Trabalhadores nascidos em dezembro recebem nesta segunda crédito do FGTS

Pagamento é feito por meio da conta poupança digital da Caixa

Trabalhadores nascidos em dezembro recebem nesta segunda (21) o crédito do saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de até R$ 1.045. O pagamento é feito por meio da conta poupança digital da Caixa Econômica Federal. De acordo com o banco, 4,9 milhões de pessoas recebem R$ 3 bilhões na poupança social digital hoje.

Apesar de a Medida Provisória 946, que instituiu o saque emergencial, ter perdido a validade, a Caixa manteve o calendário de saques, com base no princípio da segurança jurídica. Ao todo, o governo pretende injetar R$ 37,8 bilhões na economia, beneficiando cerca de 60 milhões de pessoas.

Anunciado como instrumento de ajuda aos trabalhadores afetados pela pandemia do novo coronavírus, o saque emergencial permite a retirada de até R$ 1.045, considerando a soma dos saldos de todas as contas no FGTS. O valor abrange tanto as contas ativas quanto as inativas.

Nesta fase, o dinheiro poderá ser movimentado apenas por meio do aplicativo Caixa Tem. A ferramenta permite o pagamento de boletos (água, luz, telefone), compras com cartão de débito virtual em sites e compras com código QR (versão avançada do código de barras) em maquininhas de cartão de lojas parceiras, com débito instantâneo do saldo da poupança digital.

Liberação para saque

O dinheiro só será liberado para saque ou transferência para outra conta bancária a partir de 14 de novembro para os trabalhadores nascidos em dezembro. O calendário de crédito na conta poupança digital e de saques foi estabelecido com base no mês de nascimento do trabalhador.

O pagamento está sendo realizado conforme calendário a seguir:

Mês de nascimento Dia do crédito na conta poupança social digital data para saque em espécie
janeiro 29 de junho 25 de julho
fevereiro 06 de julho 08 de agosto
março 13 de julho 22 de agosto
abril 20 de julho 05 de setembro
maio 27 de julho 19 de setembro
junho 03 de agosto 03 de outubro
julho 10 de agosto 17 de outubro
agosto 24 de agosto 17 de outubro
setembro 31 de agosto 31 de outubro
outubro 08 de setembro 31 de outubro
novembro 14 de setembro 14 de novembro
dezembro 21 de setembro 14 de novembro

Orientações

A Caixa orienta os trabalhadores para que verifiquem o valor do saque e a data do crédito nos canais de atendimento eletrônico do banco: aplicativo FGTS, site e telefone 111 (opção 2). Caso o trabalhador tenha direito ao saque emergencial, mas não teve a conta poupança digital aberta automaticamente, deverá acessar o aplicativo FGTS para complementar os dados e receber o dinheiro.

O banco alerta que não envia mensagens com pedido de senhas, dados ou informações pessoais. Também não envia links, nem pede confirmação de dispositivo ou acesso à conta por e-mail, mensagem de texto de celular (SMS) ou WhatsApp.

Caso o crédito dos valores tenha sido feito na poupança social digital do trabalhador e essa conta não seja movimentada até 30 de novembro de 2020, os valores corrigidos serão retornados à conta do FGTS.

*Agência Brasil

Estado amplia rede de atendimento para pessoas com deficiência e reafirma a importância da inclusão

No Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência, lembrado nesta segunda-feira (21/9), a Secretaria da Saúde do Estado (SES) reafirma a importância da inclusão social e do cuidado. Neste ano, o atendimento a esta população foi ampliado, por meio da implantação de três Centros Especializados em Reabilitação (CERs) no Rio Grande do Sul. Com os novos serviços, localizados no Centro de Reabilitação de Porto Alegre (Cerepal), no Hospital Santa Ana, em Porto Alegre, e na Associação Canoense de Deficientes Físicos (Acadef), de Canoas, a rede alcançou 89 locais de atendimento especializado distribuídos no território gaúcho.

Conforme a terapeuta ocupacional do Núcleo de Saúde da Pessoa com Deficiência da SES Ayesa Donini Lorentz, “a habilitação desses espaços, que têm por objetivo garantir a integralidade do cuidado, pelo Sistema Único de Saúde (SUS) foi possível pelo planejamento elaborado pela equipe técnica, indicando ao Ministério da Saúde os vazios assistenciais em determinadas modalidades de deficiência”.

