-feira (9/7) pelo governador Eduardo Leite, durante transmissão ao vivo pelas redes sociais, e oferecerá conteúdos para os 66 mil estudantes do terceiro ano do ensino médio. Há discussões para que os demais alunos – são 235 mil estudantes no ensino médio – também possam acessar o conteúdo.

“A vida de todos está sofrendo impacto pela pandemia e iniciativas como essa significam um apoio relevante da própria sociedade para diminuir o impacto da doença. É uma ferramenta generosa que vai oferecer conteúdos e exercícios de alta qualidade, além de simulados, de forma totalmente gratuita, sem custo para os estudantes nem para o Estado”, afirmou o governador.

Incorporado ao ambiente do Google Sala de Aula (Google Classroom), que está permitindo aos alunos e professores da rede seguirem com as aulas de forma remota, a Resolve Sim é composta por 48 aulas completas, sendo que metade delas já estará disponível para acesso imediato. Após, haverá aulas novas sendo postadas diariamente.

De acordo com Leite, um dos responsáveis pela parceria entre o governo e a iniciativa privada é o apresentador Luciano Huck, que tem incentivado diversas iniciativas de estímulo aos jovens e às boas práticas de alcance social.

“No começo da pandemia, fiquei pensando qual poderia ser minha contribuição, além da boa informação que sempre tento trazer nas mais diferentes plataformas, e vi que poderia ser construir pontes, fazer com que a solidariedade fosse mais contagiosa do que o vírus”, afirmou Huck, que participou da transmissão.

Todo o conteúdo é produzido pela Eleva Educação, um dos mais conceituados grupos de ensinos fundamental e médio do país, com metodologia e tecnologia digitais da Estácio, uma das maiores universidades privadas e líder em inovação no EaD do país, sem nenhum custo para o governo do Estado.

“A pandemia veio para iluminar as enormes desigualdades que temos neste país, entre elas, no acesso à educação, não só na qualidade, mas no acesso digital também. Diante desse cenário, tentei cutucar a sociedade e, juntamente com a Estácio e a Eleva Educação, conseguimos criar um projeto-piloto. E aí me veio à cabeça o governador Eduardo Leite, que leva a sério seu ofício, e propus: ‘Quer tentar desenvolver? Temos tudo de graça, só precisamos dos alunos. Deu certo e quase 70 mil alunos que vão prestar Enem vão ter disponível essa ferramenta com dados, qualidade e, de fato, espero que isso ajude a manter o RS na liderança do Enem como foi em 2019”, acrescentou Huck.

O secretário da Educação, Faisal Karam, reforçou que a parceria com a Eleva e com a Estácio é uma garantia de que a educação gaúcha seguirá evoluindo. “Formaremos alunos com maior qualidade, e também proporcionaremos aos professores auxílio e apoio para a condução das aulas e das atividades pedagógicas. Que seja a primeira de muitas outras parcerias”, destacou.

Mais conteúdo

Durante a transmissão, Leite mostrou rapidamente como funcionará a plataforma. O estudante poderá escolher as disciplinas – que foram agrupadas em quatro áreas do conhecimento (Ciências Humanas, Linguagens e Códigos, Matemática e Ciências da Natureza) – além de uma área especial de provas de preparação, o Simuladão.

Além disso, houve um cuidado especial com a metodologia e os objetos de aprendizagem – e-books, temas ilustrados e infográficos, games, vídeos, planos de estudos e tarefas com acompanhamento de professores e tutores estão entre eles.

“É bem robusta a plataforma, com bastante conteúdo, e vai ser um reforço importante de para que nossos jovens do RS possam estar bem preparados para o Enem”, afirmou o governador.

Retomada das aulas

O governo do Estado aguarda até domingo (12/7) as respostas das 1.520 entidades consultadas sobre a retomada presencial das atividades de ensino, com sugestões sobre o retorno das aulas e protocolos de prevenção, por meio de formulário eletrônico direcionado. Conforme o governador, até o momento, foram enviadas 638 respostas.

Texto: Suzy Scarton e Vanessa Kannenberg
Edição: Marcelo Flach/Secom

Começam nesta terça inscrições para o Sisu

Pela 1ª vez, serão ofertadas vagas na modalidade a distância

A partir de hoje (7), estudantes que participaram da edição de 2019 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) podem se inscrever para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do meio do ano. Até sexta-feira (10) serão oferecidas mais de 51 mil vagas em instituições de ensino superior do país.

Pela primeira vez, além dos cursos de graduação presenciais, o Sisu 2020.2 vai ofertar vagas na modalidade a distância (EaD). Além de ter feito o Enem de 2019, os interessados não podem ter zerado a redação. Estudantes que fizeram o exame na condição de treineiros também não podem participar.

Como se inscrever?

