Crissiumal registra baixas temperaturas no final de semana

Bela Vista – Foto: Angela Breunig

Crissiumal registrou neste sábado (16) e domingo(17), formação de geada

Logo pela manhã por volta das 7h de sábado, Crissiumal registrou 1°C na cidade e com variações de 0° C a -1°C em várias localidades do interior do município.

O frio muito intenso voltou a se repetir neste domingo com marcas baixíssimas. As localidades de Bela Vista, Esquina Butiá , Zona Trentine e Lajeado Grande registraram -2 C com forte formação de geada. Outras localidades e cidade também geou.

No Estado o número de municípios com mínimas negativas foi menor e em muitas cidades os termômetros seguiram com temperaturas baixas sendo que em algumas regiões foram até menores que as do sábado.

As próximas manhãs ainda serão de frio, porém bem menos intenso, com as máximas durante as tardes, acima dos 20ºC.

Formação de geada do sábado. Foto: Emerson Gomes

Domingo(17) em Zona Trentini – Foto: Emerson Gomes

Fonte: Rádio Metrópole com informações da MetSul

ABEMEC juntamente com APAE, SBAIC e HCC realizaram encontro com a ACI

Na quarta-feira (06-06) representantes da Entidade ABEMEC e representante da Associação Comercial e Industrial – ACI de Crissiumal realizaram encontro, a fim de criar estratégias para mobilizar a comunidade local a cerca da importância da participação no Programa Nota Fiscal Gaúcha (NFG), pois os cidadãos com cadastro efetivo e que solicitam no momento da compra a inclusão do CPF na nota fiscal, concorrem mensalmente a diversos prêmios, além de beneficiar as Entidades cadastradas no Programa.

A partir da importância do Programa para as Entidades cadastradas do município, ficou acordado que a ACI irá incluir nas suas campanhas a divulgação do Nota Fiscal Gaúcha, enfatizando as formas de acesso e participação do comércio local e munícipes, bem como a Entidade ABEMEC continuará mobilizando a comunidade através de campanhas, folders informativos, sensibilização das famílias, visando a inclusão de novos cidadãos e também fortalecendo a forma de participação dos mesmos.

A ABEMEC já foi beneficiada com recursos recebidos através do Programa Nota Fiscal Gaúcha (NFG), proporcionando investimentos nas atividades com as crianças e adolescentes que frequentam a Sede e Núcleos Bairro Paraíso e Bairro Mirim, qualificando assim, o atendimento prestado.

  Já na sexta-feira (08-06) foram na ACI representantes das Entidades do Munícipio: ABEMEC, APAE, SBAIC e Hospital de Caridade de Crissiumal (HCC), que participam do Programa Nota Fiscal Gaúcha (NFG) para tratar sobre o mesmo assunto, reforçando a importância de uma campanha da Nota Fiscal com CPF e os benefícios proporcionados.

Fonte/Fotos: Abemec

Produtores rurais poderão fazer empréstimos a juros menores a partir de julho

A partir do dia 1º de julho, os produtores rurais de todo o país poderão fazer empréstimos a juros menores. A medida foi anunciada nesta semana no lançamento do Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2018/2019, que define mais R$ 194 bilhões de crédito, juros reduzidos e amplia o Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) para R$ 2 milhões.

Esse plano prevê a queda de 1,5 ponto percentual para as taxas de juros do crédito rural. Além disso, houve redução das taxas de juros de custeio para 6% ao ano, destinada a médios produtores, aqueles com renda bruta anual de até R$ 2 milhões, e para 7% ao ano para os demais.

Do total de R$ 194,37 bilhões previstos no plano anunciado, R$ 151,1 bilhões são para crédito de custeio. O crédito para investimento ficou em R$ 40 bilhões.

Além do crédito para custeio e para investimentos de R$ 191 bilhões, serão destinados R$ 2,6 bilhões para o apoio à comercialização e R$ 600 milhões para subvenção ao seguro rural.

 

Agência do Rádio

Poluição plástica é tema do Dia Mundial do Meio Ambiente 2018

O Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado hoje (5), tem como tema este ano  “#AcabeComAPoluiçãoPlástica”. O objetivo da ONU Meio Ambiente é chamar a atenção da sociedade para reduzir a produção e o consumo excessivo de produtos plásticos descartáveis.

