Câmara aprova texto-base da PEC que adia eleições deste ano

Proposta é suspender o pleito municipal por seis semanas

Najara Araújo/ Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (1º), em primeiro turno, o texto-base da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que adia em seis semanas as eleições municipais deste ano em razão da pandemia de covid-19. A matéria foi aprovada por 402 votos a 90. Também foram registradas quatro abstenções.

O texto do relator, deputado Jhonatan de Jesus (Republicanos-RR), recomendou a aprovação, sem alterações, do texto oriundo do Senado. Dessa forma, o primeiro turno das eleições municipais será adiado de 4 de outubro para o dia 15 de novembro. A data do segundo turno passa para o dia 29 de novembro.

“Se, por um lado, entendemos que pleito periódico é inerente ao princípio democrático, alicerce do sistema constitucional brasileiro, e integra as cláusulas pétreas da Constituição, por outro lado há grande preocupação com a segurança sanitária de todo o processo eleitoral”, afirmou o relator. Para ele, a proposta contempla ambos os valores em questão.

A proposta confere ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a prerrogativa de definir os horários de funcionamento das sessões eleitorais, bem como eventuais medidas de distribuição dos eleitores nas sessões para minimizar os riscos de aglomeração nos dias de votação. Por já ter sido aprovado no Senado, a matéria segue para promulgação do Congresso Nacional – caso não seja alterada pelos deputados.

Por se tratar de modificação constitucional, a proposta será submetida ao segundo turno de votação na Câmara ainda nesta quarta-feira. De acordo com o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), por já ter sido aprovada no Senado, a matéria será promulgada pelo Congresso nesta quinta-feira (2), às 10h, caso não seja modificada pelos deputados.

A medida não prevê modificação no tempo de mandato dos cargos eletivos. “A opção parece ser a mais acertada, por assegurar tanto a realização das eleições ainda neste ano de 2020, sem a necessidade de alteração dos mandatos dos atuais prefeitos e vereadores e dos próximos mandatários”, argumentou Jhonatan de Jesus.

Flexibilidade

O texto aprovado prevê uma espécie de “janela” que dá poderes ao tribunal para fazer nova alteração na data das eleições, de forma pontual, em municípios nos quais ainda se verifiquem condições sanitárias arriscadas. Caso o adiamento, em virtude da pandemia de covid-19 seja necessário em todo um estado, a autorização de novo adiamento deverá ser feita pelo Congresso. Esses adiamentos só poderão ocorrer até 27 de dezembro de 2020.

Além disso, o TSE também poderá ampliar hipóteses de justificativa eleitoral nos casos em que a epidemia não desacelere e eleitores não se sintam seguros a sair para votar. O próprio relator sinalizou positivamente sobre a possibilidade do Congresso, caso seja necessário, aprovar anistia para os que não forem votar.

Fonte: Agência Brasil

Plano Safra terá mais recursos e menos juros

Volume de financiamento chegará a R$ 236,3 bilhões

O  Ministério, da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) anunciou a entrada em vigor do novo Plano Safra. O dinheiro do financiamento pode ser acessado a partir de hoje (1º de julho) até 30 de junho de 2021. O volume de recursos disponíveis é de R$ 236,3 bilhões – R$ 13,5 bilhões (6%) acima do financiamento entre 2019 e 2020.

Do volume total de recursos, o governo prevê que o Plano Safra financiará até R$ 179,38 bilhões para custeio na lavoura, comercialização e industrialização e R$ 56,92 bilhões para investimentos – por exemplo, para a renovação de frota de uso na colheita e aumento de capacidade de armazenagem.

De acordo com o ministério, o volume do financiamento “contribuirá para garantir a continuidade da produção no campo e o abastecimento de alimentos no país durante e após a pandemia do novo coronavírus.”

Banco do Brasil

O Banco do Brasil, principal agente financeiro do Plano Safra, vai destinar R$ 103 bilhões para a agricultura – 11% além do ofertado no período 2019-2020. Segundo o BB, todas as linhas de financiamento, de custeio ou de investimentos, tiveram redução das taxas de juros.

O custo do crédito para produtores rurais inscritos no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) vai variar de 2,75% a 4% ao ano para custeio e comercialização. No Plano Safra do período anterior, a variação era de 3% a 4,6% ao ano.