Por meio do site do Ministério da Educação (MEC), na tela “Minha inscrição”, o candidato poderá escolher até duas opções de cursos, por prioridade, na mesma instituição ou em universidades diferentes. Para fazer a primeira escolha, basta clicar em “Fazer inscrição na 1ª opção”. A pesquisa de vagas pode ser feita por nome do município, instituição ou curso. Após selecionar a opção, basta clicar em “Escolher este curso” para continuar.

Nesta fase, o candidato deverá indicar se irá participar do Sisu pelas vagas de ampla concorrência, pela Lei de Cotas (Lei nº 12.711/2012) ou pelas políticas afirmativas das instituições. No caso das universidades e institutos federais, os alunos de escola pública que se candidatarem às vagas reservadas serão divididos em grupo e subgrupo, conforme renda familiar e raça. Clique em “Escolher esta modalidade” para continuar.

Critérios

De acordo com o edital do Sisu, a ordem dos critérios para a classificação de candidatos é a seguinte: maior nota na redação, maior nota na prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias; maior nota na prova de Matemática e suas Tecnologias; maior nota na prova de Ciências da Natureza e suas Tecnologias e maior nota na prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias.

Lista de Espera

Segundo cronograma divulgado pelo MEC, o resultado da primeira chamada do Sisu será divulgado no dia 14 de julho. O candidato que não foi selecionado em uma das duas opções, em primeira chamada, deverá manifestar seu interesse em participar da lista de espera, por meio da página do Sisu na internet, entre os dias 14 e 21 de julho. A partir daí, basta acompanhar as convocações feitas pelas instituições para preenchimento das vagas em lista de espera, observando prazos, procedimentos e documentos exigidos para matrícula ou para registro acadêmico, estabelecidos em edital próprio da instituição, inclusive horários e locais de atendimento por ela definidos.

*Agência Brasil

Governo do Estado deve anunciar decisão sobre aulas presenciais na próxima semana

Protocolos sanitários para uso de espaços de educação já foram publicados

O governo do Estado deve anunciar, na próxima segunda-feira (15), posição sobre a volta das aulas presenciais para escolas e creches no Rio Grande do Sul. Conforme o governador Eduardo Leite, a decisão será tomada após avaliação de especialistas e análise dos dados de coronavírus no Estado.

Na próxima semana, devemos nos pronunciar se vamos dar um passo seguinte, com retorno presencial, para o mês de julho. Estamos analisando esses protocolos, os dados do Estado, analisando protocolos de outros locais, estamos trabalhando com especialistas, vendo as condições de efetivamente termos um retorno presencial ainda em julho – disse Leite, nesta segunda (8), durante transmissão ao vivo pela internet.

Desde o fim de maio, o governo trabalha com a possibilidade de, no início de julho, retomar ao menos parte das aulas presenciais para crianças e adolescentes. No plano anunciado à época pelo governo do Estado, a perspectiva era de volta escalonada, começando, possivelmente, pela Educação Infantil, primeiro ano do Fundamental e o terceiro do Ensino Médio.

Na próxima segunda-feira (15), passam a ficar liberadas as aulas presenciais em cursos livres, além de disciplinas práticas e estágios curriculares de graduação, pós-graduação e cursos técnicos. A estimativa do governo é de que essa liberação movimente até 140 mil alunos no Estado.

Protocolos sanitários já estão em vigor

Na última quinta-feira (4), o Piratini publicou os protocolos sanitários para uso de espaços de ensino no Estado. A portaria elenca medidas obrigatórias e também faz recomendações. Entre elas, a suspensão de excursões e passeios externos, proibição de atividades que envolvam aglomerações e da prática de esportes coletivos. A portaria também alerta que crianças com menos de dois anos não poderão usar máscara.

O documento ainda destaca que alunos e trabalhadores devem evitar comportamentos sociais tais como aperto de mãos, abraços e beijos. Alunos também serão orientados a não dividir material escolar. A distância entre estudantes com máscara deverá ser no mínimo de 1m50cm.

Veja as cinco fases de retomada das aulas no plano do governo

  • Fase 1 – Início em 1º de junho – Volta às aulas remotas (ensino a distância) para rede pública estadual
  • Fase 2 – Início em 15 de junho – Volta às aulas presenciais para atividades práticas essenciais para a conclusão do curso, pesquisa, estágio curricular obrigatório na graduação, pós-graduação e ensino técnico
  • Fase 3 – Início em 1º de julho – em aberto (possibilidade de volta às aulas presenciais para crianças e adolescentes, começando, possivelmente, pela Educação Infantil, primeiros anos do Ensino Fundamental e o terceiro do Ensino Médio).
  • Fase 4 – Início em 3 de agosto – em aberto.
  • Fase 5 – Início em 1º setembro – em aberto.