Em 2018, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), a data soma esforços à campanha #MaresLimpos (http://cleanseas.org/), para combater o lixo marinho e mobilizar todos os setores da sociedade global no enfrentamento deste problema, que se não for solucionado poderá resultar em mais plástico do que peixes nos oceanos até 2050.

Segundo as Nações Unidas, a poluição plástica é considerada uma das principais causas atuais de danos ao meio ambiente e à saúde. Por ano, são consumidas até 5 trilhões de sacolas plásticas em todo o planeta.

Ainda segundo a ONU Meio Ambiente, a cada minuto, são compradas 1 milhão de garrafas plásticas e 90% da água engarrafada contêm microplásticos. De acordo com o organismo internacional, metade do plástico consumido no mundo é descartável e pelo menos 13 milhões de toneladas vão parar nos oceanos anualmente, afetando 600 espécies marinhas, das quais 15% estão ameaçadas de extinção.

Mais de 100 países se uniram sob o slogan do Dia Mundial do Meio Ambiente deste ano e se comprometeram com atividades, como mutirões de limpeza de praias e florestas, e anúncios de políticas públicas voltadas ao descarte e consumo responsável do plástico.

Para o diretor executivo da ONU Meio Ambiente, Erik Solheim, este é um momento crucial para reverter a maré de poluição global. “Precisamos encontrar soluções melhores e mais rápidas do que nunca. Desistir não é uma opção para nós. Agora é a hora de agir juntos – independentemente da nossa idade – pelo bem do nosso planeta”, disse, em nota.

Poluição provocada pelos plásticos é tragédia ambiental global que contamina o solo e os mares – (Martine Perret/ONU Meio Ambiente/Direitos reservados)

Lixo Zero

De hoje até quinta-feira (7), Brasília vai sediar o 1º Congresso Internacional Cidades Lixo Zero. O evento reunirá especialistas estrangeiros e brasileiros para apresentar e debater as melhoras práticas e tecnologias usadas para o gerenciamento de resíduos sólidos.

O presidente do Instituto Lixo Zero Brasil e coordenador do evento, Rodrigo Sabatini, disse que o objetivo do congresso é mostrar para as prefeituras que podem adotar uma política de lixo zero. “Lixo zero quer dizer que vamos fazer de tudo para que os resíduos não sejam enviados para aterros. Vamos reciclar, compostar, reduzir”.

 

Fonte: Agência Brasil

Duas pessoas morrem em acidente entre carro e ônibus na ERS-409

Gol colidiu no outro veículo quando seguia em direção a Vera Cruz

Acidente na ERS-409 resultou em duas mortes (Gazeta Online)

 

Duas pessoas morreram em um acidente na ERS-409 na noite desta segunda-feira (4). Ambos eram ocupantes de um Volkswagen Gol que seguia de Santa Cruz do Sul para Vera Cruz. O automóvel colidiu em um ônibus da empresa Primavera que levava trabalhadores de uma indústria fumageira. Conforme informações preliminares, estavam indo para um velório. O condutor era um homem, que estava acompanhado de um homem na frente e uma mulher no banco de trás.
Dois caminhões do Corpo de Bombeiros de Santa Cruz do Sul e Vera Cruz foram ao local para tirar as vítimas das ferragens. O motorista Euclides Silveira, de 69 anos, e a mulher, Olinda Natanael Kuppe, que seriam primos e moradores do Bairro Bom Jesus, morreram no local, enquanto o caroneiro foi levado para o hospital. O trânsito foi completamente interrompido. A Brigada Militar, Policia Civil e o Samu prestaram assistência. Entre os ocupantes do ônibus, não houve feridos.

Fonte: Gazeta Online

Greve deixou prejuízo de ao menos R$ 2,9 bi para a indústria do RS

No frigorífico Minuano, em Lajeado, no Vale do Taquari, o abatedouro voltou a operar em dois turnos no sábado Caco Konzen / Especial

A perda diária de ao menos R$ 300 milhões imposta à indústria gaúcha pela greve dos caminhoneiros fez fábricas apelarem para o trabalho no feriado da última quinta-feira e no fim de semana para tentar recuperar parte dos prejuízos. O esforço é notado principalmente no setor de alimentos, segmento mais afetado pelo fluxo trancado de mercadorias nas estradas.

