Produtores rurais poderão fazer empréstimos a juros menores a partir de julho

A partir do dia 1º de julho, os produtores rurais de todo o país poderão fazer empréstimos a juros menores. A medida foi anunciada nesta semana no lançamento do Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2018/2019, que define mais R$ 194 bilhões de crédito, juros reduzidos e amplia o Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) para R$ 2 milhões.

Esse plano prevê a queda de 1,5 ponto percentual para as taxas de juros do crédito rural. Além disso, houve redução das taxas de juros de custeio para 6% ao ano, destinada a médios produtores, aqueles com renda bruta anual de até R$ 2 milhões, e para 7% ao ano para os demais.

Do total de R$ 194,37 bilhões previstos no plano anunciado, R$ 151,1 bilhões são para crédito de custeio. O crédito para investimento ficou em R$ 40 bilhões.

Além do crédito para custeio e para investimentos de R$ 191 bilhões, serão destinados R$ 2,6 bilhões para o apoio à comercialização e R$ 600 milhões para subvenção ao seguro rural.

 

Agência do Rádio

Aves podem ser consumidas sem risco após cozimento, afirma ministro

Brasília/DF

O ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) tranquilizou a população em vídeo divulgado nesta segunda-feira (12) quanto ao consumo de aves após a operação realizada com apoio do Mapa em laboratórios que realizam testes para detectar a presença de Salmonella. “Trata-se de uma operação para resolver problemas da relação entre laboratórios empresas produtoras de alimentos. O Ministério da Agricultura tem trabalhado junto com a Polícia Federal, com o Ministério Público Federal e posso garantir a população brasileira que não há nenhum risco no consumo de carnes de aves produzidas por qualquer uma das empresas citadas ou não. Como todos nós sabemos Salmonella desaparece quando cozida ou quando frita a uma temperatura de 60º”.

O regulamento brasileiro é diferente do de determinados países que não permitem a presença de Salmonellla, explicou Maggi. “A investigação é sobre a exportação para alguns países e a adulteração de análises para produtos com esses destinos. Estamos absolutamente tranquilos defendendo a agricultura, os agricultores, o agronegócio brasileiro e queremos que a coisa seja feita de forma correta, transparente e assim será feito”.

Auditoria
O secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, Luis Rangel, disse que, desde o ano passado, o ministério começou a trabalhar modelos de auditoria mais intensos e sofisticados em laboratórios com atenção especial sobre Salmonella. “Fomos até onde podíamos com as nossas ferramentas administrativas e, agora, contamos com a colaboração da polícia para desbaratar esse tipo de fraude”, comentou Rangel sobre operação conjunta com a PF relacionada à fraude na emissão de resultados de análises.

A investigação conjunta do Mapa e PF apurou falsificação de resultados dos exames de laboratórios privados, credenciados pelo ministério, omitindo em algumas amostras a existência da bactéria salmonela spp. A Salmonella é comum, principalmente em carne de aves, pois faz parte da flora intestinal desses animais. Se a carne for cozida ou submetida à fritura não oferece risco, mesmo assim a bactéria enfrenta restrições em determinados países.

Cinco laboratórios estão envolvidos nas irregularidades apontadas. Três credenciados pelo ministério e dois de autocontrole das empresas. Esses cinco, de um universo de 496 credenciados pelo Mapa, não podem mais fazer análises até o fim das investigações, que podem resultar em descredenciamento definitivo.

Houve também a suspensão das exportações pelos frigoríficos envolvidos para 12 destinos onde são exigidos requisitos sanitários específicos de controle e tipificação de Salmonella spp: África do Sul, Argélia, Coreia do Sul, Israel, Irã, Macedônia, Maurício, Tadjiquistão, Suíça, Ucrânia, Vietnã e União Europeia.

Estão sob investigação quatro plantas industriais da BRF, sendo duas de frango, uma em Rio Verde (GO) outra em Carambei (PR), e uma de perus em Mineiros (GO), além de uma fábrica de rações em Chapecó (SC). A volta da exportação pela unidade excluída da lista dependerá de auditoria sanitária do país importador.

As empresas envolvidas terão aumento na frequência de amostragem até o fim do processo de investigação. Se forem comprovadas práticas que afetam também o mercado interno serão adotadas medidas cabíveis.

O secretário da Sda destacou as iniciativas de aprimoramento de ferramentas de combate a fraudes em alimentos e a continuidade de ações já desempenhadas pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF), possibilitando redução de não conformidades a curto e médio prazo.