Como a SES está em processo de atualização do Plano Estadual da Rede de Cuidados da Pessoa com Deficiência, Ayesa explica que mais serviços poderão ser implementados. Ela destaca que, neste ano, o 21 de setembro, além de ser uma data para dar visibilidade à causa e refletir sobre inclusão e cidadania, ficará marcado pelo processo de atualização do plano em conjunto com as 19 Coordenadorias Regionais de Saúde (CRSs). “A perspectiva é de ampliação da rede de cuidados com a habilitação de novos serviços e novas oficinas ortopédicas”, afirma.

Enfrentamento à Covid-19

Visando à prevenção do contágio de coronavírus, os serviços de atendimento ambulatorial foram suspensos em meados de março, seguindo orientação do Centro de Operações de Emergência da Saúde (COE) da SES. O teleatendimento foi a solução inovadora para dar continuidade ao cuidado durante a pandemia.

Para a psicóloga Mariana Viana da Silva, do Núcleo de Saúde da Pessoa com Deficiência da SES, “esta foi uma medida importante, principalmente nos casos em que os riscos da exposição são superiores aos benefícios diretos da consulta presencial”. Ela explica que atualmente os atendimentos já estão sendo realizados de modo presencial, seguindo as normas de segurança, higiene e saúde estabelecidas.

A especialista diz que é um desafio nos serviços de reabilitação a obrigatoriedade de consultas presenciais para alguns procedimentos, como para realizar medidas e provas de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção, bem como para o treino do uso dos dispositivos. Ela afirma que “foi necessária uma readequação da agenda e da equipe técnica para implementar medidas de prevenção ao contágio do vírus e acolher os pacientes de modo integral”.

Também durante a pandemia, as Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes), que atendem pelo SUS no Estado, receberam recursos na ordem de R$ 1,2 milhão para qualificação das equipes profissionais no manejo e tratamento de pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). O repasse fez parte dos recursos para a prevenção da Covid-19, conforme a Portaria SES 507/2020, publicada em agosto deste ano. Na ocasião, a secretária da Saúde, Arita Bergmann, enfatizou que “o tratamento desta parcela da população é uma das prioridades do governo do Estado”.

Ações e rede de atendimento

Atualmente, a rede é composta por 76 serviços de modalidade única, 13 Centros Especializados em Reabilitação que atendem de forma integral com equipe multidisciplinar e três oficinas ortopédicas fixas. Também funciona a Triagem Auditiva Neonatal em 73 municípios, núcleos de dispensação em 497 municípios para o atendimento à pessoa ostomizada ou com incontinente urinária. Outras ações são a concessão de insumos de saúde para tratamento domiciliar, Tratamento Fora de Domicilio Interestadual (TFD) e o atendimento aos usuários com fissuras lábio palatais.

A psicóloga Mariana frisa que as principais ações são voltadas a acolher os pacientes em suas demandas individuais e lhes proporcionar a integralidade do cuidado. A reabilitação acontece com equipe multiprofissional. De acordo com ela, “o objetivo é o alcance da melhor funcionalidade e independência possível dos usuários, a partir de um projeto terapêutico singular”.

São realizados procedimentos clínicos ambulatoriais para avaliação e tratamento, indicação, concessão e treinamento de órteses, próteses, materiais especiais e meios auxiliares de locomoção (OPM), tais como cadeiras de rodas, aparelhos auditivos, recursos ópticos e não ópticos como óculos e próteses oculares, entre outros dispositivos.

O acesso dos usuários aos serviços se dá a partir do encaminhamento por profissional da Unidade Básica de Saúde, por meio de solicitação junto à sua Secretaria Municipal de Saúde. A terapeuta ocupacional Ayesa ressalta que a rede consegue acolher os pacientes em suas necessidades de atendimento nas áreas de reabilitação física, auditiva, visual e intelectual. “O tempo em fila de espera nas referidas especialidades no Estado varia conforme a região, com maior ou menor cobertura assistencial”, salienta.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dados de 2010, 23,8% da população do Rio Grande do Sul se declara com algum tipo de deficiência, o que representa em torno de 2.549.691 habitantes. No Brasil, 67,73% das pessoas com pelo menos uma das deficiências investigadas no censo de 2010 tem 65 anos ou mais.

Texto: Neusa Jerusalém/Ascom SES
Edição: Secom

BM localiza trator em Tiradentes do Sul

No domingo (20/9), por volta das 20h30, na localidade de Novo Planalto interior de Tiradentes do Sul, Policias Militares do 7ºBPM localizaram um TRATOR VALMET ANO 1971, o qual foi constatado ter as mesmas características de uma máquina descrita em uma ocorrência policial de estelionato registrada em Araranguá-SC.

