Governo assina acordo para instalar mais de 500 novas câmeras em 36 cidades do RS

Sistema de videomonitoramento e cercamento eletrônico tem investimento de R$ 18,7 milhões e prazo de conclusão até julho de 2020

Cid Martins

 O governo do Estado assinou nesta segunda-feira (16) um acordo de implementação de 500 novas câmeras para videomonitoramento e cercamento eletrônico em 36 cidades gaúchas. A instalação começa nos próximos dias e, apesar de o prazo ser julho de 2020 para que todo o sistema esteja funcionando, o executivo acredita que em fevereiro todas as cidades contempladas já estarão com equipamentos para combater principalmente furtos e roubos de veículos.

Segundo as informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP), Novo Hamburgo e São Leopoldo são os municípios que mais terão pontos destinados para cercamento. Já Santa Maria e Bento Gonçalves são as cidades com mais câmeras a serem instaladas. Em toda a Região Metropolitana, 11 municípios estão sendo contemplados.

A maior parte do valor da instalação, pouco mais de R$ 17 milhões, é proveniente de verbas de emendas parlamentares da bancada gaúcha no Congresso. O governo gaúcho participa com pouco mais de R$ 1,7 milhão, totalizando R$ 18,7 milhões.

O investimento previsto para o sistema faz parte de um total de R$ 73,6 milhões já disponibilizados desde 2017 para a área da segurança por meio de verbas de emendas de senadores e deputados federais, com a contrapartida do Executivo estadual. Ao todo, cerca de 4,5 milhões de gaúchos serão beneficiados com este sistema, que vai auxiliar no trabalho de 16 mil policiais civis e militares.

Equipamento

O vice-governador e secretário de Segurança, Ranolfo Vieira Júnior, acredita que este sistema vai reduzir significativamente os índices de furtos e roubos de veículos no Rio Grande do Sul.

— Já conseguimos diminuir em 31% nos primeiros oito meses do ano, em comparação com o mesmo período do ano passado, e acredito numa redução ainda maior a partir de agora — ressalta Ranolfo.

A empresa que está implementando o videomonitoramento e o cercamento eletrônico informou que a redução pode chegar até 40% neste tipo de crime em cada uma das 36 cidades. A base da estimativa é a redução que já ocorre em outros municípios do Brasil onde já foram instalados esses sistemas pela empresa.

Se um carro em situação irregular passar por uma câmera do cercamento eletrônico, um alerta sobre a irregularidade será emitido na central de videomonitoramento — com um ângulo de 360 graus e sete possibilidades de zoom — e, imediatamente, repassado para a guarnição da Brigada Militar mais próxima do fato para que realize a abordagem ao veículo.

Municípios beneficiados

O sistema é composto por 151 pontos de videomonitoramento e 187 de cercamento eletrônico. Cada ponto de cercamento é composto de duas câmeras para leitura, totalizando 525 câmeras. A SSP explica, em linhas gerais, que o videomonitoramento capta imagens de um local para uma verificação mais geral. Já o cercamento eletrônico permite captar placas de veículo, principalmente, verificar e fazer alertas em caso de irregularidades.

  1. Alvorada – 9 pontos de cercamento, 9 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  2. Bento Gonçalves  – 14 pontos de vídeo
  3. Cachoeira do Sul  – 2 pontos de cercamento, 2 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  4. Cachoeirinha  – 11 pontos de vídeo
  5. Campo Bom  – 16 pontos de cercamento e 1 sala de cercamento
  6. Candelária  – 1 ponto de cercamento, 1 ponto de vídeo e 1 sala de vídeo
  7. Canoas  – 18 pontos de cercamento e 1 sala de cercamento
  8. Cruz Alta – 6 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  9. Dois Irmãos – 6 pontos de cercamento e 1 sala de cercamento
  10. Encantado – 11 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  11. Encruzilhada do Sul – 5 pontos de cercamento, 5 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  12. Espumoso – 2 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  13. Esteio – 7 pontos de cercamento e 1 sala de cercamento
  14. Gravataí – 10 pontos de cercamento e 1 sala de cercamento
  15. Guaíba – 6 pontos de cercamento e 1 sala de cercamento
  16. Harmonia – 2 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  17. Ibirubá – 6 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  18. Iraí – 3 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  19. Lindolfo Collor – 4 pontos de cercamento e 1 sala de cercamento
  20. Não Me Toque – 3 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  21. Nova Prata – 2 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  22. Novo Hamburgo – 22 pontos de cercamento e 1 sala de cercamento
  23. Pantano Grande – 1 ponto de cercamento, 1 ponto de vídeo e 1 sala de vídeo
  24. Parobé – 6 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  25. Quaraí – 3 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  26. Rio Pardo – 7 pontos de cercamento e 5 pontos de vídeo
  27. Santa Cruz do Sul – 13 pontos de cercamento e 7 pontos de vídeo
  28. Santa Maria – 22 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  29. São Francisco de Paula – 3 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  30. São Leopoldo – 32 pontos de cercamento e 1 sala de cercamento
  31. Sapiranga – 11 pontos de cercamento e 1 sala de cercamento
  32. Sapucaia do Sul – 8 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  33. Sobradinho – 6 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  34. Vacaria – 4 pontos de vídeo e 1 sala de vídeo
  35. Venâncio Aires – 11 pontos de cercamento e 6 pontos de vídeo
  36. Vera Cruz – 6 pontos de cercamento e 3 pontos de vídeo