Operação de 2017
De 34 pessoas investigadas na operação da Polícia Federal, ocorrida em 17 de março do ano passado, dois eram ocupantes apenas de cargo em comissão e foram exonerados, Júlio Cesar Carneiro, no dia 20 de março, e Fábio Zanon Simão, em 14 de junho.

Em relação aos servidores ocupantes de cargo efetivos, foram instaurados Processos Administrativos Disciplinares (PADs) para apuração das condutas, sendo que a maioria se encontra em andamento, conforme determina o art. 41, §1º, inciso II, da Constituição Federal. O resultado de um dos PADs instaurados, culminou com a demissão de Renato Menon, publicada no Diário Oficial (DOU) desta segunda-feira (05 de março).

Depois da Operação da PF do ano passado, a instituição passou a trabalhar em conjunto com o Mapa em todas as ações relacionadas a investigações de estabelecimentos fiscalizados pelo ministério.

Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa)

Três Passos sobe duas posições no ranking de abates de suínos do RS

O município passa a ocupar agora o 4º lugar no Estado, destacando a força da atividade no município 

Três Passos subiu duas posições no ranking de abates de suínos no RS em 2017

 

            O resultado do número de abates no Estado do Rio Grande do Sul, divulgado pela Seção de Epidemiologia e Estatística (SEE) da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi/RS), com base nas Guias de Trânsito Animal (GTAs), trouxe uma boa notícia para Três Passos.

            Ao todo, em 2017, foram abatidos 9.025.071 suínos no RS, destacando-se o Município de Três Passos na 4º colocação, subindo duas posições no ranking, em relação a 2016.

            Segundo o prefeito Municipal de Três Passos, José Carlos Amaral, estes números demonstram o esforço coletivo do setor produtivo na busca de melhores resultados no desenvolvimento do Município de Três Passos.

            “A Administração Municipal tem se empenhado nesta realização através de incentivos dispostos na Lei Municipal nº 4696/09 que concede aos empreendedores do setor serviços de máquina gratuitos para terraplanagem, abertura de esterqueira, colocação de silo para ração e melhorias no acesso e pátio com patrolamento e cascalhamento”, salientou o prefeito

            O secretário Municipal de Agricultura, Evandro Colombo, destaca que além disso, a Secretaria Municipal de Agricultura possui uma equipe de técnicos responsável pelo setor, a qual acompanha nas propriedades dos suinocultores os serviços de máquinas e prestam assessoria e assistência técnica no encaminhamento das licenças ambientais, projetos e ajuda de custo. “Diante do trabalho realizado, do plano de ação e dos programas municipais, iremos trabalhar cada vez mais para que no próximo ano possamos anunciar uma posição ainda melhor da suinocultura local no ranking estadual”, disse o secretário.

            A Administração Municipal de Três Passos salienta que esta conquista é resultado da grande parceria existente entre os suinocultores, empresa integradora local, Conselho Municipal Agropecuário e Assuipassos (Associação de Suinocultores de Três Passos).

            No ranking de 2017, que relaciona 320 municípios do RS, em 1º lugar está o município de Rodeio Bonito, em 2º lugar Palmitinho, 3º lugar Nova Candelária, 4º lugar Três Passos  e  5º lugar Boa Vista do Buricá.

            A composição desta lista tem como fonte todos os tipos inspeção, são elas: Cispoa/Dipoa (Divisão de Inspeção de Produtos de Origem Animal – Estadual), SIF (Serviço de Inspeção Federal) e SIM (Serviço de Inspeção Municipal).

Fonte: Elenara de Oliveira

Suspensão do decreto que trata da venda de carnes e frios deve ser prorrogada no RS

 

A suspensão dos efeitos do Decreto Estadual 53.304/2016 e da Portaria 66/2017, que dispõem sobre a comercialização e manuseio de carnes e derivados no Rio Grande do Sul, deve ser prorrogada pelo governo no Rio Grande do Sul. A informação foi dada nesta quarta-feira pelo chefe da Casa Civil, Fábio Branco, em reunião com o deputado estadual Gilmar Sossella (PDT) e o presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, deputado Altemir Tortelli (PT).

O prazo está previsto para vencer em junho deste ano. “O secretário nos garantiu que o período de adaptação será ampliado. Em julho, estivemos juntos na grande audiência pública que debateu o tema na Assembleia Legislativa. Esta tem sido uma preocupação de comerciantes de todas as regiões de nosso Estado e seguiremos juntos na busca pela melhor solução para todos”, destacou Sossella.