O trator foi recolhido, sendo efetuado registro dos fatos na Delegacia de Polícia de Três Passos.

 

*BM

7° BPM atendeu seis ocorrências de perturbação do sossego durante o final de semana

O final de semana de tempo bom fez muitas pessoas saírem de casa e por vezes descumprirem as orientações de distanciamento controlado impostas pela pandemia.

Foram atendidas seis ocorrências de perturbação do sossego, sendo sete pessoas responsabilizadas mediante termo circunstanciado.

Das seis ocorrências, duas ocorreram em Tenente Portela, sendo uma na área indígena, uma em Barra do Guarita, outra em Chiapetta, mais uma em Sede Nova e a sexta em Tiradentes do Sul.

Os aparelhos de som foram apreendidos e em todas as situações a Brigada Militar orientou sobre a necessidade ainda de seguir as medidas impostas em função da pandemia.

 

*BM

BM captura foragido do sistema prisional em Crissiumal

No domingo (20/9), policiais militares capturaram um homem foragido do sistema prisional em Crissiumal.

A prisão ocorreu no centro da cidade, sendo após encaminhado ao Presídio Estadual de Três Passos.

 

 

*BM

IBGE: desemprego na pandemia atinge maior patamar em agosto

A taxa de desocupação atingiu 14,3%, na quarta semana do mês

A taxa de desocupação atingiu 14,3%, na quarta semana de agosto, um aumento de 1,1 ponto percentual frente à semana anterior (13,2%), alcançando o maior patamar da série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) covid-19, iniciada em maio.

Essa alta acompanha o aumento na população desocupada na semana, representando cerca de 1,1 milhão a mais de pessoas à procura de trabalho no país, totalizando 13,7 milhões de desempregados. Os dados foram divulgada hoje (18) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A população fora da força de trabalho (que não estava trabalhando nem procurava por trabalho) era de 74,4 milhões de pessoas, mantendo-se estável em relação à semana anterior (75 milhões) e, também, frente à semana de 3 a 9 de maio (76,2 milhões). Nessa população, disseram que gostariam de trabalhar cerca de 26,7 milhões de pessoas (ou 35,8% da população fora da força de trabalho). Esse contingente ficou estável frente à semana anterior (26,9 milhões ou 35,9%) e à semana de 3 a 9 de maio (27,1 milhões ou 35,5%).

Cerca de 16,8 milhões de pessoas fora da força que gostariam de trabalhar e não procuraram trabalho não o fizeram por causa da pandemia ou por não encontrarem uma ocupação na localidade em que moravam. Elas correspondiam a 22,6% das pessoas fora da força. Esse contingente permaneceu estável em relação à semana anterior (17,1 milhões ou 22,9%), mas diminuiu frente à semana de 3 a 9 de maio (19,1 milhões ou 25,1%).

A coordenadora da pesquisa, Maria Lucia Vieira, destaca o crescimento da taxa de desocupação, que era de 10,5% no início de maio, e explica que a alta se deve tanto às variações negativas da população ocupada quanto ao aumento de pessoas que passaram a buscar trabalho.

“No início de maio, todo mundo estava afastado, em distanciamento social, e não tinha uma forte procura [por emprego]. O mercado de trabalho estava em ritmo de espera para ver como as coisas iam se desenrolar. As empresas estavam fechadas e não tinha local onde essas pessoas pudessem trabalhar. Então, à medida que o distanciamento social vai sendo afrouxado, elas vão retornando ao mercado de trabalho em busca de atividades”, disse, em nota, a pesquisadora.

Isolamento social

A pesquisa também indica mudança no comportamento da população em relação às medidas de isolamento social. Segundo o IBGE, o número de pessoas que ficaram rigorosamente isoladas diminuiu pela segunda semana seguida. Entre 23 e 29 de agosto, 38,9 milhões de pessoas seguiram essa medida de isolamento, uma queda de 6,5% em relação aos 41,6 milhões que estavam nessa situação na semana anterior.

Segundo Maria Lucia Vieira, há relação entre o aumento das pessoas em busca de trabalho e a flexibilização do isolamento. “A gente está vendo uma maior flexibilidade das pessoas, uma maior locomoção em relação ao mercado de trabalho, pressionando o mercado de trabalho, buscando emprego. E esses indicadores ficam refletidos no modo como eles estão se comportando em relação ao distanciamento social”.