Levantamento da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs) indica que, em 10 dias de movimento, o custo com a perda de insumos e de receita chegou a R$ 2,9 bilhões. O cálculo não inclui gastos necessários para retomada das operações nas plantas e as multas por atrasos nas entregas.

 Há empresas que sofrem mais com a paralisação. Uma fabricante de caldeiras pode atrasar as entregas, mas não perde os produtos. Uma do setor de laticínios vê os insumos se deteriorarem, perda direta que não é recuperada – diz o presidente da Fiergs, Gilberto Porcello Petry.

Os maiores prejuízos atingiram setores como os de aves, suínos e lácteos. O presidente da Associação Gaúcha de Avicultura (Asgav), Nestor Freiberger, fala em R$ 1 bilhão. Além do faturamento perdido, entram na conta morte de aves, queda de peso dos animais, descarte de frangos que chegam à indústria sem condições de abate, possível condenação de produtos despachados e que ficaram retidos nas estradas, multas por demora nos embarques para exportação e horas extras que deverão ser pagas a funcionários para reacelerar abates em feriados e finais de semana.

– Talvez de 5% a 10% (do prejuízo) possa ser recuperado – avalia Freiberger, lembrando que, com a oferta menor de frango, haverá reflexo nos preços ao consumidor.

A tentativa de compensar, no fim de semana, parte dos impactos da greve alcançou empresas avícolas no Vale do Taquari. Na Minuano, de Lajeado, o abatedouro voltou a operar em dois turnos no sábado.

– O prejuízo é grande tanto para empresas do setor quanto para funcionários. A falta de insumos impediu empregados de atuarem durante a greve – afirma Adão José Gossmann, presidente da entidade que representa trabalhadores das companhias avícolas e de alimentação em geral de Lajeado e região.

O Sindicato da Indústria de Produtos Suínos do Estado (Sips) avalia que, por enquanto, é impossível estimar o tamanho da conta. As empresas perderam, por dia útil, R$ 14 milhões de faturamento. O rombo tende a ser maior. A chegada de ração nas propriedades, por exemplo, não estava normalizada até sexta-feira devido à necessidade de receber a matéria-prima, fabricar o alimento dos animais e entregar aos criadores. Precisam ainda ser verificadas as cargas de carnes frescas e congeladas que ficaram retidas nas estradas.

– Boa parte terá de ser destruída – observa o diretor-executivo do Sips, Rogério Kerber.

No segmento de leite, cerca de 8 milhões de litros por dia deixaram de ser coletados, perda de renda de R$ 10 milhões só para os pecuaristas. Mesmo com estradas desbloqueadas, a indústria não tem capacidade de processar o resultado da ordenha diária e o que ainda ficou armazenado nas propriedades. Ou seja, ainda há leite para ir fora.

– Vai demorar 15 dias para normalizar – estima o presidente do Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Estado (Sindilat), Alexandre Guerra.

Principal polo metalmecânico do Estado, Caxias do Sul viu grande parte de suas fábricas pararem devido à impossibilidade de receber insumos e despachar produtos. Presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico, Reomar Slaviero avalia que o grande problema será um descompasso maior entre receitas e despesas, o que tende a atrasar mais a retomada na economia da cidade.

A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL) estima que as perdas do varejo gaúcho na greve foram de cerca de R$ 230 milhões. Pelos dados da empresa de análise de crédito Boa Vista, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Porto Alegre observou que, entre 21 e 30 de maio, as vendas a crédito em todo o Estado caíram 26% em relação a igual intervalo de 2017. A variação, diz o presidente da entidade, Alcides Debus, pode indicar que todo o varejo gaúcho teve comportamento semelhante no período. A compra de aparelhos eletrônicos, por exemplo recuou 48%.

– Acredito que apenas metade destas perdas possa ser recuperada. Para o resto, passou a hora, o momento, a necessidade imediata do consumo – afirma Debus.

A Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do (Fecomércio-RS) não tem estimativa dos impactos da greve dos caminhoneiros, mas lembra que reflexos ainda podem ser sentidos no médio e longo prazos, devido ao abalo na confiança da população. A entidade observa que apenas parte pode ser recuperada. Para muitos setores, o que deixou de ser vendido, mercadoria ou serviço, não é mais consumido.