O deputado trabalhista foi o primeiro a protocolar o pedido para uma audiência pública para tratar do assunto no Parlamento gaúcho, que ocorreu em 28 de junho de 2017. Na ocasião, Sossella defendeu a criação de um grupo de trabalho, reunindo Executivo, Legislativo, Ministério Público, áreas técnicas e representantes de entidades e de estabelecimentos comerciais.

O objetivo é viabilizar a venda, sem prejudicar os pequenos comerciantes e que também atenda às questões ligadas à saúde.

CONCURSO PÚBLICO – Sossella e Tortelli também solicitaram ao secretário Branco a convocação dos aprovados no concurso público da Secretaria Estadual da Saúde. Mais de 600 candidatos aguardam a nomeação e o prazo se encerra no dia 18 de março. O governo irá avaliar o pedido.

Também participou do encontro o assessor Verno Muller.

Agricultores e lideranças dos Sindicatos de Tiradentes do Sul realizam mobilização em frente ao INSS

Nessa segunda-feira (19), em frente ao INSS de Três Passos, reuniram-se agricultores e lideranças dos Sindicatos de Tiradentes do Sul, Tenente Portela, Humaitá e Sede Nova, todos ligados a FETRAF RS, com apoio também de diversas lideranças regionais. O objetivo foi celebrar um ato em defesa da previdência social no dia Nacional de luta e mobilização que aconteceu em todo país, no RS a FETRAF-RS organizou seus atos em vários municípios do Estado.

O inicio aconteceu às 8 horas da manhã com a instalação de um acampamento em frente ao INSS, e após, durante a manhã, se realizou o “Funeral da Previdência Social”, para simbolicamente demonstrar para a população que o Governo pretende enterrar as aposentadorias e acabar com a Previdência Social. Depois do meio dia seguiu-se em caminhada até a praça da matriz e durante o caminho foi distribuído material com o nome e o contato dos deputados federais, para que a população pressione os parlamentares a votar contra a reforma.

A presidente do Sindicato de Tiradentes do Sul e integrante da executiva da FETRAF RS, Sra. Cleonice Back, enfatizou em sua fala que somente através da mobilização e luta se impedirá o avanço da reforma. “Hoje no texto da emenda aglutinativa que está em tramitação no Congresso Nacional exige para os Agricultores Familiares, 15 anos de contribuição, isso significa que alem da contribuição do bloco de produtor, nós agricultores também precisamos contribuir individualmente e mensalmente com a previdência social, e neste caso, muitos agricultores serão excluídos da previdência.”

 

Fonte: Sintraf

COTRIMAIO seleciona animais a serem avaliados para a EXPOTERNEIRA 2018

Desde outubro do ano passado a COTRIMAIO numa ação conjunta com as Secretarias Municipais de Agricultura dos municípios da área de abrangência da cooperativa, sindicatos e Emater, vem realizando visitas as propriedades com o objetivo de selecionar  terneiras com potencial genético para participação na Expoterneira 2018, que vai acontecer de 11 a 15 de abril junto ao parque de exposições de Três de Maio.

Segundo o Médico Veterinário da COTRIMAIO, Nestor Barbieri, nestas visitas, são repassadas orientações preliminares sobre o manejo nutricional a ser desenvolvido e técnicas de adestramento, com o objetivo de preparar os animais para as avaliações durante a feira.

Está programado para o dia 15 de fevereiro junto a SETREM um encontro com todos os produtores que irão ter animais participando da feira para que através de palestras e demonstrações práticas, preparem os animais para a condução na pista de forma a exporem todo o seu potencial genético.

Barbieri alerta que os produtores interessados em apresentar seus animais na Expoterneira, podem fazer contato com as unidades da COTRIMAIO para agendar uma visita dos técnicos na propriedade. No total deverão ser selecionados 120 animais.