A parcela da população que ficou em casa e só saiu por necessidade permaneceu estável. São 88,6 milhões de pessoas nessa situação, representando 41,9% da população do país. Houve estabilidade também no contingente dos que não fizeram restrição, chegando a 5 milhões de pessoas, e dos que reduziram o contato, mas que continuaram saindo de casa ou recebendo visitas, situação de 77 milhões de pessoas.

O número de pessoas ocupadas que estavam afastadas do trabalho por causa das medidas de isolamento social foi reduzido em 363 mil e esse contingente passou a 3,6 milhões. As pessoas que estão nessa situação agora representam 4,4% de toda a população ocupada, estimada em 82,2 milhões. Dos 76,1 milhões de pessoas que estavam ocupadas e não foram afastadas do trabalho, 8,3 milhões trabalhavam remotamente.

Estudantes sem atividades escolares

A pesquisa estima em 45,6 milhões o número de estudantes matriculados em escolas ou universidades na quarta semana de agosto. Desse total, 7,2 milhões (15,8%) não realizaram atividades escolares em casa no período. O número permaneceu estável em relação à semana anterior. As férias foram apontadas como motivo para 970 mil alunos não realizarem atividades escolares.

Segundo o IBGE, o contingente de estudantes que tiveram atividades ficou em 37,4 milhões. “Ainda estamos no patamar de 82% de pessoas que referiram ter atividades escolares”, afirmou Maria Lucia.

Síndrome gripal

Na quarta semana de agosto, 11,3 milhões de pessoas apresentaram pelo menos um dos sintomas investigados pela pesquisa, como febre, tosse e dor de garganta. O número é inferior ao estimado na semana anterior, quando 12,4 milhões de pessoas relata ter algum dos sintomas. “Isso representa 5,3% da população. Em maio esse percentual chegou a 12,7%”, disse a pesquisadora.

Das pessoas que apresentaram algum sintoma, 2,6 milhões buscaram atendimento em estabelecimento de saúde como postos de saúde, pronto socorro, hospital do Sistema Único de Saúde ou privado. O número de pessoas que procurou atendimento em hospital público, particular ou ligado às forças armadas foi estimado em 799 mil. Desses, 15,2%, ou 121 mil, foram internados.

*Agência Brasil

PIB do RS cai 13,7% no 2º trimestre de 2020 em relação ao período anterior

Desaceleração da atividade econômica é consequência da estiagem e dos efeitos da pandemia sobre indústria e serviços

A economia do Rio Grande do Sul registrou queda de 13,7% no segundo trimestre de 2020 em relação ao trimestre anterior. Os números do Produto Interno Bruto (PIB) mostram um recuo ainda maior na comparação com o mesmo período de 2019 (-17,1%). As duas taxas trimestrais são as maiores quedas já registradas desde o início do cálculo do PIB Trimestral, em 2002, e ambas são mais severas do que as do Brasil (-9,7% e -11,4%, respectivamente).

No acumulado do ano, a queda no PIB do Rio Grande do Sul chega a 10,7%, contra -5,9% no país, o que fez a economia gaúcha recuar ao mesmo patamar do primeiro trimestre de 2009. Os resultados do segundo trimestre foram divulgados por meio de videoconferência na tarde desta sexta-feira (18/9) pelo Departamento de Economia e Estatística (DEE), vinculado à Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG).

“Esse resultado evidencia uma forte desaceleração da atividade econômica no Rio Grande do Sul provocada tanto pela estiagem, que afetou a agropecuária, quanto pelos efeitos negativos decorrentes do enfrentamento da pandemia sobre a indústria e as atividades de serviços”, destaca o pesquisador Martinho Lazzari, do DEE/SPGG.

Segundo trimestre em relação ao anterior

Consequência direta da estiagem do período e dos reflexos da pandemia do novo coronavírus, o PIB registrou queda de 13,7% na comparação com o trimestre anterior. Entre os segmentos que compõem o cálculo, a retração mais significativa foi da Agropecuária, com -20,2%, seguida da redução registrada na Indústria (-15,9%) e no setor de Serviços (-9,1).

Com exceção dos Serviços, todos tiveram queda mais acentuada quando comparada com o país no período, em especial a Agropecuária, que no Brasil teve variação positiva de 0,4%. No país, a indústria registrou queda de 12,3% e serviços de 9,7%, em relação ao primeiro trimestre de 2020.