 

Fonte: ZH

Duas pessoas morrem em acidente na Serra gaúcha

Colisão envolveu três veículos na ERS 446

Foto: CRBM

Um grave acidente entre dois carros de passeio e um caminhão resultou na morte de duas pessoas em Carlos Barbosa, Norte do Estado. De acordo com Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM), uma colisão frontal ocorreu no início da manhã desta segunda-feira, no km 12 da ERS 446.

As circunstâncias da batida ainda estão sendo apuradas. Conforme a polícia, um homem, uma mulher e um cão, que estavam no Fiat Punto morreram no local. Já condutor do caminhão foi socorrido pelo pelos Bombeiros Voluntários de Carlos Barbosa para hospital do município. Ainda não há informações sobre o estado de saúde dos passageiros do outro veículo de passeio.

A rodovia, de pista simples, teve o trânsito parcialmente bloqueado.

Fonte: CP

Previsão do tempo no RS: semana começa com chuva e avanço de frente fria

No Oeste, condições são favoráveis para temporais com raios e trovoadas

Após um domingo (15) de sol e calor, a semana inicia com o avanço de uma frente fria pelo Estado. O dia deve começar com muita nebulosidade em boa parte das regiões. No Oeste, as condições são favoráveis para temporais com raios e trovoadas já no período da manhã. Volumes elevados de chuva também são esperados para as áreas centrais e para o sul gaúcho.

De acordo com a Somar Meteorologia, o predomínio da nebulosidade faz com que as temperaturas não se elevem muito. Na Capital, a máxima deve ser de 24°C.

O dia começa com tempo firme na faixa norte, mas pancadas de chuva não são descartadas durante a tarde. Com isso, a temperaturas sobe, mas sem extremos. Em Passo Fundo, a máxima não deve passar de 22°C.

Na terça-feira (17), a nebulosidade também deve predominar. Há chance de chuva a qualquer hora do dia entre áreas centrais e a Região Norte. O sol aparece pouco e as temperaturas não sobem muito. Na Região Sul e na Campanha, as instabilidades vão perdendo força e o tempo vai ficando firme, com o avanço de uma massa de ar seca e fria.

Fonte: ZH/Somar

Rio Grande do Sul terá predomínio de sol e tarde quente neste domingo

Grande elevação dos termômetros garante máximas acima dos 30°C em vários pontos

Foto: Emerson Gomes/Arquivo

Depois das instabilidades ocasionais dos últimos dias, o domingo (15) terá predomínio de sol no Rio Grande do Sul. O começo do dia tem chance de instabilidade em pontos do Centro para o Norte gaúcho, contudo.

Após essa precipitação irregular, o sol aparece com nuvens em todas as regiões. Ar muito quente ingressa no Estado e a temperatura sofrerá uma escalada. A tarde será de intenso calor. Alguns dados indicam máximas de 37ºC a 39ºC nos vales.

No fim do dia, o avanço de uma frente fria traz chuva e temporais de vento e granizo para pontos do Oeste, Sul e talvez do Centro do Estado. A noite será atipicamente quente.

#Com informações da MetSul

Adolescente gaúcha desaparecida é encontrada morta em SC

 

Uma adolescente de 14 anos foi encontrada morta com ferimentos provocados por faca, na manhã deste sábado (14/09).