Fonte: Jorge Medina-Comunicação COTRIMAIO

Produção e produtividade do trigo caem pela metade no Estado

Produção e produtividade do trigo caem pela metade no Estado

Foto: José Schaefer

A Gerência de Planejamento da Emater/RS-Ascar, por meio do Núcleo de Informações e Análises (NIA), divulga, nesta quinta-feira (07/12), o relatório de estimativa final de área, produção e produtividade das principais culturas de grãos de inverno da safra 2017. Os resultados apontam quedas significativas na produção e produtividade, em decorrência das intempéries climáticas ocorridas neste ano.
O trigo registrou queda de 10% na área cultivada (699.725 ha); 47% na produtividade (1.727 kg/ha) e 52% na produção (1,2 milhões de toneladas). Já na cevada, mesmo com o aumento de 25% na área cultivada, a produtividade da cultura caiu 49% (1.827 kg/há) e 37% na produção (101 mil toneladas).
Mesmo havendo um aumento de 3% na área cultivada de aveia, a produtividade e produção caíram de forma significativa, respectivamente 46% (1.550 kg/ha) e 44% (361,7 mil toneladas). A canola também teve um incremento na área cultivada de 4% (51,1 mil ha), mas apresentou queda de 52% na produtividade (709 kg/ha) e 50% na produção (36,2 mil toneladas).
Os dados das lavouras já colhidas até agora (97%) foram coletados entre 16 e 30 de novembro, junto às unidades operativas da Instituição, sendo 98 escritórios municipais para a cultura da aveia; 98 para a canola; 86 para a cevada e 281 para o trigo, além dos 12 escritórios regionais e do Escritório Central.
Ate junho de 2018, a Emater/RS-Ascar poderá fazer alterações nos números referentes às áreas efetivamente plantadas e nas produtividades obtidas. A partir de então, tais números serão homologados pelo Grupo de Coordenação de Estatísticas Agropecuárias (GCEA), de responsabilidade da unidade estadual do IBGE.
Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar

Cooper Fonte Nova recebe prêmio Folha Verde 2017

Fotos: Viviane Dreher

Por indicação do líder da bancada do PTB, deputado Aloísio Classmann, a Cooperativa das Atividades Agroindustriais e Artesanais do Pacto Fonte Nova Ltda (Cooper Fonte Nova), de Crissiumal, recebeu o prêmio Folha Verde 2017 – Categoria Agricultura Familiar, nesta segunda-feira (4). A solenidade foi realizada no Teatro Dante Barone, da Assembleia Legislativa, em uma iniciativa da Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo (CAPC), com a presença dos vencedores dos 12 segmentos escolhidos.

Classmann entregou o troféu ao presidente da cooperativa, Marcos Zimmermann, e ao vice-presidente, Joel Jungblutt. Também esteve presente o prefeito de Crissiumal, Roberto Bergmann (PMDB), e do diretor da Emater, Fernando Leitweiss. “É com muito orgulho que vemos uma entidade que representa a nossa agricultura familiar ser reconhecida pelo trabalho desenvolvido há 20 anos”, disse Classmann, que é titular da CAPC.

A distinção está na sua sétima edição e é uma certificação do Legislativo ao trabalho realizado por entidades gaúchas ao longo do ano, relacionadas ao setor primário. Ao todo, foram 98 indicações feitas por 21 deputados.

Por: Viviane Dreher

Ajuricaba se prepara para mostrar experiência com plantas medicinais

Promovido pela primeira vez na cidade do Noroeste gaúcho, o Seminário Municipal de Plantas Medicinais de Ajuricaba, a se realizar no dia 06 de dezembro, já está com as inscrições encerradas. O evento atrai o interesse de profissionais da área da saúde, extensionistas rurais, gestores públicos, consumidores e agricultores familiares. Aproximadamente 160 pessoas da região estão sendo aguardadas para o evento, a se realizar no Centro de Convivência, no centro da cidade.

Nesta quinta-feira (30/11), representantes do Grupo de Estudos em Plantas Bioativas reuniram-se no local do seminário para tratar dos últimos detalhes. Fazem parte desse Grupo agentes municipais de Saúde, Pastoral da Saúde, agricultores familiares, Apae, Emater/RS-Ascar e secretarias municipais de Saúde, Assistência Social, Agricultura e Obras.

O “relógio do corpo humano”, que será um dos pontos a serem visitados durante o seminário, ganhou retoques. No local, foram cultivadas plantas medicinais associadas a determinados órgãos do corpo humano, como fígado, pulmão e coração, por exemplo. Segundo pesquisas, a eficácia do medicamento natural consiste em consumir plantas de cada grupo no horário em que o seu órgão correspondente está no ponto máximo de atividade.