Comparação com ano anterior

Em relação ao mesmo trimestre de 2019, os números deste ano registraram quedas ainda maiores, com destaque negativo novamente para a Agropecuária (-39,4%). No segmento, as reduções de produção nas culturas de soja (-39,3%) e milho (-27,7%) foram decisivas, enquanto o destaque positivo ficou com a produção de arroz, com crescimento de 8,3%. Na mesma base de comparação, a agropecuária registrou crescimento de 1,2% no país.

Na Indústria, a queda geral foi de 19,3%, com redução nas taxas em todas as atividades do segmento: Eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana (-28,1%), Indústria de transformação (-19,5%), Construção (-12,6%) e Indústria extrativa mineral (-1,5%). Na Indústria de transformação, todas as atividades tiveram queda, em especial a de Veículos, reboques e carrocerias (-70,2%), Couros e calçados (-50,0%) e Máquinas e equipamentos (-14,1%). As menores baixas foram registradas nas atividades de Produtos alimentícios (-0,2%), Bebidas (-0,2%) e Celulose e papel (-0,4%).

Serviços foi o único segmento a registrar queda menor do que a do país (-9,9% contra -11,2% do Brasil). No Rio Grande do Sul, os principais destaques negativos foram o Comércio (-11,6%) e Outros serviços (-23,7%). No Comércio, Hiper e supermercados foi o única das dez atividades a ter desempenho positivo no período (+5,4%), enquanto todos os demais tiveram queda, em especial os setores de Tecidos, vestuário e calçados (-49,3%), Veículos automotores (-41,8%) e Outros artigos pessoais e de higiene (-25,8%).

Texto: Vagner Benites/Ascom SPGG
Edição: Vitor Necchi/Secom

Prefeitura de Crissiumal se manifesta sobre a liberação das atividades esportivas durante a pandemia

A prefeitura de Crissiumal se manifestou nessa sexta-feira (18) sobre a Liberação das Atividades Esportivas, noticiada pelo Governo do Estado.

O Decreto Estadual nº 55.483, de 14 de setembro de 2020, que foi divulgado simplesmente como “Liberação das atividades esportivas” tem algumas explicações necessárias. Ocorre de que no texto, existem uma série de medidas do Governo que devem ser seguidas, bem como, além disso, também a Portaria SES nº 582.

No caso de Ginásios de Esportes, como exemplo, o Decreto obriga intercalar o uso a cada hora, ou seja, a cada hora utilizada, deveria ficar o espaço todo desocupado na hora seguinte para fins de higienização/desinfecção. Portanto, diferente da realidade, o título amplamente divulgado soa como, ginásios liberados.

Ainda, especificamente falando sobre o Ginásio Municipal de Esportes de Crissiumal, informa-se de que após três meses fechado e sem uso o mesmo apresentou diversas avarias nos materiais do piso, onde a municipalidade tentou proceder com “reforma”, a exemplo do que já foi procedido em outras oportunidades, o que desta vez, não teve sucesso, pois a recolocação de um lado, poucos dias depois ocasionou no inchamento da parte logo subsequente. Após estas tentativas frustradas, acompanhamento, laudo técnico, verificação orçamentaria, disponibilidade financeira a municipalidade obrigou-se a estudar/viabilizar uma forma eficaz e duradoura de resolver tal situação. Assim, está sendo lançado para os próximos dias processo licitatório para a retirada do material existente e execução de novo piso para base de uma nova quadra a ser lançada já imediatamente na sequência. Ou seja, o ginásio de Crissiumal terá todo seu piso substituído.

A única liberação que a Prefeitura de Crissiumal entende que seja efetiva e viável diante das normas estaduais vigentes é a permissão de esportes coletivos exclusivamente em quadras esportivas (inclusive de futebol sete), entre 7h e 23h, sem público, com intervalo de 1 (uma) hora entre os jogos e uso intercalado das quadras (campos), para evitar aglomeração e permitir higienização, priorizando o distanciamento. Ainda, o estabelecimento ou clube deverá providenciar a medição de temperatura e o arquivamento da lista de atletas por jogo, contendo nome completo e telefone dos participantes. Fica totalmente vedado o funcionamento da copa, a venda de bebidas e a realização de atividades nos espaços de entretenimento, como churrasqueiras, quiosques e afins. Importante lembrar que isso somente será permitido quando o município não estiver nos últimos 14 dias em bandeira vermelha ou preta.