Um exemplo é o segmento de alimentação fora do domicílio. Com problemas de abastecimento, alguns restaurantes fecharam as portas. Em outros casos, devido à dificuldade de mobilidade, os clientes não apareceram.

As refeições que deixaram de ser consumidas não são servidas em um momento posterior.

Salões de beleza, transporte público e atividades de lazer – como cinema e teatro – também foram afetados pela clientela escassa. O caso do setor hoteleiro é emblemático, reforça a Fecomércio. Devido aos problemas de deslocamento, reservas foram canceladas. Assim, as diárias também se tornaram um produto perecível.

Colaborou Leonardo Vieceli

Fonte: Gaucha ZH

Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 5,5 milhões na quarta-feira

Nenhum apostador acertou as seis dezenas do concurso 2.046 da da Mega-Sena. Os números sorteados nesse sábado (2) foram: 03 – 06 – 11 – 27 – 28 – 46. A expectativa de prêmio para o próximo concurso, que será sorteado na quarta-feira (6) é R$  5,5 milhões.

Oitenta apostas acertaram cinco dezenas e vão levar R$ 17.146,56, cada. A quadra teve 4.630 apostas ganhadoras e cada uma vai receber R$ 423,24.

As apostas podem ser feitas nas casas lotéricas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, que será realizado às 20h. A aposta mínima, de seis números, custa R$ 3,50.

Governo cria programa de R$ 13,5 bilhões para subsidiar diesel

Objetivo é reduzir R$ 0,46 do preço do combustível

Foi publicado nesta quinta-feira (31), em edição extra do Diário Ofical da União, a Medida Provisória (MP) nº 838, que cria o programa de subvenção econômica à comercialização do óleo diesel. O objetivo é reduzir o preço do combustível nas refinarias em 46 centavos por litro.

Desse total, o governo vai subsidiar 30 centavos, por meio de recursos na ordem de R$ 9,5 bilhões, que serão repassados diretamente aos produtores e importadores de diesel. Para completar o benefício, foram reduzidos impostos que incidem diretamente sobre o diesel, como PIS/Cofins e a Cide, no total de 16 centavos, e que equivalem a R$ 4 bilhões. O programa começa a valer a partir de hoje (31) e segue até o fim do ano.

Pelos próximos 60 dias, o preço fixo do óleo diesel nas refinarias será de, no máximo, R$ 2,03 por litro. Considerando que o preço de mercado poderá ser superior, o governo vai cobrir essa diferença pagando até 30 centavos por litro de diesel às empresas.

Até o dia 7 de junho, o governo vai pagar uma diferença de 7 centavos por litro, já que a Petrobras assumiu, na semana passada, o compromisso de congelar o preço do diesel exatamente no valor de R$ 2,10. Do dia 8 de junho até 31 de dezembro, a subvenção do governo será integral.

“Nossa intenção é fazer essa suavização e nesse período, até 31 de dezembro, dar previsibilidade [no preço do diesel]. O custo do programa será arcado integralmente pelo Tesouro Nacional, pelos contribuintes, e não haverá interferência na rentabilidade das empresas. Nós queremos dar toda a transparência ao custo fiscal”, disse o assessor especial do Ministério da Fazenda, Marcos Mendes, em entrevista à imprensa.

O produtor ou importador que quiser participar do programa precisa se habilitar junto à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e se comprometer a autorizar que a Receita Federal repasse à ANP os dados fiscais necessários para o cálculo da subvenção. Após os primeiros 60 dias, quando o preço vendido pelas refinarias às distribuidoras estará fixado em até R$ 2,03, um novo valor de preço fixo de comercialização será definido.

“Poder ser um preço um pouco mais baixo, um pouco mais alto, dependendo da evolução dos preços internacionais do diesel”, explicou Mendes. O desembolso da subvenção se dará a cada 30 dias e uma espécie de conta de subsídio vai somando os valores devidos a cada empresa participante do programa. Até o fim do ano, portanto, o preço do diesel será reajustado mais três vezes.

Também será de responsabilidade da ANP a definição de um preço de referência, com base na cotação internacional do petróleo, que seria o preço normal de flutuação do mercado. É sobre esse preço de referência que serão descontados os 30 centavos. Caso a diferença entre o preço de referência e o de comercialização (preço fixo) seja superior a 30 centavos, o governo fará a compensação das perdas das empresas quando for feito o reajuste do preço de comercialização, a cada mês.