Inspiração

O exemplo de Ajuricaba tem servido de inspiração para a área da saúde pública brasileira. Em 2015, graças a um projeto elaborado pela farmacêutica da Secretaria Municipal da Saúde, o Ministério da Saúde destinou R$ 52 mil ao município. Com o recurso foi possível comprar equipamentos, capacitar agentes de saúde e construir um horto de plantas bioativas.

“O projeto previa que se disponibilizasse à população droga vegetal seca – malva, melissa, maracujá, calêndula e camomila -, e um fitoterápico, a castanha da índia, em cápsula”, explicou a farmacêutica Cláudia Pinno.

Com receita médica, os cidadãos de Ajuricaba encontram esses medicamentos na farmácia da prefeitura. “O importante é fazer isso chegar na ponta, no usuário”, disse a extensionista da Emater/RS-Ascar, Eliane Righi.

Preocupados em dar continuidade ao trabalho, o Grupo de Estudos em Plantas Bioativas motivou os vereadores a criarem uma lei que garanta às gerações futuras o acesso a esses medicamentos. A lei municipal que institui a política intersetorial de plantas medicinais e medicamentos fitoterápicos foi aprovada em dezembro do ano passado.

Programação do Seminário

9h – Credenciamento
9h30 – Abertura oficial
10h – Mesa redonda: Produção, comercialização de plantas medicinais e perspectiva de pesquisa em fitoterápicos – Doutora em Agronomia da Unicruz Jana Koefender; Doutora em Ciências da Unijuí, Christiane Colet; Coordenação: Assistente Técnica Regional Social da Emater/RS-Ascar, Silvana Canova Ritterbusch.
11h45 – Debate
12h15 – Almoço
13h30 – Mesa Redonda: Conhecendo as plantas medicinais e o relato da experiência do Grupo de Estudos em Plantas Bioativas de Ajuricaba – Pós-doutor em Biologia Molecular, Diego Golle; Farmacêutica da Prefeitura de Ajuricaba, Cláudia Pinno; Extensionista da Emater/RS-Ascar, Eliane Righi; Agente Comunitária de Saúde de Ajuricaba, Elenara Siqueira; Secretária de Saúde de Ajuricaba, Tarciana Moraski. Coordenação: Assistente Técnica Regional Social da Emater/RS-Ascar, Silvana Canova Ritterbusch.
15h30 – Debate
16 h – Coffee break de encerramento e visita guiada ao horto medicinal.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar – Regional de Ijuí

Plantio do milho ultrapassa 90% no RS

O plantio do milho da safra 2017/2018 está praticamente concluído no Rio Grande do Sul, ultrapassando 90% da área prevista de 731,2 mil hectares. Percebe-se, neste final de plantio, que deverá se confirmar a redução das áreas para produção de grãos prevista inicialmente, ao passo que, para a produção de silagem não haverá diminuição.

De acordo com o Informativo Conjuntural da Emater/RS-Ascar divulgado, nesta quinta-feira (16/11), da área semeada para grão, 70% está na fase de desenvolvimento vegetativo, 20% na fase de florescimento e já há 10% em enchimento de grão. No geral, as lavouras apresentam boa população de plantas com um aspecto verde intenso e livres, em sua grande maioria, de pragas e molésticas, indicando que, se as condições meteorológicas (chuva) forem propícias, a produtividade média do Estado deverá ser novamente próxima a sete mil quilos por hectare.

A primeira quinzena deste mês foi muito propícia para a cultura do arroz neste início de safra, chegando a quase 80% de área semeada no RS, ficando abaixo da média de 90% dos últimos anos, para essa mesma época. Nestes últimos dias os produtores puderam trabalhar sem sobressaltos, diferentemente do mês anterior, quando algumas áreas registraram volumes pluviométricos acima da média, impedindo um avanço constante na área semeada. As temperaturas registradas também tiveram impacto positivo, situando-se em níveis mais elevaos e com boa luminosidade durante as tardes. Nesse cenário, o percentual

Com as condições meteorológicas propícias aos trabalhos de campo e com a liberação das áreas que estavam com as culturas de inverno, já chega a 40% de área semeada com soja no Estado. Até o momento a cultura tem encontrado condições muito boas ao seu desenvolvimento inicial, em que pesem algumas áreas apresentarem espécies resistentes aos herbicidas usados atualmente. Fato que dificulta, em determinadas circunstâncias, o manejo adequado das lavouras. No geral as lavouras apresentam populações recomendadas e livres de pragas e moléstias em níveis que causem danos significativos.

*EMATER