Fonte: ZH

Polícia Civil lança Papo de Responsa Virtual para manter o projeto durante a pandemia

Programa terá série de cards e cinco vídeos divulgados nas redes sociais com dicas para adolescentes

Em tempos de pandemia, nada melhor do que manter uma distância segura e inovar. Essa inovação também vale para programas da Polícia Civil, como o Papo de Responsa, que passa agora a ser virtual – igual às aulas da gurizada do Ensino Fundamental e Médio em todo o Rio Grande do Sul.

Toda a semana, o Papo de Responsa Virtual disponibilizará um vídeo sobre temas que precisam ser discutidos mesmo durante o isolamento. Na última sexta-feira (5/6), foi divulgado o primeiro de uma série de cinco vídeos. O tema é Empatia. A divulgação ocorre em parceria com a Comissão Interna de Prevenção a Acidentes e Violência Escolar (Cipave+), da Secretaria Estadual da Educação (Seduc), que apresentará os vídeos para professores e alunos da rede estadual durante encontros virtuais que ocorrerão ao longo do mês. O conteúdo também será publicado do perfil do Papo no Instagram (@papoderesponsarsoficial).

No primeiro vídeo, que tem pouco mais de três minutos de duração, uma das multiplicadoras – como são chamados os policiais que participam do Papo – explica a diferença entre “empatia” e “simpatia” e a importância de ser empático com as pessoas, ou seja, se colocar no lugar do outro.

O vídeo ainda orienta, por exemplo, que se preste mais atenção aos idosos, principalmente porque eles são grupo de risco à Covid-19, e o momento agora pode mantê-los afastados de suas famílias. “Esteja sim afastado fisicamente, mas se faça presente nesse período, por meio de redes sociais, telefone”, sugere a escrivã de Polícia Bruna Alves da Silva, que participa do vídeo.

Para a diretora da Divisão de Relações Institucionais (DRI) da Polícia Civil, delegada Viviane Nery Viegas, que coordena o Papo de Responsa, a oportunidade é ímpar para se ganhar um novo campo de atuação no programa: o virtual. “Apesar do momento delicado, explorar um recurso tão íntimo da maioria dos estudantes, como a internet, é uma forma de inovar a abordagem e o diálogo com nosso público”, afirma.

Sobre o Papo de Responsa

O programa estimula o diálogo de assuntos que povoam o universo de crianças e adolescentes, a partir de uma perspectiva policial. É promovido pela Polícia Civil em escolas públicas e particulares de todo o Estado, desde outubro de 2016. Pelo formato do programa, turmas de estudantes e também professores recebem policiais civis para um bate-papo descontraído, cujo objetivo é formar cidadãos mais conscientes.

 

Fonte: Governo do RS/SECOM

Começa implantação das Aulas Remotas na Rede Estadual de Ensino

Professores e alunos serão capacitados para uso da plataforma Google Classroom

Começou a implantação das Aulas Remotas na Rede Estadual de Ensino. A iniciativa compõe o modelo híbrido de ensino, que também compreende as aulas presenciais, sem data de retorno.  A ação, que segue ao longo do ano letivo de 2020, irá proporcionar, por meio do Google Classroom, a criação de mais de 37 mil turmas espelhadas e mais de 300 mil ambientes virtuais divididos por componentes curriculares. O projeto ainda oferece internet patrocinada para alunos e professores. Acesse o hotsite clicando aqui.

De acordo com o secretário estadual da Educação, Faisal Karam, a prioridade à proteção da vida de alunos, professores e funcionários fez com que a Seduc acelerasse a implementação de recursos tecnológicos que assegurarão a continuidade do ano letivo aos alunos da Rede Estadual de Ensino. “Diante da implementação das Aulas Remotas, garantiremos a preparação de professores e alunos para este novo momento.  Faremos uma adaptação frente a esta nova realidade, oferecendo todo o suporte para professores e estudantes”, destaca.

Calendário de Preparação

Para que todos estejam preparados para a utilizar a plataforma, a Secretária Estadual da Educação do Rio Grande do Sul realizará capacitação durante os meses de junho e julho, em duas etapas, com os professores e estudantes da Rede Estadual de Ensino.

A primeira etapa, chamada de Ambientação Digital, ocorrerá entre os dias 1º e 13 de junho e envolverá o processo de inserção dos professores e alunos na plataforma Google Classroom. Nesse período, serão detalhadas as informações de acesso, como login e senha, para que todos possam iniciar o período de capacitação. Aqui, os estudantes e educadores iniciam o processo de aprendizado sobre a utilização de todos os recursos disponíveis na plataforma.