O corpo foi localizado por um carroceiro, em uma estrada secundária de uma área de plantio de eucaliptos, em Passo de Torres (SC), cidade vizinha de Torres (RS).

A vítima foi identificada como Brenda Martins Rocha, de 14 anos, natural de Três Cachoeiras (RS).

Ela estava desaparecida desde as 18h do dia de ontem (13), quando desapareceu ao voltar para casa, na cidade de Maracajá (cerca de 70 km de onde estava o corpo), em Santa Catarina, onde morava atualmente.

O Caso é investigado pela Polícia Civil.

Fonte: Litoral Mania

Detran confirma que CNH não ficará mais barata no RS a partir de segunda

Ofício do Denatran orientou órgão estadual a cumprir decisão de desembargador gaúcho que suspendeu a resolução do Contran

O Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran-RS) confirmou, nesta sexta-feira (13), que o processo para a retirada da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) não ficará mais barato no Estado a partir de segunda-feira (16). Ofício do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), entregue ainda na quinta-feira (12), orientou o órgão estadual a cumprir a liminar concedida pelo desembargador Rogério Favreto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), a favor do sindicato que representa os Centros de Formação de Condutores (CFCs). O despacho de Favreto suspende a resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que reduz em 14% o valor da primeira habilitação. A liminar vale para todos os CFCs do Rio Grande do Sul.

Em nota, o Detran-RS afirma que “todos os processos de habilitação no Estado seguirão a carga horária e as etapas obrigatórias atuais, o que inclui a realização de aulas em simulador de direção para a categoria B”.

A resolução 778/19 do Contran diminui a quantidade de horas-aulas e a obrigatoriedade do uso do simulador de direção veicular. Com exceção do Rio Grande do Sul, a medida entra em vigor no país na segunda-feira.

Confira a nota do Detran:

“Em cumprimento à ordem judicial referente a processo promovido pelo Sindicato dos Centros de Formação de Condutores do Estado do Rio Grande do Sul – SindiCFC – contra a União, o DetranRS informa que estará suspensa em todo o estado do Rio Grande do Sul a Resolução Contran nº 778 de 2019. A norma que traz alterações no processo de habilitação, entre as quais, reduz a carga horária de aulas práticas e torna facultativo o uso do simulador de direção para a primeira habilitação na categoria B, entra em vigor no país nesta segunda-feira (16), mas o RS fica impedido de aplicá-la, até determinação em contrário.

O DetranRS foi oficiado pelo Departamento Nacional de Trânsito – Denatran –  para o devido cumprimento da determinação judicial na noite de quinta-feira (12). Sendo assim, todos os processos de habilitação do RS seguirão a carga horária e as etapas obrigatórias atuais, o que inclui a realização de aulas em simulador de direção para a categoria B (carro).”

Fonte: ZH

RS tem mais de 1,2 mil casos de dengue confirmados em 2019

Estado teve 3,7 mil notificações nos oito primeiros meses do ano. Em torno de 28% do total de casos são autóctones, ou seja, originários no território gaúcho

Foto: Sinan Online

Entre janeiro e agosto deste ano, foram notificados 3.756 casos de suspeita de dengue no Rio Grande do Sul. Mais de 1/3 deles foram confirmados: 1.278, no total. O que acende o alerta da Secretaria Estadual de Saúde (SES-RS) é que 1.069 deles, algo em torno de 28% do total, são casos autóctones, ou seja, adquiridos dentro do território gaúcho.

Segundo o Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS/RS), isto não foi identificado nos primeiros oito meses do ano tanto em 2018 como em 2017. Desde 2016 não era registrado um caso autóctone até a semana 35.

No ano passado, por exemplo, apenas 20 casos foram confirmados, e todos foram importados. Em 2019, já são 43 cidades com, pelo menos, um caso confirmado da doença desenvolvido ali mesmo.

“Nos outros anos, não tivemos praticamente dengue aqui. Então, as pessoas imaginaram que tivesse acabado”, afirma Lúcia Mardini, coordenadora da Vigilância Ambiental em Saúde. “A população fica esperando que alguém venha à sua casa resolver o problema. É uma questão muito séria. Precisa que todo mundo esteja atento. O mosquito é muito democrático: atinge bairros pouco organizados e outros muito organizados.”