Houve redução dos juros também para produtores rurais assistidos pelo Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), de 6% para 5% ao ano. Para grandes produtores, a redução da taxa de juros no Banco do Brasil foi maior, em dois pontos percentuais: de 8% ao ano será de 6% ao ano.

Para as operações de custeio, o BB vai ofertar R$ 61 bilhões e para investimentos, R$ 17,5 bilhões.

Peso na economia

O financiamento da safra nacional é estratégico para a economia. De acordo com os dados do Ministériod a Agricultura, no ano passado, o agronegócio gerou R$ 1,55 trilhão ou 21,4% do Produto Interno Bruto.

Este ano, apesar da pandemia da covid-19, o PIB do setor deve crescer 2,5% em relação a 2019. A avaliação do ministério é feita a partir da expectativa de bom desempenho e comercialização de lavouras como soja, milho, cana-de-açúcar e café.

De janeiro a maio, as exportações do agronegócio, principalmente de soja (grãos, farelo e óleo) e as carnes (bovina, suína e de aves), geraram US$ 41,9 bilhões – quase a metade do que o Brasil comercializou no período.

Em apresentação para o financiamento do Plano Safra, o Banco do Brasil destacou o ganho de produtividade do agronegócio em 30 anos. Do início da década de 1990 até a safra 2019-2020, a produção financiada pelo plano cresceu 333% e a área plantada aumentou em 73%.

Fonte: Agência Brasil

Estado tem um infectado a cada 214 habitantes, aponta quinta etapa de pesquisa de prevalência de Covid-19

Estudo estima que cerca de 53 mil pessoas, equivalente a 0,47% da população gaúcha, tenham anticorpos para a doença

A pesquisa de prevalência da Covid-19 na população gaúcha mostra que a disseminação do coronavírus aumentou no Rio Grande do Sul. Os números da quinta etapa do estudo, divulgados nesta quarta-feira (1°/7) pelo governo do Estado e pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) em transmissão ao vivo nas redes sociais, apontam que há um infectado a cada 214 habitantes. Os dados estimam que mais de 53 mil pessoas (de 32.891 a 81.059, pela margem de erro da pesquisa) têm ou já tiveram o vírus na população gaúcha.

“A pesquisa, inédita e que ganhou proporção nacional, é um dos parâmetros utilizados para definir as medidas adotadas no enfrentamento ao coronavírus. Essa parceria com a comunidade científica nos dá segurança, e nos dá uma orientação mais segura sobre o que devemos e o que não devemos fazer”, reforçou o governador Eduardo Leite.

Além de a pesquisa apontar aumento na disseminação do vírus pelo Estado, também mostra que a população não está obedecendo ao distanciamento social com o mesmo afinco que fazia em abril. Sabíamos que isso ocorreria, mas volto a chamar atenção para o fato de que estamos vivendo o momento mais delicado da pandemia até agora, e a colaboração de cada gaúcho e de cada gaúcha é essencial”, alertou.

A quinta etapa do estudo Epidemiologia da Covid-19 no RS (Epicovid19-RS) é a primeira da segunda fase de aplicação de testes rápidos, que segue o mesmo funcionamento das etapas anteriores, com exceção da diferença de intervalo entre as rodadas. O resultado da quarta etapa havia sido divulgado no dia 27 de maio. Entre os dias 27 e 29 de junho, foram testadas 4,5 mil pessoas nas nove cidades selecionadas: Pelotas, Porto Alegre, Canoas, Santa Maria, Uruguaiana, Santa Cruz do Sul, Ijuí, Passo Fundo e Caxias do Sul.

“Diante da impossibilidade de realizar testes em toda a população, essa nova fase do estudo é importante para acompanharmos a evolução da pandemia”, afirmou a coordenadora do Comitê de Dados, Leany Lemos.

Epicovid19 fase 5 1

De acordo com o resultado dos testes aplicados nesta etapa, estima-se que haja 53.094 pessoas já com anticorpos no Estado, equivalente a 0,47% da população. Na rodada anterior, no final de maio, as projeções eram de 20.226 pessoas infectadas pelo vírus (0,18% da população).

