Número de produtores cai, mas produção de leite cresce no Corede Noroeste Colonial

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

 

Foto: Marketing/UNIJUÍ

O número de produtores de leite caiu 38,58% no Corede Noroeste Colonial, no entanto o volume de leite produzido no período de 2015 a 2019 cresceu 12%. É o que mostra um estudo coordenado pela Emater/RS-Ascar, secretarias municipais de Agricultura, Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural, inspetorias veterinárias e Sindicatos dos Trabalhadores Rurais dos 11 municípios do Corede Noroeste Colonial. Os dados foram apresentados a gestores públicos, representantes de Conselhos e do setor agropecuário, na terça-feira (13/08), no campus da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí).

Segundo o estudo, apresentado pelo gerente adjunto da Emater/RS-Ascar da região de Ijuí, Vito Cembranel, em 2015 haviam 3.735 produtores de leite e em 2019, esse número baixou para 2.695. Em relação ao volume de leite produzido, no entanto, a produção registrada no ano de 2015 foi de 263,8 milhões de litros, tendo alcançado os atuais 296 milhões litros.

Dentre os problemas, predominam a falta de infraestrutura e a falta de mão de obra nas propriedades rurais.

Um ponto positivo foi destacado pelo médico veterinário da Emater/RS-Ascar, Oldemar Weiller. “A gente mostrou que, em relação à qualidade do leite, há menos produtores com problemas hoje do que tínhamos há quatro anos  e este é um ponto positivo”, disse Weiller.

A tecnologia e o manejo teria contribuído para elevar a qualidade. O resfriador de expansão, o sistema tecnificado de ordenha, o transferidor, a sala de ordenha canalizada foram exemplos citados pelo médico veterinário da Emater/RS-Ascar.

Por: Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar

Rádio Metrópole

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.