A maioria dos casos confirmados foi em Porto Alegre ou cidades da Região Metropolitana, como Canoas e Esteio. No entanto, municípios do norte, como Ijuí, Três Passos e Sarandi, tiveram altos índices da presença da doença.

Além disso, a SES destaca que 372 municípios gaúchos estão infestados pelo mosquito Aedes aegypti.

Mais da metade dos casos (51,8%), no entanto, foram descartados após exames em laboratórios. Outros 131 (3,5%) ainda estão sob investigação.

Por ser uma doença sazonal, este não é um período de pico da doença. Os casos de dengue costumam aumentar em meses mais quente, como entre novembro e maio. De qualquer maneira, o ano de 2019 já é o terceiro com mais casos notificados na década.

“A gente tem um aumento de casos na Região Sul, que é um fenômeno, o mosquito se aclimatando. Nenhuma cidade pode dizer que não vai ter”, afirma o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Casos de dengue no RS em 2019

Casos %
Confirmados 1.278 34%
Inconclusivos 403 10,7%
Descartados 1.944 51,8%
Em investigação 131 3,5%
Total 3.756 100%

Nos primeiros oito meses de 2019, foram notificados 269 casos de febre de Chikungunya no estado. Dez foram confirmados. Outros 183 foram descartados e 76 continuam em investigação.

O único caso autóctone foi de um morador de Capela de Santana, Região Metropolitana de Porto Alegre. As notificações dos casos suspeitos ocorreram em 79 municípios de 19 Coordenadorias Regionais de Saúde.

Vírus da zika

O Rio Grande do Sul teve, de janeiro a agosto, 123 casos suspeitos de vírus da zika, mas apenas um caso autóctone foi confirmado. É de um morador de Gravataí, também na Região Metropolitana.

Foram descartados 51 casos, e 71 continuam em investigação. Estas notificações ocorreram em 41 municípios de 16 Coordenadorias de Saúde.

Febre amarela

Foram notificados somente 21 casos, dos quais 20 foram descartados laboratorialmente e um ainda está em investigação.

Dicas para eliminar o mosquito

Os depósitos preferenciais para os ovos do Aedes aegypti são recipientes domiciliares com água parada ou até na parede destes, mesmo quando secos. Os principais exemplos são pneus, latas, vidros, cacos de garrafa, pratos de vasos, caixas d’água ou outros reservatórios. Por isso, é necessário:

  • tampar caixas d’água, toneis e latões
  • manter limpos os bebedouros de animais
  • guardar garrafas vazias com o gargalo para baixo
  • guardar pneus sob abrigos
  • manter desentupidos ralos, canos, calhas, toldos e marquises
  • não acumular água nos vasos de plantas
  • manter a piscina tratada durante todo o ano
  • colocar embalagens de vidro, lata e plástico em lixeiras fechadas

Fonte: G1 RS

Bombeiros encerram buscas após incêndio que deixou 11 mortos em hospital no Rio

Varredura ocorreu durante a madrugada desta sexta-feira

Foto: Folhapress

Ao menos 10 corpos foram retirados pelo Corpo de Bombeiros, na madrugada desta sexta-feira (13), após varredura no Hospital Badim, na Tijuca, zona norte do Rio de Janeiro. Com isso, o balanço de vítimas do incêndio que atingiu a unidade de saúde na quinta (12) subiu para 11, já que uma pessoa já havia sido encontrada sem vida no local. 

A operação começou cerca de uma hora após o incidente e seguiu durante a madrugada. Segundo o jornal O Globo, a identificação das vítimas só será realizada a partir das 8h desta sexta-feira, no Instituto Médico-Legal (IML).O fogo teve início no final da tarde de quinta-feira em um dos prédios do hospital. O Corpo de Bombeiros foi acionado às 17h50min e enviou no total 12 viaturas e agentes de quatro quartéis ao edifício, que foi tomado por uma fumaça preta e espessa. O prédio foi evacuado e os pacientes passaram a ser atendidos na rua, em camas improvisadas no chão. Perto das 23h30min, o fogo foi controlado.

Segundo a direção do hospital, a principal suspeita é de que houve um curto-circuito no gerador de um dos prédios do complexo e que ele tenha espalhado fumaça para todos os andares do edifício antigo.

Os pacientes, com o apoio da Secretaria Estadual da Saúde, que enviou 15 ambulâncias para auxiliar,  estão sendo levados para hospitais públicos e privados da região.