O governo ainda esclarece que, no caso das quadras, vale a bandeira determinada pelo Estado, não a da cogestão.

 

Fonte: PM Crissiumal

Mensagem de 1 ano de falecimento em memória de Wasco De Faveri

Os familiares de Wasco De Faveri, ainda entristecidos com o falecimento do pai, sogro e avô, ocorrido em 18 de setembro de 2019, aos 76 anos de idade, vêm a público agradecer a todos que se fizeram próximos durante esse período de dor, ao mesmo tempo em que deixam uma mensagem de adeus e de saudade.

Há um ano o senhor se foi, querido pai, e tivemos de seguir nossas vidas com o coração apertado e partido. Foi um ano cheio de saudades e de intensas lembranças, mas foram essas lembranças que nunca nos deixaram desanimar. Foi o amor que nos deste durante o tempo que compartilhamos na Terra que nos fortaleceu e nos permite seguir com coragem frente ao desafio diário da tua ausência.

Pai querido, queremos que saibas que sentimos muito a tua falta. Tantas lindas memórias da infância carregamos conosco: as nossas brincadeiras, a tua criatividade em criar  brinquedos, o teu carinho e preocupação com a horta e o pomar que nos permitia saborear frutas sempre fresquinhas, com o doce sabor do teu cuidado. Foi o teu zelo pela terra e pelo cultivo que nos despertou para a consciência ambiental e gerou um amor muito grande pela natureza, sendo decisivo, inclusive, para nossas escolhas profissionais. Esse mesmo olhar estamos semeando entre seus netos. Sim, querido pai, teus bons exemplos serão sempre transmitidos para a tua neta Melissa e teus netos Cristian e Daniel. Eles já falam muito do vovô e sempre lembrarão do senhor com muito carinho. Guardarão lembranças das brincadeiras e do afetuoso ‘colinho do vovô’, desfrutado em encontros que desejávamos repetir ainda por muitos anos, porém Deus havia traçado outros planos…

Seguiremos, pai, com saudades de te ver bonito e orgulhoso trajando a tradicional bombacha ou a camiseta do Internacional.

Quantas saudades daqueles churrascos de domingo, da sacola cheia de delícias que preparavas para as nossas viagens, do teu abraço apertado e do teu olhar de carinho e aconchego. Mesmo com o teu jeito tímido, amado pai, jamais duvidamos do tanto de amor que tinhas por nós. E se hoje sentimos saudades, paizinho, é porque temos boas recordações e bonitas memórias para visitar. Estamos orando todos os dias para que estejas em paz e para que nossos corações possam se conformar com a tua ausência.

Agradecemos por todos os ensinamentos e por todo o amor e amparo que nos deste. Por ter sido um homem honesto, íntegro, trabalhador, responsável e de um coração grandioso, sempre disposto a ajudar a quem precisava de ti. Obrigada por tudo o que fizeste por nós! Um dia ainda iremos te abraçar de novo, temos certeza disso.

Descansa em paz paizinho e vovô amado. Fica com Deus e na luz!

Te amaremos pra sempre!

Com amor, das tuas filhas Gisele e Miqueline, Genros Eduardo e Mateus e netos Melissa, Daniel e Cristian.

Temporal causa estragos em Santo Ângelo

Equipes da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e prefeitura trabalham no atendimento às famílias

Um temporal com chuva e ventos fortes causou estragos em cidades da região das Missões, na manhã desta quarta-feira. Em Santo Ângelo, pelo menos 30 casas tiveram o telhado danificado pelo vento. Equipes da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e prefeitura trabalham no atendimento às famílias.

Adelar Cavalheiro, chefe da Defesa Civil de Santo Ângelo, diz que o número de atingidos é ainda maior, e deve atualizar os dados durante a tarde. Ele conta que há registros de quedas de árvores, postes de energia elétrica, silo e a estrutura inteira de telhado de um posto de combustível. “O temporal iniciou às 10h. As equipes estão desobstruindo ruas e atendendo as famílias atingidas”, explicou Cavalheiro.

O Corpo de Bombeiros está realizando a distribuição de lonas para resolver de forma emergencial o problema da cobertura das casas. Posteriormente, a Defesa Civil fará cadastro para solicitar telhas ao órgão estadual. Também foram registrados estragos nas cidades de Entre-Ijuís e Caibaté.

 

*Correio do Povo