A segunda etapa, que começa em paralelo no dia 8 de junho, promoverá as capacitações em Letramento Digital, fornecendo aos professores o conhecimento para a preparação de aulas na forma não presencial. Os conhecimentos digitais dos alunos também serão avaliados nessa etapa, a fim de que seja possível compreender o nível de entendimento sobre a plataforma de ensino. A partir do resultado dessa avaliação, será possível reforçar aspectos que não estejam claros aos estudantes, para que, em seguida, possam iniciar as lições.

A partir do dia 29 de junho, iniciam as aulas que utilizam a Matriz de Referência, definida por componente curricular de cada ano. Esta matriz será norteadora das aprendizagens para este novo modelo híbrido (presencial e não presencial).

Recursos tecnológicos

Através da plataforma Google Classroom serão criadas todas as turmas por escola e disciplina com todos os alunos e professores alocados automaticamente.  O espaço virtual ainda irá contar com recreio, sala dos professores, serviço de orientação educacional (SOE), coordenação pedagógica e salas exclusivas para capacitação dos educadores.

As formações dos professores serão divididas nos seguintes tópicos: Google Chrome, Google Gmail, Google Documentos, Google Planilha, Google Drive, Google Agenda, Google Forms, Google Meet, Google Apresentações, Google Classroom, Oficina de Práticas Pedagógicas sobre Aprendizagem baseada em problemas, Oficina de Práticas Pedagógicas sobre Sala de Aula Invertida e Oficina de Práticas Pedagógicas com TICs Educacionais (Tecnologias da Informação e da Comunicação).

Acesso à internet

A Seduc disponibilizará internet patrocinada no celular, exclusivamente para conteúdos educacionais, para alunos e professores que não possuem acesso.

Para aqueles que não possuem aparelho celular as escolas funcionarão em regime de plantão com agendamento, respeitando todos os protocolos de saúde, para que possam utilizar a estrutura da instituição de ensino

Já nos casos de alunos que não tenham nenhuma possibilidade de acesso digital, as coordenadorias e as escolas farão a entrega de conteúdo diretamente na casa dos estudantes.

 

*Seduc

Retomada das aulas no RS ocorrerá em cinco etapas e pode durar até setembro

Paralisadas por causa da pandemia, escolas reiniciarão atividades na próxima segunda-feira, mas de forma virtual

Gustavo Mansur / Palácio Piratini/Divulgação

O governador Eduardo Leite anunciou na tarde desta quarta-feira (27) como será a retomada das aulas, paralisadas por causa da pandemia de coronavírus. O calendário terá cinco etapas, com o início já na próxima segunda-feira (1º), de forma virtual. As atividades para alunos de escolas estaduais serão realizadas em uma plataforma do Google para ensino remoto. Para famílias que não têm acesso à internet, professores repassarão material físico. Terão aulas virtuais até 37 mil turmas.

Para o retorno às aulas presenciais (confira o calendário abaixo), diversas regras de sanitização e distanciamento social terão de ser cumpridas. Está prevista separação de 1,5 metro entre alunos com máscara. Sem a proteção, a distância entre as mesas sobe para dois metros.

O governador fez um alerta para o caso de haver aumento no contágio pela doença durante esse período:

— Pode ser postergado se tivermos um cenário adverso.

Em um cenário positivo, o retorno ao ensino presencial deve se dar a partir de 1º de julho, de forma escalonada. A possibilidade é de volta às aulas, primeiramente, da Educação Infantil. Perspectiva do governo do Estado é de retomada de 100% das aulas em setembro.

Confira o calendário

Etapa 1

  • Início: segunda-feira (1º)
  • Ensino remoto para todos os níveis das redes pública e privada (nesta, muitas escolas já estão com atividades a distância)

Etapa 2

  • Início: 15 de junho
  • Começam aulas práticas essenciais para conclusão de curso no Ensino Superior, pós-graduações e técnicos, além de profissionalizantes, de idiomas, artes e similares

Etapa 3

  • Início: 1º de julho (depende do cenário da doença)
  • Volta às aulas presenciais de forma escalonada, começando, possivelmente, pela Educação Infantil, primeiros anos do Fundamental e o terceiro do Ensino Médio, devido à preparação para o ingresso na universidade

Etapa 4

  • Início: 3 de agosto
  • Definições serão divulgadas em 1º de julho

Etapa 5

  • Início: 1º de setembro
  • Definições serão divulgadas em 3 de agosto

Estudo da UFPel

O governador também apresentou os últimos resultados da pesquisa da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). O estudo aponta que 20,2 mil pessoas já tiveram contato com o vírus e desenvolveram anticorpos, contra os 24,8 mil estimados na penúltima etapa, divulgada há 15 dias.

Conforme o governo, não se trata de queda, mas, sim, um indicativo de que a contaminação se manteve estável. Segundo os pesquisadores, o Estado tem subnotificação de três casos para cada oficializado. Há um infectado a cada 562 habitantes.

Fonte: ZH