“Toda a direção do hospital Badim está empenhada em prestar os devidos socorros necessários aos pacientes, que estão sendo transferidos para o hospital Israelita Albert Sabin e para os hospitais da Rede D’Or, do qual o Badim é associado”, informou a direção.

O hospital

Ao todo, 103 pacientes estavam internados no hospital e 226 funcionários trabalhavam no momento do incêndio. O prédio novo conta ainda com emergência, centro cirúrgico, centro de diagnóstico por imagem e “day clinic” (internação breve).

Do lado de fora do hospital Badim, atingido por um incêndio nesta tarde, o advogado Carlos Oterelo diz que acompanhava a mãe, Berta de Souza, 93, internada para se tratar de uma pneumonia, quando sentiu o cheiro de fumaça. Com a confirmação do fogo, ele relata que tentou resgatar a mãe com os próprios braços, mas não conseguiu.

— A maca é pesada, não tinha mobilidade para fazer isso e não tinha gente, estava sem luz. Então ficou muito difícil. Os bombeiros mandaram as pessoas sem enfermidade saírem. Porque senão o problema seria muito maior — disse Oterelo.

— Eu tirei minha mãe do box onde ela estava e, quando chegou na escada cortafogo, tinham muitas pessoas correndo. Funcionários, pacientes que não estavam com dificuldades de se locomover estavam sendo ajudados a descer — completou.

Agora, ele, assim como outras dezenas de familiares de pacientes que estavam internados, cobra informações sobre o estado de saúde e a localização da mãe.

— O Badim disse que iria fazer uma lista para onde os pacientes foram e que iriam colocar na mídia — afirma.

Fonte: ZH

Sete casos de sarampo são confirmados no Rio Grande do Sul

 

Sete casos de sarampo foram confirmados pela Secretaria Estadual da Saúde (SES) no Rio Grando do Sul. O órgão divulgou nota técnica nesta quinta-feira e apontou que os casos tiveram início de sintomas entre a primeira e a última semana de agosto. Seis deles foram em residentes em Porto Alegre e um em Dois Irmãos.

De acordo com nota da SES, as medidas de bloqueio, com a vacinação de contatos próximos, já foram realizadas pelos municípios. Todos os pacientes possuem histórico de viagem a locais com circulação do vírus (São Paulo e Europa) ou vinculação a esses, por isso são considerados importados.

O sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus. Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. Qualquer indivíduo que apresentar febre e manchas no corpo (exantemas) acompanhado de tosse, coriza ou conjuntivite deve procurar os serviços de saúde para a investigação, principalmente aqueles que estiveram nos 30 dias anteriores em viagem a locais com circulação do vírus. No Brasil, são 2,7 mil casos somente nos últimos 30 dias, mais de 98% deles em São Paulo. Casos suspeitos devem ser informados imediatamente às Secretarias Municipais de Saúde ou para o Disque Vigilância, pelo número 150.

Casos

O primeiro caso do ano no RS foi de uma jovem de 18 anos, residente em Porto Alegre. Em julho, ela esteve em viagem à Itália e São Paulo, dois locais onde há a circulação do vírus. Apesar dos sintomas, não teve o diagnóstico inicial para sarampo. Segundo a SES, o caso foi identificado após a confirmação de outros três com os quais ela teve contato e que residem na mesma moradia: duas delas também de 18 anos e uma de 25. Assim que houve as confirmações, a vigilância do município realizou uma ação de bloqueio, com a vacinação de 53 pessoas (contatos próximos) que não estavam vacinados e nenhum apresentava sintomas da doença.

Outros dois homens residentes em Porto Alegre, de 21 e 30 anos, também tiveram o sarampo confirmado após viagens a São Paulo. O mais velho, inclusive, relatou contato com colegas de trabalho que posteriormente confirmaram a doença. Nos dois episódios a vigilância da Capital também realizou ações de bloqueio, com a vacinação e acompanhamento de mais de 90 pessoas, todas sem sintomas.

Por último, uma jovem de 21 anos, de Dois Irmãos, também com histórico de viagem a São Paulo no último mês, teve o caso confirmado. A Secretaria de Saúde do município acompanha 14 contatos da pessoa, todos assintomáticos.