Dos 4,5 mil testes, 21 tiveram resultado positivo para coronavírus: quatro em Caxias do Sul, três em Uruguaiana, Ijuí, Santa Cruz do Sul e Passo Fundo; dois em Porto Alegre e Canoas, e um em Pelotas. Santa Maria foi a única cidade selecionada pela pesquisa que não teve nenhum resultado positivo.

Os novos dados estimam que haja um infectado a cada 214 gaúchos – na testagem anterior, havia um caso positivo a cada 562 pessoas; na terceira, um a cada 454 pessoas; na segunda, um a cada 769 e na rodada inicial, um a cada 2 mil.

Para cada 1 milhão de habitantes do Rio Grande do Sul, estima-se que existam 4.667 infectados reais e 2.219 notificações. Para cada caso notificado, portanto, existem cerca de dois casos não notificados.

A EpiCovid19-RS ainda tem previstas três etapas: a sexta etapa deve ocorrer de 25 a 27 de julho; a sétima, de 22 a 24 de agosto; e a oitava, de 26 a 28 de setembro.

Epicovid19 fase 5 2

Distanciamento Controlado

Se comparados à quarta etapa da pesquisa, os dados da quinta etapa mostram que o percentual de pessoas que está seguindo as orientações de distanciamento social diminuiu nesse intervalo de um mês: apenas 12,7% dos entrevistados alegou estar sempre em casa. No final de maio, eram 14,5% dos entrevistados.

“Estamos monitorando, sempre com o dedo no pulso, a evolução da doença no Estado. Com o aumento de internações que percebemos, restringimos algumas atividades, e se não houver diminuição na velocidade de contágio, teremos de restringir ainda mais, com a migração de algumas regiões de bandeira vermelha para preta. Está nas mãos de toda a sociedade. Todos, juntos, podemos evitar que haja maiores restrições”, alertou o governador Eduardo Leite.

As pessoas que só saem para cumprir atividades essenciais correspondem a 54,6% dos entrevistados e aquelas que saem diariamente são 32,7% dos entrevistados. No final de maio, 54% dos entrevistados saia para atividades essenciais, e 31,5% relatava sair diariamente.

“Levando em consideração a implementação do Distanciamento Controlado e as atitudes individuais, percebe-se, do início de abril ao final de junho, uma diminuição dos cuidados e da obediência aos protocolos de prevenção. Vemos isso com preocupação, especialmente neste momento em que vemos a velocidade de contágio aumentando”, alertou o epidemiologista e professor emérito da UFPel, Fernando Barros, responsável por apresentar os resultados da quinta etapa na transmissão ao vivo.

Epicovid19 fase 5 3

Letalidade

A letalidade baseada no total de casos é de 1,1%, com uma relação de 559 mortes para cada 53.094 casos. Isso porque a pesquisa considera que haja dois casos para cada notificação – ou seja, o Rio Grande do Sul não teria cerca de 27 mil casos confirmados, mas sim, mais de 53 mil.

“É um número bastante elevado, se comparado ao total de óbitos causados com outras infecções respiratórias”, explicou o professor Fernando Barros. No entanto, se os dados considerados forem os casos confirmados, a letalidade é 2,2%, com 559 mortes para 25.243 casos.

Sintomas mais comuns

Os sintomas mais relatados pelas 21 pessoas que testaram positivo para o coronavírus na quinta etapa da pesquisa foram tosse (45%), dor de garganta (35%) e alterações no olfato/paladar (30%). Dificuldade para respirar (25%), febre (20%) e diarreia (10%) também foram relatados. Essa foi a terceira vez que a pesquisa Epicovid19 divulgou resultados sobre os sintomas.

Lockdown

Embora não tenha apresentado os resultados da pesquisa, como costumeiro, o reitor da UFPel, Pedro Hallal, participou da transmissão ao vivo para esclarecer uma dúvida a respeito da adoção de “lockdown” no Estado. Uma vez que o Epicovid19 tomou proporção nacional e foi replicada em outros Estados, Hallal vem alertando sobre a necessidade de um lockdown rigoroso, de 15 dias, para deter a curva ascendente de casos confirmados e de óbitos por coronavírus.