Segundo Marcos Mendes, caberá aos órgãos como o Procon e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a fiscalização para que a redução dos preços se reflita nas bombas de combustível.

Para garantir o orçamento necessário à subvenção, foi editada uma outra Medida Provisória, a MP nº 839, que abre o crédito extraordinário de R$ 9,5 bilhões. Os recursos serão tirados de uma reserva de contingência financeira do governo, no valor de R$ 6,2 bilhões, de uma outra reserva de capitalização de empresas públicas, no valor de R$ 2,1 bilhões, além do cancelamento de despesas discricionárias de vários ministérios, que somam R$ 1,2 bilhão.

Já para compensar a redução do PIS/Cofins e da Cide sobre o diesel, o governo conta com a reoneração da folha de pagamento de 28 setores da economia dentro de 90 dias, além da redução e eliminação de incentivos fiscais para exportadores e as indústrias química e de refrigerantes.

Fonte: Agência Brasil

Clínica Pediátrica Cuidado de Mãe é inaugurada em Crissiumal

Fotos: Emerson Gomes

Crissiumal conta com a mais nova Clínica Pediátrica, localizada na Avenida Castelo Branco, 490 – Sala 2 no segundo piso da Galeria Haas.

Na tarde desta segunda-feira (28), foi inaugurada a Clínica Cuidado de Mãe, da Dra. Alexandra Bastos. A Clínica foi idealizada para que as crianças, além do atendimento médico, tivessem um acolhimento lúdico que envolve atividade de entretenimento durante a consulta.

A Clínica possui belos ambientes decorados, educativo e cativante para que a criança se sinta mais a vontade com o profissional.

Os presentes tiveram oportunidade de conhecer as novas instalações do consultório e ainda desfrutar de um gostoso coquetel.

Segundo a Dra. Alexandra, a Clínica abre para atendimento 24 horas para cuidar dos pequenos e das mães . “Porque quem diz o contrário não sabe o que é ser mãe; e mãe, precisa  também de cuidados e abraços afetuosos . Amparar também faz parte da arte da medicina” !

Consultas podem ser agendadas pelo fone 9 9667-6198.

 

Fonte: Metrópole

Veja o que dizem as entidades dos caminhoneiros após novo anúncio do governo

Duas entidades de caminhoneiros ouvidas  nesta segunda-feira (28) dizem que aceitam a proposta feita pelo governo para encerrar a greve que já dura 8 dias. Elas afirmam que estão comunicando os grevistas sobre o fim do movimento. Outra entidade, a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) não trata a paralisação como encerrada. Segundo a assessoria, as medidas são levadas à base dos caminhoneiros. Ainda há protestos pelo país.

Neste domingo (27), o presidente Michel Temer anunciou a redução de R$ 0,46 no litro do diesel por 60 dias, entre outras medidas.

  • O que diz a Abcam

A Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) informa que “ainda não houve tempo hábil para que todos os caminhoneiros tomassem conhecimento da decisão tomada. A entidade vem trabalhando para que a informação do acordo chegue em toda a categoria. Vale lembrar que ainda que a entidade se manifeste pelo fim das paralisações, nem todos os manifestantes seguem o mesmo entendimento. Mas acreditamos que até o fim da tarde de hoje a quantidade de caminhões parados tenha sido reduzida de forma significativa”.

  • O que diz a Unicam

Em conversa com o G1, o presidente da União Nacional dos Caminhoneiros (Unicam), José Araújo Silva, o China, disse que muitos caminhoneiros não sabem o que está acontecendo (sobre comunicado de acordo).

“Continuam parados por falta de comunicação. Mas agora não tem como prosseguir a greve. Vão prorrogar o aumento para 60 dias, o que já é uma grande vantagem. Agora precisa bater com o governo outras metas”, afirmou China, sem citar outras reinvidicações.

“O ponto principal era o aumento do óleo diesel. Agora o governo já fez o pronunciamento e cabe às entidades fazerem a comunicação. Não tem como continuar”, informou China, que por volta das 7h30 disse que iniciaria a comunicação com os sete grupos de WhatsApp que faz parte. Cada grupo conta com cerca de 200 caminhoneiros.

 Para China, a movimentação deve começar a acontecer por volta das 12h desta segunda-feira (28).
 
Fonte: G1