De acordo com a SES, a mais efetiva forma de prevenção é a vacinação. Para ser considerada vacinada, a pessoa precisa ter o registro em caderneta de vacinação conforme esquema vacinal. A rede pública de saúde disponibiliza gratuitamente a vacina tríplice viral para a população de 6 meses a 49 anos de idade e para profissionais de saúde e demais pessoas envolvidas na assistência à saúde hospitalar.

São considerados vacinados:

– Pessoas de 12 meses a 29 anos que comprovem duas doses de vacina com componente sarampo/caxumba/rubéola;

– Pessoas de 30 a 49 anos que comprovem uma dose de tríplice viral;

– Profissionais de saúde, independente da idade, que comprovem duas doses de tríplice viral.

Fonte: CP

Homicídios registram redução de 40% em agosto no Estado

São quase 400 assassinatos a menos desde janeiro, na comparação com igual período de 2018, no RS

Dados foram apresentados por Ranolfo na abertura da reunião da Gestão Estatística em Segurança (Geseg), no Palácio Piratini – Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

As quedas generalizadas nos indicadores criminais do Rio Grande do Sul se acentuaram em agosto. Em todo o Estado, de janeiro a agosto de 2019 comparado com igual período do ano passado, quase 400 vidas foram preservadas, com homicídios caindo de 1.631 para 1.234 (-24,3%). Só em agosto, a redução de assassinatos no RS chegou a 40%, de 196 no mesmo mês do ano passado para 117.

Em Porto Alegre, pela primeira vez na última década, a cidade encerrou o mês com menos de 20 homicídios. Foram 16 casos ante 42 registrados em agosto de 2018, redução de 61,9% – também a maior baixa percentual desde 2010. No acumulado desde janeiro de 2019, a retração na capital é de 45,2%, com 218 assassinatos frente os 398 do mesmo período do ano anterior.

A divulgação dos indicadores foi feita pelo governador em exercício, o vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, na abertura da reunião da Gestão Estatística em Segurança (Geseg) – ciclo mensal de avaliação dos índices de criminalidade nos 18 municípios priorizados pelo programa RS Seguro –, realizada no início da tarde desta quinta-feira (12/9), no Palácio Piratini.

“A taxa de homicídio é a forma que se afere a segurança pública em todo o mundo, por isso essa redução registrada é muito importante”, disse Ranolfo. “Praticamente, diminuímos todos os 16 indicadores. A menor redução foi no feminicídio. Mas seguiremos trabalhando para reduzi-lo”, acrescentou.

Para Ranolfo, a diminuição nos índices de criminalidade é resultado do trabalho conjunto e integrado entre as instituições das esferas de governo. “Esta reunião do Geseg aqui é um exemplo disso”, afirmou.

Ainda de acordo com os dados divulgados por Ranolfo, o resultado também é positivo em relação aos latrocínios, cuja soma baixou pela metade na capital, de 10 casos em igual intervalo de 2018 para cinco desde o início de 2019. No Estado, a queda do acumulado nos roubos com morte chegou a 28,8%, caindo de 66 ocorrências para 47. Na leitura isolada de agosto, o número se manteve estável no RS, com oito casos tanto neste ano como no anterior, e em baixa na capital, de duas mortes para uma.

Os dados da Secretaria da Segurança Pública (SSP) também corroboram com o planejamento do programa RS Seguro, que prioriza o combate ao crime em 18 municípios. Esse conjunto de cidades foi responsável por nove em cada 10 das vidas preservadas no Estado entre janeiro e agosto de 2019, na comparação com o total de homicídios em igual período do ano passado.

“Os casos de homicídio tiveram redução considerável nos 18 municípios priorizados pelo RS Seguro. É um sinal evidente de que a nossa forma de trabalhar está dando resultado”, acrescentou Ranolfo.

O número de assassinatos nesses municípios caiu 33,1%, de 1.080 para 722. Ou seja, das 397 mortes que deixaram de ocorrer em todo o RS, 358 foram evitadas nas localidades priorizadas pelo RS Seguro. Com foco territorial nos municípios mais violentos, o programa amplia o impacto das ações de repressão ao crime no resultado geral.

Furto de veículos no RS cai para o menor acumulado da história

Também entre os crimes contra o patrimônio o Estado alcançou uma marca histórica com o resultado dos indicadores criminais de agosto. No acumulado de oito meses, o furto de veículos caiu para o menor número de casos desde que a contagem foi iniciada, há 17 anos. O total de ocorrências baixou de 9.878, de janeiro a agosto do ano passado, para 8.751 em igual período de 2019, queda de 11,4%.