O reitor explicou, no entanto, que o Rio Grande do Sul tem um acompanhamento da evolução da pandemia que nenhum outro Estado apresenta. “É uma situação muito preocupante em todos os Estados, alguns mais do que outros, mas a recomendação sobre o lockdown é para o país inteiro. De nada adiantaria o Rio Grande do Sul fazer isso sem que outros Estados adotem a mesma medida”, esclareceu. “Se identificarmos essa necessidade para o RS em algum momento, defenderemos isso, e tenho certeza de que o Estado daria o mesmo encaminhamento”, reforçou.

A pesquisa

O Epicovid19 é coordenado pelo governo do Rio Grande do Sul e pela UFPel, mobilizando uma rede de 12 universidades federais e privadas: Imed Passo Fundo, Universidade de Caxias do Sul (UCS), Universidade de Passo Fundo (UPF), Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS/Passo Fundo), Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Universidade Federal do Pampa (Unipampa/Uruguaiana), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade La Salle (Unilasalle-Canoas) e Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí).

O estudo, com custo estimado em R$ 1,5 milhão, tem apoio da Unimed Porto Alegre, do Instituto Cultural Floresta, também da capital gaúcha, e do Instituto Serrapilheira, do Rio de Janeiro.

Fonte: Governo RS

Paciente de Esperança do Sul morre por Covid-19 no Hospital de Três Passos

Homem tinha 67 anos

A Prefeitura Municipal de Esperança do Sul, confirmou na manhã desta quarta-feira (1)  mais uma morte em consequência da pandemia do novo Coronavírus.

O paciente de 67 anos, morador da Sede do Município, foi encaminhado de imediato no dia 26 de junho ao Hospital de Caridade de Três Passos onde foi internado.

No dia 30 de junho, o resultado do exame foi confirmado como positivo, pelo Laboratório Central do Estado (LACEN).

O paciente faleceu ontem , dia 30, as 21h, sendo este, mais um óbito do Município em decorrência da infecção.

O Prefeito Municipal, Moisés Ledur e o Secretario de Saúde, Ademir da Cruz, prestam condolências e solidariedade aos familiares e amigos, nesse momento de dor profunda pela perda irreparável.

A Administração Municipal, pede para que a população siga as recomendações das medidas de segurança, definidas em decreto, para controle da velocidade da propagação do novo Coronavírus no Município.

 

Fonte: Prefeitura de Esperança do Sul

Prorrogação do auxílio emergencial é publicada no Diário Oficial

Benefício será pago por mais dois meses

Foi prorrogado por mais dois meses o auxílio emergencial, criado em março para auxiliar trabalhadores informais e beneficiários do Bolsa Família durante a pandemia de coronavírus. O decreto 10.412 foi publicado na edição desta quarta-feira (1º) do Diário Oficial da União (DOU).

Inicialmente, seriam pagas três parcelas, mas, após pressão, o governo resolver estender o benefício.

Fica prorrogado o auxílio emergencial, previsto no artigo 2º da Lei nº 13.982, de 2020, pelo período complementar de dois meses, na hipótese de requerimento realizado até 2 de julho de 2020, desde que o requerente seja considerado elegível nos termos do disposto na referida Lei”, diz o documento assinado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Aprovado pelo Congresso em março e com início em abril, o pagamento do auxílio emergencial é feito para trabalhadores sem renda por causa da pandemia de coronavírus e envolve informais, MEIs, contribuintes individuais do INSS, inscritos no CadÚnico e beneficiários do Bolsa Família.

Confira quem tem direito

De acordo com a lei, pode receber o auxílio quem cumprir as seguintes condições, acumuladamente:

  • É maior de 18 anos (exceto mães)
  • Não tem emprego formal
  • Não recebe benefício assistencial ou do INSS, não ganhe seguro-desemprego ou faça parte de qualquer outro programa de transferência de renda do governo, com exceção do Bolsa Família
  • Tenha renda familiar, por pessoa, de até meio salário mínimo, o que dá R$ 522,50 hoje, ou renda mensal familiar de até três salários mínimos (R$ 3.135)
  • No ano de 2018, recebeu renda tributável menor do que R$ 28.559,70
  • O futuro beneficiário deverá ainda cumprir pelo menos uma dessas condições:
  • Estar desempregado
  • Exercer atividade como MEI (microempreendedor individual)
  • Ser contribuinte individual ou facultativo da Previdência, no plano simplificado ou no de 5%
  • Trabalhar como informal empregado, desempregado, autônomo ou intermitente, inscrito no CadÚnico até 20 de março deste ano ou que faça autodeclaração e entregue ao governo

