Em dois meses, terceira pessoa é presa no RS por divulgar barreiras policiais pelo WhatsApp

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Jovem foi preso no Litoral Norte por avisar sobre blitz, que também resultou na prisão de um foragido da Justiça

Desde maio deste ano, em diferentes ações no Rio Grande do Sul, três pessoas foram presas por avisar em grupos de WhatsApp sobre barreiras policiais. Depois de Novo Hamburgo e Fontoura Xavier, o caso mais recente foi registrado na quarta-feira (11) no Litoral Norte.

Policiais do Comando Rodoviário da Brigada Militar que realizavam abordagens na RS-786, a Interpraias, em Nova Tramandaí, prenderam um jovem que estava alertando sobre a ação. O homem foi preso no local de trabalho, uma empresa de zeladoria da região, onde os PMs confirmaram que ele estava enviando fotos, áudios e textos sobre a blitz.

Logo após essa prisão, um foragido da Justiça tentou escapar da abordagem dando marcha a ré no veículo que dirigia. Ele não conseguiu e foi preso no local por brigadianos em motocicletas.

No entanto, não foi confirmado se o foragido teria recebido as informações sobre a barreira. Após ser preso, ele disse que se pronunciaria apenas em juízo. Os nomes dos dois detidos não foram divulgados pela polícia.

Outros casos  

Os outros dois casos semelhantes em que houve prisões de pessoas que avisaram sobre barreiras ocorreram no início deste mês, quando um jovem foi preso em Fontoura Xavier, no norte gaúcho, e em maio, quando um comerciante de Novo Hamburgo também foi flagrado e detido.

O Código Penal, em seu artigo 265, considera estas atitudes — atentar contra a segurança ou o funcionamento de serviço de água, luz, força ou calor, ou qualquer outro de utilidade pública — um delito mediante flagrante sem direito a fiança. Em dezembro do ano passado, 17 moradores de Vacaria foram indiciados pela polícia por avisar nas redes sociais sobre ações policiais na região.

Fonte: Gaúcha ZH

 

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.