No início desta semana, a SSP e suas instituições vinculadas deflagraram no município de Ijuí a 86ª edição da Operação Desmanche, que apreendeu cerca de 200 toneladas de sucata automotiva em quatro estabelecimentos, dos quais três foram interditados.

As ofensivas de fiscalização são parte da estratégia da força-tarefa para desmobilizar o comércio ilegal de peças, muitas vezes produto de roubo, e incentivar a regularização dos locais de venda de usados. Além das mais de 7 mil toneladas de sucata automotiva recolhidas e encaminhadas para reciclagem, desde a sanção da Lei dos Desmanches, em 2015, o número de Centros de Desmanche Veicular (CDV) regularizados dobrou no Estado. Atualmente, existem 394 CDVs em 127 municípios, e outros 124 estabelecimentos estão em processo de regularização.

Com as ações do Estado em prevenção e repressão, também foi possível atingir marca recorde em um dos delitos com maior potencial de perigo para as vítimas, o roubo de veículo. De janeiro a agosto, foram roubados 7.821 carros, número ainda alto, mas o menor desde 2011 e que equivale a 31,1% menos do que os 11.345 levados em igual intervalo do ano passado.

Outro destaque é a diminuição de 37% nos ataques a banco no RS. A soma de furtos e roubos a instituições bancárias caiu para 76 ocorrências entre janeiro e agosto de 2019, ante as 121 registradas no ano anterior. Também houve queda de 9,2% em roubos (de 50.353 para 45.735), de 15% nos furtos (de 94.400 para 80.196) e de 26% nos roubos a transporte coletivo, incluindo passageiros e motoristas (de 2.199 para 1.625).

Indicadores de violência contra a mulher seguem em baixa

A luta por respeito e igualdade, somada às políticas públicas de repressão e prevenção à violência contra a mulher, começa a reverter o cenário preocupante para as gaúchas. Enquanto o 13º Anuário Brasileiro da Segurança Pública, divulgado pelo Fórum Brasileiro da Segurança Pública na terça-feira (10/9), mostrou que os feminicídios no Estado cresceram 40% em 2018 sobre o ano anterior – 10 vezes mais do que o percentual no país –, o índice mais atualizado de 2019, acompanhado pela SSP, mostra redução nas mortes de mulheres em razão do gênero.

De janeiro a agosto, ainda houve 66 assassinatos, que representam 9,6% a menos do que os 73 registrados em igual período do ano passado. Além disso, outros quatro indicadores da violência contra as mulheres registraram retração na comparação entre acumulados até o oitavo mês deste ano e de 2018.

As tentativas de feminicídio caíram de 249 para 233 (-6,4%), os registros de ameaça passaram de 25.096 para 24.471 (-2,5%) e as ocorrências de lesão corporal baixaram de 14.026 para 13.410 (-4,4%). A redução mais significativa, de 21,5%, ocorreu nos estupros, que foram de 1.249 para 981.

Desde o início do ano, Polícia Civil e Brigada Militar já realizaram pelo menos três grandes operações com foco na proteção de mulheres vítimas e detenção de agressores. Além disso, as 22 Delegacias Especializadas no Atendimento à Mulher (Deam) do Estado adotaram um questionário padrão para avaliação de risco, o que torna mais eficaz o primeiro contato das vítimas com a polícia e dá maior embasamento para a solicitação à Justiça de eventuais medidas protetivas.

Gradativamente, equipes das Delegacias de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) têm recebido treinamentos para estender a aplicação do questionário a essas unidades.

Outra medida importante é a criação das Salas das Margaridas, espaços especialmente ambientados para oferecer um atendimento especial e individualizado de acolhida às vítimas, com o objetivo de motivar cada vez mais mulheres a romperem o silêncio e buscar ajuda.

Na leitura isolada de agosto, o quadro geral também é de diminuição da violência contra as mulheres em relação ao mesmo mês em 2018. Os feminicídios caíram de 10 para oito casos (-20%), as ameaças reduziram de 3.047 para 2.728 registros (-10,5%), as lesões corporais foram de 1.450 para 1.390 (-4,1%) e os estupros baixaram de 151 para 120 ocorrências (-20,5%). As tentativas de feminicídio aumentaram de 22 para 27 (22,7%).

Texto: Carlos Ismael Moreira/Ascom SSP