 

Fonte: ZH

Temporal deixa mais de mil pessoas fora de casa no Rio Grande do Sul

Defesa Civil registra estragos em 16 cidades gaúchas

Foto: Prefeitura Municipal de Iraí / Divulgação

A Defesa Civil Estadual informou, no início da manhã desta quarta-feira(1°/7), que ao menos 1.035 pessoas, em 16 cidades gaúchas, estão fora de casa em função do ciclone-bomba que atingiu o Rio Grande do Sul, provocando chuva e fortes ventos em diferentes regiões. Ao menos 871 residências foram danificadas pela passagem do ciclone. Entre os municípios mais atingidos estão Vacaria, Capão Bonito do Sul e São Sebastião do Caí.

Do total de desalojados, 520 pessoas são de Vacaria, 400 em Capão Bonito do Sul, 73 em São Sebastião do Caí, 30 em Muitos Capões, além de oito em Cambará do Sul e quatro em Lagoa Vermelha.

Em Iraí, no Norte do Estado, cerca de 300 residências ficaram parcialmente destelhadas, totalizando cerca de 250 famílias afetadas. A Defesa Civil já distribuiu três mil metros quadrados de lona. Em decorrência do destelhamento, quatro pessoas ficaram feridas reparando os danos das residências.

No município de  Cacique Doble houve ocorrência de destelhamento de cerca de 150 casas e queda de estrutura em três empresas, localizadas nos bairros Nossa Senhora da Saúde, Planalto, Portal, Nova Esperança, Centro. Na área indígena, 20 famílias tiveram que ir para casas de parentes devido ao alagamento dentro de suas casas. Também foram relatadas queda de árvores em diversas estradas vicinais.

Elevação do rio em São Sebastião do Caí

Já em São Sebastião do Caí, a Defesa Civil precisou retirar dezenas de famílias que vivem às margens do rio Caí. A elevação das águas fez com que as famílias precisassem deixar suas residências. As pessoas afetadas foram levadas para o ginásio municipal no bairro Navegantes. De acordo com a prefeitura, a expectativa é de que águas do rio Caí cheguem aos 12 metros.

Conforme o secretário de Planejamento e Desenvolvimento, Fernando Cofferri, há um cuidado ainda maior nesse momento. Em virtude da pandemia da Covid-19, todas as pessoas que estão sendo levadas para o ginásio estão cumprindo o distanciamento social. A prefeitura está disponibilizando ainda kits de luvas e álcool em gel, além de medir a temperatura de quem chega ao abrigo.

Fonte: Correio do Povo

Governo federal restringe entrada de estrangeiros no Brasil por 30 dias

Determinação vale por trinta dias em razão da declaração de emergência sanitária da Organização Mundial da Saúde por causa do coronavírus

Foto: Guilherme Almeida

Em meio ao avanço da pandemia por coronavírus, o governo federal decidiu restringir por 30 dias a entrada de estrangeiros de qualquer nacionalidade no Brasil. A determinação foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União de ontem (30).

A portaria é assinada pelos ministros Walter Braga Netto, da Casa Civil; André Mendonça, da Justiça e Segurança Pública, Tarcísio Gomes de Freitas, da Infraestrutura, e Eduardo Pazuello, da Saúde.

A medida considera declaração de emergência em saúde pública da OMS (Organização Mundial de Saúde), de 30 de janeiro de 2020, “em decorrência da infecção humana pelo coronavírus SARS-CoV-2(covid-19)”, e a recomendação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) como uma forma de evitar a propagação do novo coronavírus.

A portaria determina que “fica restringida, pelo prazo de trinta dias, a entrada no País de estrangeiros de qualquer nacionalidade, por rodovias, por outros meios terrestres, por via aérea ou por transporte aquaviário”.

Fonte: R7

Homem é preso por porte ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas próximo a Humaitá


A Polícia Civil, através da equipe da Delegacia de Polícia de Três Passos, com apoio da Brigada Militar, realizou a prisão em flagrante de um indivíduo por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

A abordagem ocorreu próximo ao município de Humaitá, no final da tarde desta terça-feira (30/6).

Foram apreendidos aproximadamente um quilo de maconha, um revólver e nove cartuchos.

 

*Polícia Civil

Hospitais estaduais recebem repasse de R$ 43 milhões via emendas da bancada federal

Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

Mais de cem hospitais gerenciados pelo governo do Estado receberão um reforço financeiro para o combate ao coronavírus. No valor de cerca de R$ 43 milhões, o repasse foi feito via emendas extraordinárias da bancada federal gaúcha e já está no caixa estadual para ser encaminhado aos hospitais.

O anúncio do repasse foi feito na manhã desta terça-feira (30/6), via videoconferência transmitida em redes sociais. Com a participação do governador Eduardo Leite, do vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, e da secretária da Saúde, Arita Bergmann, o encontro reuniu deputados federais e estaduais e senadores.

“O governo do Estado é uma peça na engrenagem. Não governamos o Estado sozinho, nem faremos as mudanças necessárias sozinhos. Agradeço muito pela ajuda e pela disposição dos parlamentares em colaborar constantemente, não só no repasse de recursos, mas na interlocução com o governo federal”, destacou o governador.

A bancada federal realocou, por meio de emendas extraordinárias, recursos de outras pastas federais para a Saúde. No total, serão R$ 99,3 milhões repassados ao Rio Grande do Sul com o objetivo de fortalecer as ações de combate ao coronavírus. Desse valor, R$ 43.400.725,93 serão enviados a 111 hospitais sob gestão estadual. O restante do valor será repassado a hospitais sob gestão municipal.

Ao representar o líder da bancada federal, deputado Giovani Cherini, que não pode comparecer ao encontro virtual, o deputado Pedro Westphalen ressaltou a união entre os parlamentares. “Estamos sabendo atuar de maneira uniforme neste momento, fazendo das diferenças um aprendizado no combate ao coronavírus. A bancada se uniu e decidiu, de maneira unânime, redirecionar os recursos para auxiliar os hospitais”, explicou.

Dos 111 hospitais estaduais contemplados, 46 receberão o aporte – cerca de R$ 19 milhões – ainda nesta terça (30/6). “Celebramos esses recursos, tão importantes neste momento, e agradecemos aos deputados, nossos parceiros, que realocaram esse valor”, reforçou a secretária Arita Bergmann.

O deputado estadual Zé Nunes representou o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ernani Polo, que não pode comparecer ao encontro. Representando os senadores, o senador Luis Carlos Heinze também manifestou a importância da união, deixando de lado ideologias partidárias, neste momento de combate ao coronavírus.

Clique aqui e confira a lista dos 111 hospitais contemplados e quanto cada um receberá.

 

Fonte: Governo do RS

Prefeitura de Crissiumal estende o período da campanha do agasalho no município

Campanha que encerraria nesta terça, segue até o dia 15 de julho

Considerando que estamos na estação mais fria do ano e entendendo a necessidade das famílias carentes do município, a Prefeitura de Crissiumal, por meio da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, estendeu o período da Campanha do Agasalho – 2020, que encerraria nesta terça-feira (30) no município.

A Campanha que teve início no dia 15 de junho, contou com o apoio da ABEMEC – Associação de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. A ação, que foi realizada ao “ar livre”, em virtude das medidas de prevenção ao Coronavírus, aconteceu nos espaços em frente à sede da entidade e, também, dos núcleos dos bairros Paraíso e Mirim. Nesses locais, além da distribuição ocorria também a arrecadação de agasalhos, no horário das 08h às 17h, com atendimento inclusive ao meio-dia.

De acordo com informações da Secretaria a Campanha deve seguir ainda por mais 15 dias, a fim de atender as famílias que carecem de agasalhos, mas que não puderam até, então, retirá-los. Porém, desta vez, a distribuição ocorrerá no espaço do CESIC, no horário das 07h às 13h.

Para a retirada de agasalhos os cidadãos deverão levar sua própria embalagem/sacola. Contudo, os munícipes que desejam efetuar doações de roupas calçados e cobertores poderão fazê-las, junto aos CESIC.

Seja solidário. Doe!!

 

Por: Andréia Cristina Queiroz